COPA DO MUNDO 2018 RÚSSIA

Na Copa do Mundo do Brasil, em 2014, o Japão foi goleado pela Colômbia por 4 a 1. Na manhã desta terça-feira, na estreia de ambas as seleções no Mundial da Rússia, o time asiático contou com a segunda expulsão mais rápida da história do torneio para se vingar com uma vitória por 2 a 1, em duelo disputado na Arena Mordovia, em Saransk.

Com o resultado, o Japão marca três pontos e divide a liderança do Grupo H com Senegal, que derrotou a Polônia por 2 a 1 no outro jogo da chave, em Moscou.

Pela segunda rodada da Copa do Mundo, Japão e Senegal duelarão pelo primeiro lugar do Grupo H no próximo domingo, às 12 horas, em Ecaterimburgo. No mesmo dia, às 15 horas, Colômbia e Polônia tentarão se reabilitar em Kazan.


O Jogo – Talvez nem o japonês mais otimista sonhava com um roteiro tão favorável à seleção de seu país no início da partida. Aos dois minutos, Osako saiu na cara do goleiro Ospina, que espalmou. No rebote, Kagawa bateu para o gol, mas viu a bola ser desviada intencionalmente pelo braço de Carlos Sánchez, que recebeu o cartão vermelho direto. Na cobrança do pênalti, Kagawa chutou no meio, rasteiro, e abriu o placar para o time asiático.

Em desvantagem numérica, a Colômbia tentou se reorganizar com a entrada do volante Barrios na vaga do meia Cuadrado e passou a apostar na jogada aérea para empatar. Aos 11 minutos, após bola levantada na área, Falcao García esticou a perna esquerda e exigiu defesa de Kawashima. Aos 33, em jogada parecida, o centroavante sul-americano voltou a parar no arqueiro nipônico.

Mas foi pelo chão que a Colômbia obteve o empate. Em disputa pelo alto, Falcao García ‘cavou’ falta perto da ponta direita da área. Aos 38 minutos, Quintero cobrou rasteiro, a bola passou por baixo da barreira e entrou no gol, mesmo com Kawashima alegando que ela não havia ultrapassado a linha. Acertadamente, o juiz validou o tento.

Como era de se esperar, o Japão começou tomando a iniciativa na etapa final. Aos oito minutos, após longa troca de passes, Osako recebeu dentro da área, girou sobre o zagueiro e bateu cruzado. Atento, Ospina caiu rápido para ficar com a bola. Pouco depois, o goleiro colombiano voltou a ser exigido ao praticar grande defesa em chute colocado de Inui.

Diante da pressão que sua equipe sofria, o técnico José Pékerman colocou James Rodríguez no lugar de Quintero. O seu colega Akira Nishino respondeu com a entrada do veterano Honda na vaga de Kagawa. O treinador japonês se deu melhor.

Aos 27 minutos, Honda cobrou escanteio pela esquerda, e Osako subiu mais alto do que os zagueiros colombianos para testar no canto direito, sem chances para Ospina. Na base do abafa, os sul-americanos chegaram com algum perigo em chute de James Rodríguez, mas não conseguiram buscar o empate, e os asiáticos celebraram sua primeira vitória no Mundial da Rússia.

FICHA TÉCNICA
COLÔMBIA 1 X 2 JAPÃO

Local: Arena Mordovia, em Saransk (Rússia)
Data: 19 de junho de 2018, terça-feira
Horário: 9h00 (horário de Brasília)
Árbitro: Damir Skomina (Eslovênia)
Assistentes: Jure Prapotnik (Eslovênia) e Robert Vukan (Eslovênia)
Cartão Amarelo: James Rodríguez (Colômbia); Eiji Kawashima (Japão)
Cartão Vermelho: Carlos Sánchez (Colômbia)
Gols:
COLÔMBIA: Juan Quintero, aos 38 minutos do 1º tempo
JAPÃO: Shinji Kagawa, aos 5 minutos do 1º tempo, e Yuya Osako, aos 27 minutos do 2º tempo

COLÔMBIA: David Ospina; Santiago Arias,  Dávinson Sánchez, Oscar Murillo e Johan Mojica; Jefferson Lerma, Carlos Sánchez, Juan Cuadrado (Wilmar Barrios), Juan Quintero (James Rodríguez) e José Izquierdo (Carlos Bacca); Falcao García
Técnico: José Pékerman

JAPÃO: Eiji Kawashima; Hiroki Sakai, Maya Yoshida, Gen Shoji e Yuto Nagatomo; Makoto Hasebe, Gaku Shibasaki (Hotaru Yamaguchi), Takashi Inui, Genki Haraguchi e Shinji Kagawa (Keisuke Honda); Yuya Osako (Shinjo Okazaki)
Técnico: Akira Nishino



Lateral francês contou causo curioso para exaltar seu ex-companheiro (Foto: Franck Fife/AFP)

O francês Patrice Evra, que foi companheiro de Cristiano Ronaldo na época de Manchester United, deu entrevista ao canal britânico ITV Sports, e contou alguns episódios que viveu com o seu ex-colega de time. Para falar sobre o profissionalismo do português, Evra deu um conselho curioso: “Se Cristiano te convidar para um almoço em sua casa, apenas diga que não”.

