Futebol Internacional

Com suspensão derrubada, Milan pode disputar Liga Europa

São Paulo , SP
20/07/2018 10:57:38

Em: Bastidores, Futebol Italiano, Milan, Notícias
Marco Fassone, CEO do Milan, fala com a imprensa na última quinta-feira, antes da decisão tomada pelo TAS. Agora, o Milan pode voltar a disputar a Liga Europa desta temporada (Foto: Fabrice Coffrini/AFP)

Na manhã desta sexta-feira, o Tribunal Arbitral do Esporte (TAS) aceitou o recurso do Milan e agora o clube pode voltar a disputar a Liga Europa. No final de junho, o clube foi proibido de jogar competições continentais por duas temporadas como punição por falta de fair play financeiro entre os anos de 2014 e 2017. Com a decisão, a Fiorentina fica fora da competição.

“O Milan está reintegrado à Liga Europa por enquanto, e o caso foi encaminhado à Uefa para uma nova decisão”, indicou o TAS, segundo a agência AFP. O órgão ainda pediu uma “sanção proporcional”.

Há quase um mês, o Milan foi excluído pela Uefa, por intermédio do órgão controlador de suas finanças, de todas as competições continentais até a temporada 2020-21. Isso se deu porque o clube foi acusado de violar as regras do fair play financeiro. O TAS ainda indicou que, com a recente mudança de comando nas finanças do clube, a saúde econômica do Milan está melhorando e isso deve mudar.

Como em 2017-18 o clube terminou o Campeonato Italiano na sexta colocação, o que garantia presença na Liga Europa deste ano, ele entrou com um pedido que, nesta sexta-feira, foi aceito pelo TAS. Portanto, o Milan volta a poder competir, inclusive a própria Liga Europa, quando entrará na fase de grupos. A Atalanta disputará as fases prévias, enquanto a Fiorentina, por sua vez, fica de fora da edição.

As principais suspeitas da Uefa são a origem do dinheiro aplicado no Milan. Após uma série de problemas com investidores chineses e compra de jogadores por preços fora do normal, a entidade resolveu ficar mais próxima do clube, exigindo comprovações de onde vinha o dinheiro. O time italiano até tentou um acordo, mas não conseguiu provar nada, foi a julgamento em junho passado e acabou punido. Agora, o grupo americano Elliot é quem gere as finanças do Milan.