Sete histórias do 7 a 1: reviva o maior vexame do esporte brasileiro

Leitura: 6 minutos

Sete histórias do 7 a 1: reviva o maior vexame do esporte brasileiro

No dia em que a Seleção Brasileira reencontra a Alemanha, algoz da humilhante goleada sofrida nas semifinais da Copa do Mundo disputada em casa, a Gazeta Esportiva reconta sete histórias que remetem à tragédia do Mineirão

Helder Júnior - São Paulo (SP) 27 de março de 2018 00:59:04
 

A maior derrota do esporte nacional estará novamente em evidência nesta terça-feira, dia em que a Seleção Brasileira reencontrará a Alemanha em Berlim, em amistoso preparatório para a Copa do Mundo da Rússia. Quatro anos atrás, no último jogo entre os dois países, o Brasil deixou o Mineirão humilhado por uma goleada por 7 a 1 nas semifinais do Mundial que sediava.

Para reviver os cabalísticos sete gols que a Alemanha marcou na Seleção Brasileira, a Gazeta Esportiva compilou sete curiosas histórias publicadas à época em que o vexame completou um ano.

Na primeira dessas reportagens especiais, o premiado publicitário PJ Pereira desmascara a dor sentida pela multidão que ele mesmo incentivou a se fantasiar de Neymar no Mineirão – onde o atacante do Barcelona não esteve graças à joelhada do colombiano Juan Camilo Zúñiga, na partida contra a Colômbia – e vivenciou um pesadelo eterno.

Leia a reportagem:
Criador das máscaras de Neymar tem inspiração de livro com pesadelo eterno

O publicitário PJ Pereira foi o responsável por fazer a maior parte do público se fantasiar de Neymar no 7 a 1
PJ Pereira criou as máscaras de Neymar que o público usou no Mineirão (foto: acervo pessoal)

 

Muitos dos que preencheram aquelas arquibancadas voltaram a sua ira contra o técnico Luiz Felipe Scolari. Injustamente, de acordo com o sósia de Felipão que ficou famoso ao ser confundido com o próprio treinador durante a Copa do Mundo. Até hoje, o ator Wladimir Palomo se orgulha de ter previsto que a defesa brasileira era bastante suscetível a falhas no Mundial.

Leia a reportagem:
Sósia relembra acerto ao confundir jornalista na Copa e defende Felipão

Wladimir foi confundido com o próprio Felipão durante a Copa (foto: Fernando Dantas/Gazeta Press)

 

Mas não foram todos os brasileiros que se angustiaram com os problemas da Seleção. Em Santa Cruz Cabrália, pequeno município onde a Alemanha se concentrou durante a Copa do Mundo, sobraram saudades dos tetracampeões mundiais. Um torcedor que fez o goleiro Manuel Neuer se declarar fã do Esporte Clube Bahia passou até a sonhar com uma viagem ao país europeu após aquele episódio.

Leia a reportagem:
Torcedor que deu camisa do Bahia a Neuer nega abatimento por causa do 7 a 1

 

Em Minas Gerais, muitos alemães têm feito o caminho inverso. De acordo com Severiano Braga, gestor das obras de modernização do Mineirão e posteriormente gerente de operações do estádio, o local onde a Seleção Brasileira foi humilhada se tornou ponto de peregrinação dos compatriotas do meio-campista Bastian Schweinsteiger.

Leia a reportagem:
Engenheiro do Mineirão vê 7 a 1 como propaganda e menor do que 1950

Engenheiro responsável por modernizar o estádio nega fantasma do Mineirazo (foto: divulação)
Gestor da modernização nega que estádio seja assombrado pelo Mineirazo (foto: divulgação)

 

Alguns funcionários da Minas Arena, no entanto, ainda remoem aquela goleada. Ao contrário do engenheiro do Mineirão, a locutora Pollyana Andrade se frustrou por ter sido excluída pela Fifa do Mundial, mesmo com 16 anos de experiência no estádio. Mas se conformou por se livrar do fardo de anunciar o 7 a 1 nos alto-falantes.

Leia a reportagem:
Fora da Copa, locutora do Mineirão se consola por não ser voz do 7 a 1

Fifa manteve padrão masculino e evitou que Pollyana fosse a voz do vexame (foto: acervo pessoal)

 

Quem não perdeu a voz, apesar do vexame histórico, foi o ex-coordenador Carlos Alberto Parreira. No dia seguinte à derrota trágica, o braço direito de Felipão tentou amenizar a dor do povo brasileiro ao ler uma suposta carta de uma senhora, Dona Lúcia, que apoiava o trabalho realizado pela comissão técnica da Seleção. Mal sabia ele que uma Dona Lucinha já era famosa em Belo Horizonte – com o seu talento para a culinária reconhecido até pelo tenor Plácido Domingo.

Leia a reportagem:
Plácido Domingo se encantou com “Dona Lúcia” um dia antes de Parreira

Assim como Parreira, o tenor Plácido Domingo se animou ao entrar em contato com uma
Assim como Parreira, o tenor se animou com uma “Dona Lúcia” em Belo Horizonte (foto: acervo pessoal)

 

Ainda que a cozinha mineira tenha conquistado admiradores na Copa do Mundo, não foi suficiente para acabar com a indigestão do 7 a 1. A eliminação diante dos alemães se tornou tão simbólica que fez até o famoso ator pornográfico Kid Bengala perder o tesão. Como consolo, ele gosta de lembrar que já morou na Alemanha, onde gravou filmes e arrebatou corações.

Leia a reportagem:
Sem tesão após goleada, Kid Bengala prefere lembrar filmes na Alemanha

Kid na alemanha
Famoso ator pornográfico marcou o gol de honra brasileiro na Alemanha (foto: divulgação)
Publicado em 27 de março de 2018 00:59:04
×

Mais especiais
Veja mais artigos interessantes que fizemos