Futebol/Paris Saint-Germain

Neymar e Thiago Silva negam recebimento de bônus por ética no PSG

São Paulo , SP
10/11/2018 09:56:57

Em: Futebol, Futebol Francês, Futebol Internacional, Paris Saint Germain

As informações divulgadas na última sexta-feira pelo Football Leaks, afirmando que os atletas do Paris Saint-Germain recebem um “bônus por ética” para aplaudirem os torcedores antes e depois das partidas, irritaram as estrelas brasileiras do clube francês. Pelas redes sociais, tanto Thiago Silva quanto Neymar negaram o que foi veiculado e criticaram a imprensa pela propagação do que dizem ser “fake news”.

O primeiro a se manifestar foi o defensor, que utilizou o Instagram para rechaçar de forma veemente a divulgação do recebimento da quantia extra por parte do clube para saudar os presentes nos jogos do time. Thiago publicou uma notícia do jornal português Record sobre o assunto e escreveu: “Fake News”. Neymar, que republicou o post, ainda completou: “Já virou rotina”.

Veja também: Neymar e colegas do PSG recebem “bônus” por aplaudir torcedores, diz jornal

Neymar criticou a imprensa por divulgação de notícias que diz serem falsas (Foto: Geoffroy VAN DER HASSELT / AFP)

O camisa 10 do PSG, além disso, aproveitou para comentar em outra publicação na qual criticou o papel realizado por grande parte da imprensa “mal-intencionada”, se disse cansado e afirmou que é necessário muita paciência para suportar notícias deste tipo. “Não sei quem é pior, a fonte ou vocês que repostam. Bando de idiota mal informado! Cansado dessa imprensa mal intencionada. Obrigado, Deus, por cada litro de paciência que me destes!”, escreveu.

De acordo com as informações divulgadas pelo Football Leaks e publicadas pelo programa francês Envoyé spécial, Neymar teria direito a receber anualmente 375 mil euros (cerca de R$ 1,6 milhão) por saudar e aplaudir a torcida antes e depois das partidas. Além disso, estaria destinado ao craque mais 2,5 milhões de euros (R$ 10,65 milhões) para não criticar o técnico do time e outros 2 milhões (aproximadamente R$ 8,4 milhões) em caso de nomeação entre os três finalistas da Bola de Ouro.

Ainda segundo a publicação, Mbappé teria o segundo maior “bônus ético” do clube, recebendo cerca de R$ 495 mil para saudar os fanáticos. Para atletas como Daniel Alves, Di Maria e Cavani, a quantia seria de R$ 296 mil, enquanto para Thiago Silva o valor seria equivalente a R$ 140 mil.

Em comunicado oficial, o Paris Saint-Germain se defendeu das acusações e explicou o que é o “bônus de ética”, afirmando que se trata de “sistema que visa enfatizar o peso e a importância da instituição como um todo”. Além disso, ressalta que “o objetivo é pedagógico em torno dos valores que o clube pretende incorporar”.