Fellype Gabriel não se poupa nos treinos para atender ao pedido da filha

Theo Chacon* - São Paulo,SP

11-11-2015 17:10:00

Depois de amargar longa espera para estrear oficialmente pelo Palmeiras, o meia Fellype Gabriel se mostra agora totalmente à disposição apesar da maratona de final de temporada. Para atender ao pedido de sua filha Yasmin, de sete anos, que quer vê-lo atuando como titular, o jogador admite se esforçar ao máximo nos treinos para provar, dia a dia, suas condições físicas ao técnico Marcelo Oliveira.

Contratado em maio do Al Sharjah, dos Emirados Árabes, o camisa 30 teve de passar por cima das burocracias contratuais e de problemas físicos para tentar se firmar no time, busca que passou a ficar mais concreta após os 20 minutos em campo contra o Vasco, no último domingo.

"Agora a confiança vem no dia a dia. Sou um jogador que me dedico muito, não doso nada nos treinos, sou um dos que mais corro aqui. Preciso dessa continuidade. Você fica na expectativa querendo colaborar, mas tem que respeitar a opinião do treinador", afirmou Fellype, contando que a maior cobrança ele tem quando chega em casa.

"A cobrança do torcedor é grande, mas principalmente em casa. Minha filha falava: 'fala para o treinador te botar, se não vou lá falar com ele'", comentou entre sorrisos. "Ai eu falei que já tinha entrado pela primeira vez, que ia continuar trabalhando para aproveitar as chances. Mas ela quer que eu jogue de titular", acrescentou. "Estou trabalhando para isso, temos bons jogadores no setor, como o Cleiton, o Zé e o Robinho", seguiu com a explicação, ciente da concorrência.

Reconhecendo que o grupo não tem feito boas partidas, mas admitindo que ainda há tempo para recuperar a confiança antes das decisões que estão por vir, Fellype Gabriel garantiu foco e se mostrou otimista quanto ao título da Copa do Brasil.

"Quando eu cheguei, logo em seguida o Marcelo assumiu e tivemos uma boa sequência. Agora não estamos tendo resultados bons. Acho que o Palmeiras tem se estruturado e se organizado, temos tudo para fechar o ano bem disputando esse título contra o Santos", analisou o meia, que até brinca, nos bastidores, em contribuir de forma decisiva em uma eventual final, apesar de pouco ter jogado até então.

* especial para Gazeta Esportiva

 

Deixe seu comentário