Futebol Internacional

Ex-presidente do Real revela relação ruim entre Florentino Perez e CR7

São Paulo , SP
15/03/2019 16:31:31

Em: Bastidores, Futebol, Futebol Internacional, Real Madrid

Depois da eliminação do Real Madrid e o show de Cristiano Ronaldo pela Juventus na Liga do Campeões, começaram a pipocar as mais variadas críticas ao atual presidente merengue, Florentino Perez. Uma pessoas que veio a público comentar sobre o caso foi o ex-presidente do clube, Ramón Calderón.

Em entrevista ao programa Ídolos, Calderón recordou como foi a contratação de Cristiano Ronaldo junto ao Manchester United em 2009 e não poupou detalhes – não muito bons para Florentino Perez, que quando chegou à presidência, se deparou com a negociação já fechada pelo seu antecessor.

“Cristiano queria muito trocar (de clube), queria vir para o Real Madrid. O motivava muito vir para cá, porque o clube lhe daria muito desde o ponto de vista pessoal, até ganhar mais títulos e triunfar aqui. Também queria reconhecimento, Bolas de Ouro (as quais conseguiu). Foi um ano e meio de negociações duras, mas o Manchester enfim acertou a oferta. Para mim, foi um alívio que Florentino tenha concretizado a contratação e não renunciado a ela, já que antes de fechar com o Real, ele tinha dito que Cristiano era supervalorizado”, começou contando.

Cristiano Ronaldo ficou nove anos no Real Madrid (Foto: AFP)

“Cristiano ficou sabendo disso e até disse que renunciava aos 30 milhões de euros (cláusula que o clube precisaria pagar caso não completasse a negociação). Não entendi como Florentino podia duvidar dele e aí começou um desencontro que durou nove anos”, continuou.

Por fim, o ex-mandatário merengue relatou outros desentendimentos entre Perez e Cristiano, pontuando que a relação entre eles foi ruim desde o incio. “Foi ruim desde o princípio, porque quem contratou ele fui eu. Os presidentes estão de passagem e os jogadores quem contrata é o Real Madrid. Florentino aproveitou que estava no cargo e acabou assinando (o contrato). A partir daí, a relação foi ruim”.

“Cristiano pedia um aumento porque achava que o merecia e porque via que o Real estava disposto a gastar, e tinha o pedido negado. Depois, Crisitano disse que se não lhe dessem o aumento, procuraria outra solução e o presidente disse ‘traz 100 milhões de euros que você vai”, pensando que ninguém pagaria isso por ele aos 33 anos. E em março chegaram os 100 milhões e Florentino não pôde voltar atrás, que resulta em uma perda que já vimos o quão triste foi. O problema do Real Madrid é que seu presidente se chama Florentino Perez”, concluiu.