O lateral conta que uma vez, após um treino dos Red Devills, foi almoçar na casa de CR7, mas as coisas não saíram conforme o esperado. Isso pois o português seguia uma rotina muito regrada.

“Na mesa havia apenas salada, frango e água. Nada de refrigerantes. Começamos a comer e eu pensei que haveria carne depois, mas não…Ele terminou de comer, começou a brincar com uma bola e pediu que eu me juntasse à ele. Depois disso, falou para irmos para a piscina nadar…Digo para recusarem o convite porque ele é uma máquina, e não quer parar de treinar”, disse.

Além disso, o francês contou outro episódio, desta vez envolvendo o zagueiro Rio Ferdinand, dizendo também que não se surpreende com a obsessão que o atual melhor jogador do mundo tem para buscar mais bolas de ouro, e até mesmo para conquistar um título na atual edição da Copa do Mundo.

“Estávamos jogando ping-pong. Ferdinand ganhou todas e ficou gritando, e logo percebemos que Cristiano estava chateado. Depois disso, mandou seu primo comprar uma mesa, ficou treinando durante duas semanas em casa, e ganhou de Ferdinand na frente de todos…Isso é Cristiano Ronaldo, por isso não me surpreende que ele queira ganhar mais bolas de ouro, e que ele queira ganhar a Copa do Mundo”, completou.

 



A estreia ruim do Brasil na Copa do Mundo da Rússia, empatando com a Suíça de forma surpreendente, serviu para aumentar a confiança dos próximos oponentes da Amarelinha na primeira fase da competição. Pelo menos é o que mostrou o atacante Marcos Ureña, da Costa Rica, adversário dos brasileiros na segunda rodada do Grupo E.

“O grupo está com muita confiança. A Suíça conquistou um ponto, então os brasileiros não são invencíveis. Vamos com tudo para conquistar um bom resultado contra o Brasil”, afirmou o jogador, em coletiva de imprensa.

Contra a Sérvia, Ureña foi substituído no segundo tempo (Foto: Fabrice Coffrini/AFP)

Ureña ainda acredita que os comandados de Tite chegarão pressionados para o confronto, algo que deve facilitar o trabalho dos costarriquenhos em busca do resultado, até então considerado improvável.

“Esperávamos mais do Brasil, mas dá para ver que estão lidando com muita pressão. Vamos aproveitar. Eles têm que atacar e vão abrir espaços”, completou.

Brasil e Costa Rica duelam a partir das 9h (no horário de Brasília) de sexta-feira, em partida que será realizada em São Petersburgo. Enquanto os brasileiros dividem a segunda posição do grupo com a Suíça, com um ponto cada, os costarriquenhos, derrotados na estreia pela líder Sérvia, se encontram na lanterna, com nenhum ponto somado.

 



Carlos Sánchez, sentado, se tornou o colombiano mais rápido a ser expulso em Copas do Mundo (Foto: Filippo MONTEFORTE / AFP)

Com menos de três minutos de jogo, aos exatos 2 minutos e 56 segundos, o volante Carlos Sánchez colocou a mão na bola e saiu bem antes da derrota sofrida pela Colômbia diante do Japão, pelo placar de 2 a 1. Além de ter “atrapalhado” sua equipe, o jogador agora tem uma marca negativa na sua carreira: é o segundo atleta mais rápido a levar um cartão vermelho na história das Copas do Mundo.

A única marca que Sánchez não conseguiu “destronar”, foi a do lateral-esquerdo uruguaio José Batista, que no Mundial de 1986, disputado no México, foi expulso com apenas 54 segundos na partida diante da Escócia. O jogo, que era válido pela fase de grupos daquela Copa do Mundo, terminou em 0 a 0, mas a seleção do Uruguai teve muita dificuldade de segurar o placar após a saída do defensor.

No jogo entre Colômbia e Japão, o volante foi expulso ao tentar evitar o gol japonês, diferentemente do lance de Batista, quando deu um carrinho violento em uma jogada sem perigo no lado do campo. No duelo desta terça-feira, os japoneses fizeram uma bela jogada na entrada da área e tiveram a chance de marcar, já que o goleiro Ospina estava fora do gol. Mesmo com Sánchez evitando num primeiro momento, Kagawa marcou de pênalti em seguida. A Colômbia até conseguiu o gol de empate aos 38 minutos, em cobrança de falta de Quintero. Com a superioridade numérica, contudo, os japoneses eram melhores na partida, e fecharam a vitória por 2 a 1 com gol de Osako, de cabeça, aos 31 minutos do segundo tempo.

 



Neuer é o capitão da seleção alemã que tentará conquistar o pentacampeonato na Rússia (Foto: Patrik STOLLARZ/AFP)

A seleção alemã não estreou na Copa do Mundo da maneira que todos esperavam no último domingo, perdendo para o México por 1 a 0. Agora, os atuais campeões mundiais já estão com o alerta ligado. Capitão da equipe, o goleiro Manuel Neuer garantiu que o elenco está considerando os dois próximos jogos pela fase de grupos como verdadeiras finais.

