Chavez admite ter se surpreendido com má fase tricolor: "Não esperava"

José Victor Ligero - São Paulo,SP

11/10/16 | 18:01 - 11/10/16 | 20:32

A três pontos da zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro, o São Paulo surpreendeu de maneira negativa o atacante Andres Chavez em sua chegada ao clube brasileiro, em julho deste ano. Ciente da história vitoriosa do Tricolor, o argentino não esperava brigar contra o descenso na reta final da temporada.

“Na verdade me surpreendi. Quando tomei a decisão de vir para esse clube, sabia que era muito grande no Brasil. E me encontrei com um grande clube, mas não esperava isso, sempre espera-se coisas boas. A história do clube se fala de muitos títulos. Mas tenho de me adaptar, e tomara que a gente consiga reverter essa má situação”, admitiu o camisa 9 em entrevista coletiva concedida após o treinamento fechado desta terça-feira à tarde.

Questionado se já havia passado por um momento como esse anteriormente na carreira, Chavez citou uma situação quando defendia o Banfield, da Argentina, ainda antes de ser adquirido pelo Boca Juniors.

Andres Chavez teve uma surpresa ruim ao chegar no São Paulo, em julho (Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press)
Andres Chavez teve uma surpresa ruim ao chegar no São Paulo, em julho (Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press)

"Passei quando estive em Banfield. Não imagina essa situação no Boca. Sempre disputamos coisas grandes. E obviamente quando fica jogos sem ganhar, a torcida fica revoltada. Aqui a diretoria está tentando solucionar os problemas. Não quero comparar as situações. Claro que ninguém aqui quer ver o clube assim. Temos de tentar olhar para frente, ser positivo e conseguir uma primeira vitória para conseguir os pontos para ficar em cima", clamou o argentino, emprestado pelo Boca Juniors até julho do ano que vem.

A desejada primeira vitória de Chavez pode vir no duelo contra o Santos. O argentino falou sobre o retrospecto negativo do Tricolor em clássicos neste ano (uma vitórias, dois empates e quatro derrotas), mas ressaltou que esse tipo de partida tem o poder de mudar os ares no Morumbi.

"Eu joguei vários clássicos na Argentina. Aqui com o Palmeiras também. São diferentes os clássicos. É uma situação rara, ninguém quer ver a equipe nessa situação. Mas todo mundo sabe que São Paulo é grande, pode estar à altura de qualquer um. Tomara que possamos reverter uma situação dessas, e é uma linda oportunidade para começar contra o Santos", concluiu.

A nove rodadas para o término do Campeonato Brasileiro, o São Paulo ocupa o 14º lugar, com 36 pontos, apenas três a mais que o Internacional, primeira equipe dentro da zona de rebaixamento. O Peixe, por sua vez, aparece na parte de cima da tabela, na quarta posição, com 51 pontos. O San-São está marcado para esta quinta-feira, às 21 horas (de Brasília), no Pacaembu, com mando tricolor.


Deixe seu comentário