Futebol/Bastidores

Ataíde admite ter entregue a Leco gravação com denúncias contra Aidar

Edoardo Ghirotto e Tomás Rosolino - São Paulo , SP
27/10/2015 22:41:46 — 27/10/2015 23:04:20

Em: Bastidores, Brasileiro Série A, Futebol, São Paulo
O presidente eleito  Carlos Augusto de Barros e Silva e Ataide Gil Guerreiro durante eleições para presidente do São Paulo FC, no estádio do Morumbi,em Sao Paulo ,SP 27/10/2015 Foto:Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Vice de futebol (dir.) prestigiou eleição de Leco na noite desta terça-feira (Foto: Sergio Barzaghi/Gazeta Press)

O vice-presidente de futebol do São Paulo, Ataíde Gil Guerreiro, declarou nesta terça-feira que entregou ao novo presidente do clube, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, a gravação em que Carlos Miguel Aidar admite desviar uma quantia em dinheiro referente à negociação de um jogador. “Está entregue. Vamos apurar até o fim”, afirmou Ataíde, após assistir ao discurso de posse de Leco no Salão Nobre do estádio do Morumbi.

Ataíde, que disse não ter mais conversado com Aidar desde a briga em que desferiu um soco no rosto do ex-presidente, negou que o São Paulo optará pelo arquivamento das denúncias. “Não existe isso de pizza. Se fosse deixar acabar em pizza, eu não faria tudo que fiz até agora. Fiz um papel não comum ao que eu faço normalmente e quero levar isso até o fim”, afirmou.

“O final é a apuração de todas as irregularidades que aconteceram. Punição depende do Conselho Deliberativo, essa não é minha decisão. Minha decisão foi mostrar que isso existia. Essa era a minha obrigação”, acrescentou o dirigente.

O vice-presidente havia sido exonerado de seu cargo por conta da briga com Aidar, mas foi trazido de volta ao clube por Leco após o ex-mandatário formalizar sua renúncia no último dia 13. A expectativa de Ataíde é seguir no cargo com a condução de Leco à presidência efetiva. “Se ele não me demitir, eu estarei lá”, concluiu.

O presidente eleito também garantiu que irá levar as denúncias contra Aidar até o final. “Recebi a gravação e entreguei-a ao presidente do comitê de Ética (Wilton Parreira). Vamos até o final, não vamos condescender com quem lesou o clube”, disse. “Sei muito pouco sobre o caso, quem tem de falar mais sobre isso são as pessoas que vão investigá-lo”, completou.




×
Quer receber notícias do São Paulo?