Alexandre Gallo comenta saída do São Caetano e situação do clube: "Vergonhoso"

Pedro Guedes - São Paulo,SP

09-11-2020 14:49:50

Nesta segunda-feira, o convidado especial da live da Gazeta Esportiva foi o treinador Alexandre Gallo. O experiente técnico conversou sobre diversos assuntos, entre eles o São Caetano, clube que treinou em 2020. Apesar do título da Série A2, as condições de trabalho no Azulão eram péssimas. O comandante contou primeiro como foi a chegada ao time.

“Eu fui fazer esse trabalho convidado pelo doutor Saul Klein e o pelo Paulo Pelaipe. Queria muito trabalhar com o Paulo, sei da sua seriedade. Mas depois da paralisação por conta da pandemia ele acabou tendo um confronto com o Dr. Saul e acabou saindo. Isso atrapalhou um pouco, mas ele ajudou muito na montagem do elenco”. 

 

Ver essa foto no Instagram

 

Apresentação: @pedroguedao e @rafaelrsilva__ Participação especial: @alexandregallooficial

Uma publicação compartilhada por Gazeta Esportiva (@gazetaesportiva) em

Apesar de toda a expectativa e as promessas de um bom ambiente, as coisas mudaram rapidamente, tornando quase impossível que o trabalho se desenvolvesse no clube. Os salários atrasados e as constantes vendas aumentam a desorganização, fazendo com que o elenco tenha tomado um W.O propositalmente após a saída do treinador. Gallo contou como tudo aconteceu e as complicações vividas no Azulão.

“Eu não imaginava passar por tantas dificuldades como foì para ganhar esse título. Nunca passei por uma dificuldade tão grande quanto essa. Neste período após a paralisação o clube foi vendido para pelo menos uns quatro grupos, então era uma bagunça danada. Entravam dois, três caras, saiam, não acertavam nada. E nós tivemos que nos entender com um grupo de trabalho e os atletas. Todos com quatro meses de salários atrasados, péssimas condições de trabalho, jogadores sendo despejados de casa, então foi um momento bem complicado. Mas conseguimos ter o acesso, que vale para o clube 8 milhões pensando no ano que vem, mais 1 milhão pela Copa do Brasil. Acho que para o clube deixamos um legado importante. Mas infelizmente passamos por uma situação que não esperávamos, mas foi um grande aprendizado”. 

O treinador também contou que esperava ter uma continuidade, com um grande projeto. Entretanto, as mudanças e os problemas fizeram com que isso não fosse possível. Hoje o São Caetano vive mais um péssimo momento, e Alexandre Gallo definiu o momento com um adjetivo forte, explicando também sua saída.

“É vergonhoso. Um time que já foi vice-campeão da Libertadores e do Brasileiro, campeão Paulista. A gente não esperava que isso fosse acontecer, essa reviravolta política. Realmente frustrou todo mundo. A gente esperava uma continuidade, uma reconstrução e remontagem do clube, foi isso que foi vendido tanto para mim quanto para o Paulo Pelaipe. A gente lamentou muito. Minha saída foi por isso. Já avisei depois da final que eu estava saindo porque não tinha condições de estar com o clube ali. Já tinha tirado o máximo de cada atleta. Mas não tinha como continuar, o clube não honrava com absolutamente nada. Se não fosse o Dr. Saul Klein, que pagava viagem, alimentação, estadia, eu nem sei como seria. Não tinha o que fazer”. 

Deixe seu comentário