Gazeta Esportiva

Polícia identifica sete responsáveis por ameaças a Cássio; filha de Willian também foi alvo

Tiago Salazar e Marina Bufon - São Paulo,SP

08/04/22 | 16:07 - 08/04/22 | 18:33

A polícia encontrou sete perfis de redes sociais que ameaçaram de morte e violência o goleiro Cássio, do Corinthians, e sua esposa na última quinta-feira. Todos já foram identificados e alguns deles já estão prestando depoimento na Delegacia de Polícia de Repressão aos Delitos de Intolerância Esportiva (DOPE-DRADE). O meia Willian também foi alvo de ameaças.

"Primeiro, preciso dizer que foi um trabalho rápido da Polícia Civil. Desde que o Corinthians procurou o DOPE, a nossa unidade de inteligência já conseguiu a identificação do perfil desses torcedores, de Instagram e Twitter, que ameaçaram jogadores e dirigentes, o próprio presidente do Corinthians. Foram, no total, sete torcedores. Desses sete, seis já estão identificados. Estamos aguardando agora a resposta do último perfil que está faltando. Alguns já estão aqui prestando depoimento, todos respondendo pelo crime de ameaça", iniciou o delegado responsável pelo caso, Cesar Saad, com exclusividade à TV Gazeta.

Além de Cássio, sua mulher e Gil, outro jogador que recebeu ameaças, inclusive por meio das filhas, foi o meia Willian, nesta sexta-feira.

"O Willian recebeu uma mensagem que dizia que ele seria o primeiro jogador do Corinthians que teria o carro incendiado. Hoje (sexta), fomos surpreendidos com uma covardia total, torcedores, criminosos, mandando mensagens para as filhas dele nas redes sociais com ameaças sobre o pai, que tinha que jogar bem, enfim, é absurdo e inaceitável a filha de alguém, um jogador ou profissional de qualquer área, receber uma mensagem como esta".

Mais vídeos em videos.gazetaesportiva.com

O delegado também informou que as torcidas organizadas Gaviões da Fiel e Camisa 12 estão colaborando desde o início para a identificação dos criminosos.

"As duas maiores torcidas organizadas do Corinthians estiveram aqui, Gaviões da Fiel e Camisa 12, os presidentes estão colaborando com a polícia, dizendo que as torcidas repudiam esse tipo de atitude, tanto que eles foram pessoalmente ao Centro de Treinamento conversar com os jogadores, os próprios jogadores disseram que não houve ameaças e nem tom exaltado, foi uma cobrança diante da fase que o Corinthians está passando", falou.

Agora, a Federação Paulista de Futebol (FPF) será oficiada pela Polícia Civil para que esses torcedores sejam proibidos de entrar em estádios nos jogos do Corinthians.

VEJA MAIS:
Gaviões da Fiel esclarece não ter relação com ameaças a Cássio e que está colaborando com a polícia

Delegado descreve Cássio abalado e fala sobre busca por autor de ameaça: “Será identificado”
Ameaçado de morte, Cássio pede justiça e contesta termos “vagabundo” e “paneleiro”
Gil responde torcedor do Corinthians nas redes sociais e nega panela para derrubar Vítor Pereira

Entenda o caso

A última quinta-feira foi bastante agitada nos bastidores do Corinthians. No treino realizado durante a manhã, alguns torcedores da organizada Gaviões da Fiel foram autorizados a entrar no CT Dr. Joaquim Grava e conversar com elenco e comissão técnica. A ideia da torcida era cobrar raça e vontade.

Pouco depois, ao responder uma mensagem de um torcedor, Janara Sackl, esposa de Cássio, foi ameaçada com fotos e áudios de um perfil no Instagram, que chegaram até o goleiro por meio do personal trainer de Janara. Em uma das mensagens, um revólver e balas aparecem em cima da camisa do Corinthians.

Além do goleiro, outro citado nos conteúdos das mensagens de ameaça é o zagueiro Gil, que apagou fotos com a camisa do clube em suas redes sociais após o ocorrido.

O Corinthians se manifestou após o ocorrido. Em nota, repudiou a ação e afirmou que já acionou a Delegacia de Polícia e Repressão aos Delitos de Intolerância Esportiva, "a fim de tomar as medidas cabíveis para a segurança dos atletas", com o desejo que o autor do crime "seja submetido às penas da lei".


 

 

Deixe seu comentário