De volta ao time titular, Pato ressalta: “Fazer o que o professor pede”

São Paulo, SP

30-01-2020 10:00:54

Alexandre Pato mostrou a Fernando Diniz que pode, sim, ser uma opção interessante no ataque do São Paulo Substituindo Helinho nesta quarta-feira contra a Ferroviária, o atacante do São Paulo não balançou as redes, mas protagonizou as principais chances da vitória da sua equipe por 2 a 1, de virada, em Araraquara.

Na Arena Fonte Luminosa, Pato iniciou a partida atuando como “9”, com Pablo deslocado para a ponta direita. Apesar disso, no decorrer da partida os jogadores de frente trocaram bastante de posição, dificultando a vida dos zagueiros da Ferroviária e unindo a versatilidade ao improviso.

“Independentemente de onde jogar, estou disposto a fazer aquilo que o professor quer. Hoje comecei pela direita, depois fui para o meio e parei na esquerda. Acho que não tem que ter uma posição fixa mesmo, o esforço e a vontade de estar sempre se movimentando, buscando a bola, faz a gente ter oportunidades”, afirmou Pato.


“Agradeço ao Diniz, porque é um cara que tem me mostrado alguns momentos, lances, que eu ainda não tinha visto. Tenho trabalhado para a equipe, para ele. Todos esperam o gol, mas o goleiro defendeu, a outra pegou na trave. A próxima vai entrar”, completou Pato.

Bastante questionado neste início de ano pela falta de produtividade e por ter perdido a disputa pela vaga deixada por Antony no ataque, Pato justificou o desempenho abaixo das expectativas com a falta de preparação no ano passado e o longo tempo que ficou sem jogar uma partida oficial – foram quase seis meses afastado dos gramados entre sua saída do Tianjin Tianhai e a chegada ao São Paulo.

“Neste começo de temporada pude fazer uma pré-temporada, tenho conversado bastante com o professor. Tenho certeza que esse ano vai ser muito diferente. No momento certo, o gol vai chegar. Estou entendendo que tem que correr muito, estou feliz pelo Pablo, que esse ano seja um ano sem lesões”, pontuou.

“Voltei para o São Paulo porque tenho vontade de ganhar, o torcedor são-paulino me abraçou. Essa minha volta é muito por eles. O grupo é muito legal. Tudo o que vou fazer é por eles, vou me dedicar ao máximo. A gente trabalha muito, viemos para cá, ficamos longe da família, a temperatura estava muito alta no primeiro jogo. Vamos lutar e nos doar ao máximo”, concluiu.

Deixe seu comentário


×
Quer receber notícias do São Paulo?