Judô/ Mais Esportes

Rafaela Silva diz estar ‘limpa’ e ter contraído contaminação no contato com criança

São Paulo , SP
20/09/2019 17:37:22 — 20/09/2019 18:12:24

Em: Brasil, Jogos Pan-Americanos, Mais Esportes, Notícias, Olimpíadas 2020

Depois de ser pega no exame antidoping, Rafaela Silva se pronunciou pela primeira vez sobre o ocorrido. A judoca diz ter contraído fenoterol de forma inconsciente.

Atual campeã olímpica e pan-americana, a carioca testou positivo para o uso da substância proibida fenoterol, que tem efeito broncodilatador, geralmente usado em tratamentos contra doenças respiratórias. O exame foi realizado no dia 9 de agosto, antes da conquista do ouro pan-americano.

A justificativa de Rafaela foi sobre a sua proximidade com Lara, a filha de Flávia Rodrigues, outra judoca que treina junto dela no Instituo de Reação, que faz o uso da substância justamente por ter asma. Segundo ela, o contato teria havido cinco dias antes da decisão.

“Eu não faço uso dessa substância, não tenho asma, não tenho nada. Quando fiquei sabendo dessa notícia, fiquei pensando todos os dias o que eu tinha feito, o que podia ter acontecido. A única pessoa que fez uso dessa substância foi a Lara, que treina no Instituto Reação. Eu tenho mania de dar meu nariz para a criança chupar. Conforme ela vai chupando meu nariz, eu vou inalando as substâncias que ela manda para o meu corpo”, comentou.

“Nenhum atleta se prepara para um momento como esse. Estou aqui para dar a minha cara a tapa. Fiz os testes, estou limpa. É continuar treinando, competindo e provar minha inocência”, completou.

(Foto: AFP)

O fenoterol não é uma substância proibida pela Wada (Agência Mundial Antidoping), mas sim especificada. Na última quinta-feira, membros da organização dos Jogos Pan-Americanos se reuniram para discutir o caso. Na próxima semana, se juntarão novamente para definir se a brasileira perderá ou não a medalha dourada.

Rafaela Silva ainda foi perguntada se temia ficar de fora dos Jogos Olímpicos do ano que vem, em Tóquio, e respondeu estar bem tranquila quanto a isso. “Eu ainda tenho algumas competições, como o Bichara (Neto – advogado) falou. Não estou suspensa. Tenho o Grand Slam de Brasília, Mundial Militar, em outubro. World Master, com os melhores da temporada. São competições importantes, valem a classificação olímpica. Eu tenho 27 anos. Se acontecer o pior, não vou falar para você que eu posso treinar para 2024 porque sabemos como o judô é. Não passou pela minha cabeça ainda (ficar fora da Olimpíada). Não tenho nada a esconder, vou continuar competindo e provar a minha inocência”, finalizou.