Ex-Portuguesa, Geninho apostava em ascensão do clube

Felipe Leite e Luca Castilho* - São Paulo,SP

21-02-2019 09:00:56

Lutas contra o rebaixamento. Conquistas de títulos. Com uma longa trajetória, Geninho já vivenciou diversas situações no futebol brasileiro. Nascido em Ribeirão Preto, o experiente treinador de 70 anos coleciona passagens por grandes clubes de São Paulo.

Uma de suas últimas experientes em solo paulista foi na Portuguesa. Contratado em 2012, logo após o rebaixamento do clube à segunda divisão do Campeonato Paulista, a Série A2, o técnico chegou para substituir Jorginho. Sete anos após sua experiência, Geninho, em entrevista exclusiva à Gazeta Esportiva, relembrou o tempo que passou no clube do Canindé e avaliou o atual momento do time.

"Acabei não ficando por opção da diretoria, não minha, porque eu adorei trabalhar lá. Foi maravilhoso em termos de ambiente e trabalho. Por conta disso, achei que, a partir dali, a Portuguesa ia só subir, não previa essa queda. Torcida inflamada, base do time era muito boa. Esperava que o time decolasse, mas infelizmente aconteceu o contrário", afirmou o comandante.


Atualmente a Lusa vive o seu pior momento na história. O clube não irá disputar uma competição nacional pelo segundo ano consecutivo, está em uma situação complicada no Paulista A2, com apenas 5 pontos somados em 8 rodadas, e terá um árduo trabalho na disputa da Copa Paulista, competição que permite ao campeão escolher entre uma vaga no Brasileiro Série D e Copa do Brasil.

Em 2012, Geninho comandou a Portuguesa em 40 jogos, conseguindo 10 vitórias, 16 empates e 14 derrotas. Ao final da disputado do Brasileirão, o clube terminou na 16ª posição, com 45 pontos, e garantiu a permanência na elite nacional.

"Pegamos a Portuguesa em uma situação muito difícil e conseguimos fazer um ano maravilhoso. Naquela temporada (em 2012), a Lusa em momento algum foi ameaçada de rebaixamento, ficou sempre em posição confortável, fez bons jogos e aproximou o torcedor do Canindé", disse o técnico campeão Brasileiro com o Athletico-PR em 2001.

No ano seguinte a demissão de Geninho, em 2013, a Portuguesa viveu um imbróglio na Justiça. Acusada pelo Fluminense de escalar o meia Héverton de maneira irregular, a Lusa foi punida pelo STJD, Supremo Tribunal de Justiça Desportiva, com a perda de quatro pontos no Brasileiro. Assim, a equipe paulista, que havia garantido a permanência na elite, caiu para a 17ª colocação e foi rebaixada à Segundona. Desde então o clube entrou em queda livre e atualmente não está em nenhuma competição nacional.

"Achei que o caso Héverton ficou muito mal explicado. Não posso dar palpite porque não participei, não estava junto da Portuguesa naquela época. Tudo aquilo deixou uma consequência funesta para o time. A partir daquilo, a Lusa não se achou mais. Acabou sendo, lamentavelmente, um divisor de águas", concluiu Geninho.

*Especial para a Gazeta Esportiva

Deixe seu comentário