“Esquecido” no início do ano, Hyoran celebra volta por cima no Verdão

São Paulo , SP
17/07/2018 23:15:03 — 17/07/2018 23:32:20

Em: Brasileiro Série A, Futebol, Palmeiras
Hyoran será titular do Palmeiras no clássico contra o Santos (Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press)

Quem acompanha o Palmeiras desde o início da temporada sabe o quão significativa foi a ascensão de Hyoran neste primeiro semestre de 2018. O meio-campista nem sequer foi incluído na lista de inscritos do técnico Roger Machado para a disputa do Campeonato Paulista. No entanto, poucos meses depois, o camisa 28 já pode ser considerado uma das peças vitais do elenco alviverde para a sequência da temporada.

“Tive uma evolução muito boa. Não foi fácil, se eu falasse que foi fácil estaria mentindo. Esperei minha oportunidade, trabalhei no dia a dia sabendo que não ia jogar, o que é difícil para um jogador de futebol. Mas entendi e abracei o trabalho do Palmeiras, que queria me fortalecer e me ajudar nesse sentido, tanto que quando entrei em campo consegui fazer bons jogos, ser consistente, e isso me deu credibilidade para o Roger confiar em mim”, frisou, em entrevista exclusiva à TV Gazeta, após o treino desta terça-feira.

Fã de Zinédine Zidane, o meia de 25 anos não esconde a felicidade diante do momento que está vivendo no Verdão. Antes da paralisação para a Copa do Mundo da Rússia, ele já vinha se destacando e recebendo oportunidades na equipe titular. Na inter-temporada, não foi diferente. O atleta foi um dos grandes nomes do time nos amistosos realizados na América Central, e voltará a figurar entre os 11 iniciais contra o Santos, nesta quinta-feira, pela volta do Campeonato Brasileiro.

“Quando você chega em um grande clube, você quer jogar, jogar, mas não é bem assim. A concorrência é muito grande e eu vim da Chapecoense carregando um peso enorme, uma dor muito grande. Hoje, já consigo ter mais tranquilidade para levar o dia a dia”, afirmou, em referência ao desastre aéreo de novembro de 2016, que matou a maior parte da delegação da Chape que viajava para a Colômbia, para a final da Copa Sul-Americana. “Na época, pesou bastante. O pessoal do Palmeiras me ajudou muito, me colocou em um trabalho especial. Tive perseverança, paciência e é gratificante demais. Agradeço a Deus todos os dias por ter me colocado neste clube e trabalho para corresponder da melhor maneira possível”, completou.

Foto: Gazeta Press/AFP

O Palmeiras deve vender Dudu para o exterior?

Seja como meia centralizado, como ponta ou atacante, Hyoran sabe que para manter o prestígio com o treinador tem que trabalhar duro. Afinal, se encontra em um dos melhores elencos do futebol nacional, em que a briga por posição é forte e constante.

“É uma concorrência grande, com jogadores de nível. Temos que estar bem sempre. Isso faz com que cada jogador busque evoluir e melhorar a cada dia. Se não estiver bem, vem outro jogador e te engole. Temos que trabalhar forte e respeitar as escolhas do Roger. Isso faz com que o Palmeiras cresça e busque os objetivos que a gente tanto almeja”, apontou o camisa 28, que teve que mudar totalmente sua alimentação e seu trabalho físico para melhorar o desempenho dentro de campo e, enfim, conquistar seu espaço no plantel palmeirense.

Com Hyoran em campo, o Palmeiras mede forças com o Santos a partir das 20h (no horário de Brasília) desta quinta-feira, no Estádio do Pacaembu, em clássico válido pela rodada de número 13 do Brasileirão 2018. O Verdão ocupa a sexta posição da tabela com 19 pontos ganhos, oito a menos que o líder Flamengo.

Mais vídeos em videos.gazetaesportiva.com

 




×
Quer receber notícias do Palmeiras?