Gazeta Esportiva

Chávez quer evoluir após fim de seca e não se abala com gritos por Fabuloso

Edoardo Ghirotto - São Paulo,SP

09/11/16 | 12:00 - 09/11/16 | 12:44

O argentino Andrés Chávez, jogador do São Paulo FC, durante entrevista coletiva após o treino no CCT da Barra Funda, na Zona Oeste da capital paulista.
O argentino Chávez disse que o fim da seca de gols é um impulso para o final deste ano (Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press)

O fim da seca de dez jogos sem marcar gols pelo São Paulo deixou o centroavante Andrés Chávez motivado para o final da temporada. Sem se abalar com os gritos de torcedores que pediam o retorno de Luis Fabiano na goleada por 4 a 0 contra o Corinthians, o argentino quer aproveitar o fim do jejum para melhorar o nível das atuações nas últimas quatro partidas do ano.

Chávez havia balançado as redes pela última vez no dia 11 de setembro, na vitória por 3 a 1 diante do Figueirense, no Morumbi. O alívio veio só no último dia 5, após Chávez aproveitar assistência de Cueva para superar o goleiro Cássio, aos 21 minutos do segundo tempo. O gol do argentino foi o terceiro no triunfo obtido contra o arquirrival.

"Foi bastante duro esse período sem gols, porque não tinha ficado tanto tempo sem marcar antes. A cabeça joga contra e você perde a confiança, mas sempre tive a esperança de que iria marcar. Estava jogando e criando oportunidades, então sabia que em algum momento o gol sairia. Fico feliz por ter marcado contra o Corinthians, porque é um impulso a mais para mim", disse o jogador, nesta quarta-feira.

Antes de desencantar, no entanto, Chávez havia perdido ao menos duas chances claras de gol. A impaciência com o argentino fez parte da torcida são-paulina gritar o nome de Luis Fabiano, que rescindiu com o Tianjin Quanjian-CHN e está sem clube. A manifestação, segundo Chávez, é perfeitamente normal e não traz nenhum incômodo.

"O nome do Luis Fabiano é muito reconhecido por aqui. Eu não me comparo, não gosto nunca de me comparar. Seria o mesmo que me comparar ao [Martín] Palermo durante o período que joguei pelo Boca Juniors. O Luis Fabiano tem uma história e fez muitíssimos gols. Estou feliz com a oportunidade de estar aqui. Estava em uma má fase que achei que não acabaria. E por sorte se encerrou. Espero conseguir marcar mais vezes", afirmou o atacante.

Gol foi para Lugano - Ao falar sobre o fim da seca, Chávez aproveitou para expressar gratidão a Diego Lugano. O jogador revelou que o uruguaio lhe dirigiu diversos incentivos após as duas chances perdidas no clássico. Quando enfim balançou a rede, o atacante procurou fazer uma homenagem ao zagueiro, que estava no banco de reservas.

"Pensei muito antes do clássico. Eu queria muito encerrar a má fase nesta partida. E por sorte consegui o gol na minha terceira chance. O Lugano me disse que era para comemorar se eu marcasse. Ele estava no banco, mas vive o jogo de uma forma muito intensa. Ele ficou louco com o meu gol", contou.

A próxima chance de Chávez com a camisa do São Paulo virá no dia 17, na partida contra o Grêmio, no estádio do Morumbi. O atacante é um dos nomes cotados pelo técnico Ricardo Gomes para iniciar o duelo como titular. O Tricolor ocupa a 12ª posição no Campeonato Brasileiro e soma 45 pontos - seis a menos do que o Atlético-PR, atual sexto colocado.

Deixe seu comentário