Não bastasse a derrota inusitada para o México, a Suécia acabou vencendo a Coreia do Sul na outra partida do Grupo F, resultado que colocou ainda mais pressão na ‘Mannschaft’, que terá pela frente na próxima rodada, marcada para sábado, justamente os suecos.

“A partir de agora, todas as partidas que temos são finais. Os jogadores têm que mostrar que podem fazer, mas estamos convencidos de que podemos conseguir”, afirmou Manuel Neuer, capitão da seleção alemã.

“Reclamar do que aconteceu não vai mudar as coisas, todos sabemos disso. Temos que deixar para trás o mais rápido possível”, completou o goleiro do Bayern de Munique, que voltou a atuar recentemente após um longo período fora dos gramados em decorrência de uma lesão de uma lesão no pé esquerdo, que chegou, inclusive, a ser operado.





Jesse Lingard durante a partida contra a Tunísia, na última segunda-feira (Foto: Nicolas Asfouri/AFP)

O jogo entre Inglaterra e Tunísia, pelo Grupo G da Copa do Mundo, marcou o início da caminhada dos ingleses em busca de seu segundo título mundial. Para Jesse Lingard, no entanto, o peso da camisa não é só pelo país que ela representa, mas também por todos os antecessores de seu número: o 7.

Em suas redes sociais, o meia, que atualmente joga pelo Manchester United, postou uma sequência de jogadores que já vestiram esta combinação pela seleção inglesa. Alan Ball, Bryan Robson, Keegan e Bechkam foram os homenageados da vez.

“Ontem à noite foi um dos momentos mais marcantes da minha vida. Número 7 da Inglaterra em uma Copa do Mundo! Ball, Robson, Keegan, Bechkam… Lendas”, disse o craque na publicação.

A Inglaterra venceu a Tunísia por 2 a 1 com dois gols de Harry Kane, jogador do Tottenham. Na próxima rodada, os ingleses encaram o Panamá, no domingo, às 9h (de Brasília).



Renato Augusto entrou no decorrer do jogo contra os suíços e foi elogiado por Tite (foto: Pascal Guyot/AFP)

Antes mesmo de a Seleção Brasileira estrear na Copa do Mundo da Rússia com um frustrante empate por 1 a 1 com a Suíça, no domingo, na Arena Rostov, o técnico Tite já havia ressalvado que poderia fazer mudanças na sua formação para a sequência do torneio. A ideia ganhou força em função do desempenho da equipe na primeira rodada do grupo E.

Um dos cotados a ganhar espaço é justamente um jogador que estava em baixa. Atuando em um futebol menos exigente – defende o Beijing Guoan, da China –, o meia Renato Augusto se apresentou à Seleção Brasileira em piores condições do que os seus companheiros. O ex-jogador do Corinthians compensou a defasagem com uma sobrecarga de treinamentos, contraiu uma inflamação no joelho esquerdo e acabou poupado dos amistosos contra Croácia e Áustria.

Diante da Suíça, porém, Renato foi a campo no segundo tempo, substituindo o volante Paulinho, e melhorou a articulação ofensiva da Seleção Brasileira. Foi dele, por exemplo, o passe para o centroavante Gabriel Jesus no lance em que o time nacional reclamou de pênalti no ex-palmeirense, por agarrão de Akanji.

“O Renato é um articulador, e o Paulo não estava no seu melhor dia. Trouxe um pensador para a equipe, até com a possibilidade de ele trocar de lugar com o Coutinho”, comentou Tite, que sentia necessidade de convocar mais um atleta com essas características antes da Copa. Os meias Diego, Rodriguinho e Lucas Lima, porém, acabaram preteridos na lista brasileira.

Renato Augusto é uma opção para a armação central de jogadas do Brasil (Tite também testou o volante Fernandinho no posto, sem sucesso), utilizada no início do trabalho do treinador. A entrada dele poderia custar a vaga de Willian, isolado e inoperante na ponta direita contra a Suíça, entre os titulares.

O meio-campo não é o único setor que gera dúvidas. No comando ofensivo, Tite tem gostado de ver Roberto Firmino na vaga de Gabriel Jesus. A troca foi feita também no decorrer da partida de estreia. “O Firmino está muito bem, apesar de o Gabriel se movimentar, ter confiança”, disse o treinador.

A outra alteração feita por Tite contra a Suíça foi a do volante Casemiro por Fernandinho. O primeiro deles, contudo, é titular absoluto do Brasil. “O Casemiro tinha tomado um cartão amarelo. Não substituo um atleta só por isso, porém ele fez momentos perigosos em seguida, dando carrinhos”, explicou. “Os três que entraram, para mim, foram bem. O Fernandinho entrou em um momento difícil, e o Renato pode dar ainda mais porque está em um processo de retomada”, indicou.

Seja como for, a escalação da Seleção Brasileira para a segunda rodada do grupo E da Copa do Mundo da Rússia ainda está indefinida. Tite deverá mostrar nos próximos dias quem entrará em campo contra a Costa Rica, na manhã de sexta-feira, em São Petersburgo.