Campeonato Paulista

×
| // - :

Futebol

Corinthians é Tricampeão Paulista e São Paulo mantém jejum de taças

Tiago Salazar e Marcelo Bassegio - São Paulo , SP
21/04/2019 18:06:08 — 22/04/2019 00:04:09

Em: Campeonato Paulista, Corinthians, Escolha do editor, Futebol, Notícias, São Paulo

Após 80 anos, o Corinthians alcançou o Tri do Campeonato Paulista em noite de quebra de recorde de público da Arena de Itaquera (46.481 pagantes / 46.903 total). Com uma vitória conquistada graças a gol de Vagner Love aos 44 minutos do segundo tempo, o Timão fez 2 a 1 no São Paulo e repetiu as trincas 22/23/24, 28/29/30 e 37/38/39. Agora, só o clube do Parque São Jorge é Tri no Estado por quatro vezes.

Por outro lado, o São Paulo segue seu martírio. São seis anos sem um título e 14 temporadas sem levantar a taça do Paulistão. A equipe até foi valente, chegou a arrancar um empate com Antony nos acréscimos do primeiro tempo depois de Danilo Avelar abrir o placar, mas acabou castigada por um cochilo na marcação nos minutos finais.

A decisão desse domingo de Páscoa também marcou o 11º Majestoso do estádio corintiano, que segue invicto, com oito vitórias dos mandantes, além de três empates.

Como já era de se imaginar, Corinthians e São Paulo evitaram o famoso ‘abafa’ nos minutos iniciais e desde o primeiro apito preferiram um jogo estudado. Claramente, o receio de um erro fatal era mais latente que o ímpeto de balançar logo as redes.

Empurrado por sua torcida, que durante a entrada dos times em campo mandou o recado por meio de um mosaico, o Timão foi para cima ao perceber a postura cautelosa dos visitantes.

Os contra-ataques eram oferecidos e, em um deles, Everton teve boa chance de finalizar de dentro da área, mas mandou direto pela linha de fundo, sem maiores problemas a Cássio.

Os comandados de Carille abusavam das bolas no pivô. Gustavo era bastante acionado. Só faltou corresponder. Assim, na base da imposição, mesmo que ausente de um futebol mais vistoso, o Corinthians foi chegando e incomodando, principalmente na bola parada.

Aos 31 minutos, então, os tais treinos fechados deram resultado. A jogada foi ensaiada. Sornoza levantou para Ralf na segunda trave em cobrança de escanteio. O volante devolveu para o primeiro pau e Danilo Avelar marcou, de cabeça também, seu quinto gol no ano com a camisa alvinegra.

O cenário se inverteu imediatamente, e os donos da casa falharam no momento de abrir vantagem e, quem sabe, definir a final. Pedrinho foi o primeiro a desperdiçar superioridade numérica. Depois, Clayson e Gustagol bateram cabeça na tentativa de um corta-luz.

O castigo veio no lance derradeiro da etapa inicial. Antony, até então totalmente sumido do clássico, recebeu da entrada da área, limpou para o pé esquerdo e bateu no canto, rasteiro, sem chance para Cássio.

O gol esfriou o otimismo das arquibancadas no intervalo e colocou o São Paulo de volta no jogo. O Tricolor ainda voltou para o segundo tempo com Hernanes no lugar de Everton Felipe. Na prática, porém, o São Paulo seguiu recuado.

Em ritmo cadenciado, culpa dos inúmeros erros de passes e cruzamentos de ambas as equipes, o Majestoso seguiu imprevisível e com os goleiros sem tanto trabalho a fazer. Foi o momento de Love entrar na vaga de Pedrinho e Léo na de Jucilei.

Nada mudou e de novo os técnicos agiram juntos. Boselli substituiu Gustagol, que alongou seu jejum de gols para seis partidas, e Everton foi trocado por Willian Farias.

Escalações, formações táticas e características individuais alteradas. Carille e Cuca até tentaram, mas os jogadores em campo abusavam dos erros e a partida caminhava para o fim com toda pintada que teríamos pênaltis amis uma vez.

Só impressão. Aos 44 minutos, Sornoza percebeu o espaço que a defesa do São Paulo deu a Vagner Love, lançou perfeitamente e o camisa 9 pegou de primeira para marcar um golaço. O gol do título. O gol do Tri do Corinthians.

Daí para frente foi só festa do lado alvinegro e decepção aos são-paulinos. Só deu tempo para Clayson e Boselli desperdiçarem uma oportunidade inacreditável de marcar o terceiro gol corintiano. Nada que impedisse o título.

Agora, as duas equipes concentram atenções nos campeonatos Brasileiro e Copa do Brasil. O Timão ainda tem a Copa Sul-Americana como objetivo.

FICHA TÉCNICA
CORINTHIANS 2 X 1 SÃO PAULO

Local: Arena Corinthians, em São Paulo (SP)
Data: 21 de abril de 2019, domingo
Horário: 16h (de Brasília)
Árbitro: Raphael Claus
Assistentes: Danilo Ricardo Simon e Marcelo Carvalho Van Gasse
Quarto árbitro: Douglas Marques das Flores
VAR: Thiago Duarte Peixoto
VAR 1: Emerson Augusto de Carvalho
VAR 2: Rodrigo Guarizo Ferreira
Cartões amarelos: Fagner, Ramiro e Clayson (COR); Reinaldo (SPFC)
Público pagante: 46.481 pessoas
Público Total: 46903
Renda: R$ 5.014.884,00

GOLS:
Corinthians: Danilo Avelar, aos 31 minutos do 1T, e Vagner Love, aos 44 minutos do 2T.
São Paulo: Antony, aos 47 minutos do 1T

CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Manoel, Henrique (Pedro Henrique) e Danilo Avelar; Ralf e Ramiro; Pedrinho (Vagner Love), Sornoza e Clayson; Gustagol (Boselli).
Técnico: Fábio Carille

SÃO PAULO: Tiago Volpi; Hudson, Arboleda, Bruno Alves e Reinaldo; Luan, Jucilei (Léo) e Igor Gomes; Antony, Everton Felipe (Hernanes) e Everton (Willian Farias).
Técnico: Cuca

Ads – Rodapé Posts




Escalação
Ainda não há informações
Tec -
- Tec

Posse de bola

68%
32%
Corinthians
Santos
999
Corinthians

Passe

999
Santos
999
Corinthians

Finalização

999
Santos
999
Corinthians

Cruzamento

999
Santos
999
Corinthians

Desarme

999
Santos

Faltas

24
COR
×
15
SAN

Impedimentos

24
COR
×
15
SAN

Cartões amarelos

24
COR
×
15
SAN

Cartões vermelhos

24
COR
×
15
SAN

Estatísticas de jogadores

Corinthians

LAD
Fagner
LAD
Fagner
LAD
Fagner
LAD
Fagner
LAD
Fagner
LAD
Fagner

Santos

LAD
Fagner
LAD
Fagner
LAD
Fagner
LAD
Fagner
LAD
Fagner
LAD
Fagner
Estatísticas de jogadores