De olho no Verdão, Hudson alerta para proximidade à zona de rebaixamento

São Paulo, SP

04/09/16 | 09:25 - 04/09/16 | 09:38

O volante Hudson admite preocupação com proximidade do Tricolor à zona de rebaixamento (Foto: Fernando Dantas/Gazeta Press)
O volante Hudson admite preocupação com proximidade do Tricolor à zona de rebaixamento (Foto: Fernando Dantas/Gazeta Press)

Apesar de ocupar o 11º lugar entre os 20 times do Campeonato Brasileiro, o São Paulo se atenta mais à parte debaixo da tabela do que a de cima. Passadas 22 rodadas, o clube do Morumbi soma 28 pontos, apenas quatro a mais que o Internacional, 17º colocado e primeira equipe dentro da zona de rebaixamento. Por isso, o volante Hudson admite a preocupação e pede atenção com o descenso à Série B, algo que jamais ocorrera na história tricolor.

“A gente tem preocupação, sim, com a zona de rebaixamento, porque estamos a quatro pontos. Não pode se descuidar. O São Paulo está acostumado a brigar lá em cima. A gente tem esse pensamento, mas não pode se descuidar lá em baixo”, alertou o meio-campista são-paulino.

A primeira oportunidade para o time comandado por Ricardo Gomes reagir no Brasileirão é o clássico contra o Palmeiras, na próxima quarta-feira, no Palestra Itália. Diante desse cenário, a comissão técnica fechou os treinos da última semana para blindar o elenco tricolor. Sobre o Choque-Rei, Hudson vê a chance de o São Paulo recuperar a confiança que lhe faltou nos últimos jogos.

‘A gente está em um momento de superação, de problemas externos, de se adaptar ao que o Ricardo passa para a gente. Vamos enfrentar uma equipe que vive uma grande fase e nos tem faltado essa confiança”, avaliou, apegando-se à boa atuação do time no empate por 1 a 1 com o Corinthians, em Itaquera, para acreditar em um resultado positivo no estádio do líder do campeonato, onde o Tricolor amargou duas derrotas em dois jogos (3 a 0, no Campeonato Paulista, e 4 a 0, pelo Brasileiro, de 2015).

“Contra o Corinthians, a gente sempre teve muita dificuldade em Itaquera e jogamos de igual para igual lá. Então, a gente pode fazer isso. É difícil prometer, mas empenho não vai faltar. Vamos fazer de tudo para que a gente volte a atuar bem”, garantiu o volante, na esperança de que o São Paulo volte do Palestra Itália com uma autoestima superior à do momento atual.

“Vai dar uma confiança a mais, mas estamos trabalhando para fazer de igual para igual. Se o resultado vier e for positivo, maravilha. Vamos ter mais ânimo ainda”, concluiu.

Deixe seu comentário