Gazeta Esportiva

Sem poder trazer João Chico ao Brasil, Santos prepara documentário

Lucas Musetti Perazolli - Santos,SP

06/11/18 | 14:25

João recebe a camisa das mãos de ídolos do Santos (Reprodução)

O Santos levou os ídolos Edu e Lima ao encontro de João Chico e gostaria de trazê-lo do Moçambique para o Brasil. A falta da documentação necessária, porém, inviabiliza a ideia. Outro problema é o local onde vive o garoto de cinco anos, a quase 300 km de distância da cidade de Beira. Por conta das condições ruins da estrada, ele precisou viajar por cerca de 20 horas para encontrar a comunidade visitada pelo Peixe e a ONG Missão África. Mais um fator é o desconhecimento do português. O dialeto utilizado chama-se "Sena".

Sem poder trazer João para perto do seu torcedor, o Alvinegro prepara um documentário por meio da Santos TV. Os cinegrafistas Bruno Santoni e Jefferson Ferraz viajaram com os equipamentos do clube e um drone. São três dias de gravação nas comunidades de Moçambique. Não há previsão de lançamento, mas a edição deve ser iniciada a partir de dezembro, no fim do Campeonato Brasileiro.

Um dos episódios do documentário será a partida entre jovens da escola de futebol da comunidade - João Chico é um dos alunos. O Santos levou 60 uniformes oficiais e um especial para o garoto da foto viral da camisa surrada e a bola de retalhos. Edu e Lima entregaram a homenagem nesta terça-feira.

A fotografia foi feita pela embaixadora Rafaella Kalimann, da ONG. Ela e os fundadores do projeto serão ouvidos no filme produzido pelo Peixe. Antes, o Alvinegro ajudou a iniciativa com quase R$ 40 mil, referente ao valor arrecadado nos jogos contra Palmeiras e Flamengo, pelo Campeonato Brasileiro. Cada torcedor presente rendeu R$ 1 para a organização.

Jogo entre garotos da comunidade de Moçambique (Reprodução)

Deixe seu comentário