São Paulo bate recorde de cruzamentos em meio à falta de criatividade no ataque

Marcelo Baseggio - São Paulo,SP

10/02/22 | 05:00

O São Paulo bateu nesta quarta-feira seu recorde de cruzamentos no Campeonato Paulista. Sem criatividade para chegar ao gol do Santo André, que jogou bastante fechado, o Tricolor alçou a bola na área adversária 42 vezes, acertando apenas 13 das tentativas.

Antes, o recorde de cruzamentos do São Paulo em uma só partida deste Paulistão havia sido contra o Ituano, também no Morumbi. Na ocasião, o Tricolor enfrentou o mesmo problema desta quarta-feira, a retranca adversária, cruzando 32 bolas na área rival.

“Nós alçamos muitas bolas na área, tivemos vantagem em muitas delas. No final do primeiro tempo tivemos três cabeceios consecutivos raspando a trave. A gente tem conseguido preencher a área. Quando uma equipe vem jogar contra nós com uma linha defensiva lá embaixo, conseguimos criar opções fazendo balanço, tentando chegar pelos lados de campo. Não jogamos com um meia criativo. Pelos lados as alternativas são maiores que por dentro”, comentou Rogério Ceni.


Vale lembrar que nos jogos fora de casa, contra Guarani e Red Bull Bragantino, o São Paulo também somou um alto número de cruzamentos. Em ambas as ocasiões o time comandado por Rogério Ceni alçou 28 bolas na área, mas pelo menos conseguiu balançar as redes através destas jogadas em cabeceios de Calleri.

“Quando rendermos mais, quem sabe a gente não consiga chegar também por dentro. Hoje levamos vantagem em muitas bolas cruzadas. É o espaço que temos encontrado nos jogos, principalmente no Morumbi. A não saída do gol, quando você vai adiando o gol, logicamente você fica mais ansioso e vai tentando as jogadas pelo lado de campo. Se o gol saísse mais cedo, talvez houvesse mais espaço para a gente jogar”, completou o treinador.

Apesar do número excessivo de cruzamentos, Rogério Ceni acredita que o São Paulo não fez uma partida ruim contra o Santo André. O melhor jogo do time na temporada segue sendo contra o Red Bull Bragantino, em que curiosamente o Tricolor saiu derrotado, mas nem tudo o que foi produzido nesta quarta-feira, no Morumbi, é de se jogar fora.

“Eu gosto de um time que jogue bem, seja competitivo, forte fisicamente, tenha sempre o controle do jogo. Não acho que o time jogou muito mal. Não fez sua melhor partida, não jogou tão bem contra o Bragantino, agora melhoras são necessárias para passar para a próxima fase, tem Copa do Brasil chegando. O time ainda não está rendendo o que eu esperava, o que os próprios jogadores esperavam, o que o torcedor esperava. Mas, ter jogado um péssimo jogo eu não acredito”, concluiu.

Deixe seu comentário