Gazeta Esportiva

Palmeiras vê "ataques irresponsáveis" contra Abel e promete tomar medidas judiciais

São Paulo, SP

Publicação 30/01/23 | 20:25 - Atualização 31/01/23 | 00:26

Por meio se seu perfil no Twitter, o Palmeiras na noite desta segunda-feira repudiou o que chamou de “ataques irresponsáveis” por parte de alguns jornalistas contra o técnico Abel Ferreira. O clube alviverde ainda avisou que pretende tomar medidas judiciais sobre o assunto.

Com uma vitória por 4 a 3 sobre o Flamengo, o Palmeiras conquistou a Supercopa do Brasil na tarde do último domingo, em Brasília. Durante o segundo tempo, insatisfeito com uma decisão da arbitragem, Abel acabou expulso por reclamação pelo árbitro Wilton Pereira Sampaio.

Antes de receber o cartão vermelho, o treinador português, irritado, chutou um microfone posicionado na beirada do campo. A cena no Estádio Mané Garrincha suscitou uma série de críticas ao comportamento de Abel Ferreira – algumas, contestadas pelo Palmeiras.

“A Sociedade Esportiva Palmeiras repudia, mais uma vez, os ataques irresponsáveis direcionados ao técnico Abel Ferreira por alguns jornalistas descompromissados com a isenção e o respeito”, diz texto publicado pelo clube alviverde por meio de seu perfil no Twitter.

“É inaceitável que um treinador de insuspeita integridade seja associado a qualquer forma de violência, quanto mais a uma pessoa condenada por homicídio”, diz a nota. O Palmeiras, possivelmente, faz alusão ao goleiro Bruno, condenado por homicídio triplamente qualificado e citado por um comentarista ao falar sobre Abel.

“O clube e o técnico tomarão as medidas judiciais cabíveis”, encerra a nota publicada pelo Palmeiras. Às 21h35 (de Brasília) desta quarta-feira, pela quinta rodada do Campeonato Paulista, o time treinado por Abel Ferreira entra em campo para enfrentar o Mirassol, como visitante.

Confira a nota do Palmeiras na íntegra:

"A Sociedade Esportiva Palmeiras repudia, mais uma vez, os ataques irresponsáveis direcionados ao técnico Abel Ferreira por alguns jornalistas descompromissados com a isenção e o respeito.

É inaceitável que um treinador de insuspeita integridade seja associado a qualquer forma de violência, quanto mais a uma pessoa condenada por homicídio. O clube e o técnico tomarão as medidas judiciais cabíveis".


Deixe seu comentário