Futebol Inglês

Pênaltis marcados contra o Liverpool deixam Klopp inconformado

São Paulo , SP
05/02/2018 16:57:51

Em: Bastidores, Futebol Inglês, Futebol Internacional, Liverpool

O empate do Liverpool contra o Tottenham deixou Jurgen Klopp furioso com as marcações da arbitragem. O jogo teve duas penalidades a favor dos Spurs, uma perdida e outra convertida aos 49 minutos do segundo tempo, ambas pelo atacante Harry Kane. Sobre as duas faltas, o técnico do Liverpool opinou após o jogo.

Klopp ficou irado com a arbitragem (Foto: Paul Ellis/AFP)

O primeiro pênalti foi uma chegada do goleiro Karius em Harry Kane, em que o juiz precisou da ajuda do assistente para marcar. “A primeira penalidade foi uma das situações de desvantagem mais claras que eu já vi. A menos que haja uma nova regra. Existe? Quando a bola deixou o pé do jogador do Tottenham, Harry Kane já está fora de jogo. Essa situação nunca mudou. Minha defesa colocou Kane fora de jogo, foi uma boa defesa. Eu não sei o que eles discutiam desta vez, eu estaria realmente interessado o que o árbitro e o assistente estavam dizendo”, declarou.

Já aos 49 minutos, o time da casa vencia por 2 a 1, quando mais um pênalti foi marcado. Dessa vez em falta de Van Djik em Lamela. Para Klopp, marcado erroneamente. “Não é uma penalidade. Eu ouvi que Lamela estava fora de jogo com uma perna, correndo em direção ao Van Dijk. Virgil o vê no último momento, para o movimento, mas ainda o toca. Lamela já está caindo. O árbitro diz que continua e o juiz de linha toma a decisão. Isso foi o que todos viram”, disse o alemão.

O comandante ainda disparou sem esconder a raiva. “Estou com raiva, mas não posso mudar nada. Qual é o meu trabalho agora – criar manchetes? Ser punido? Pagar uma multa? Se eu disser o que eu penso, eu pagaria a maior multa no futebol mundial. Isso não faz absolutamente nenhum sentido. Eu não tenho nenhum problema com as pessoas cometer erros, mas, se você não vê a situação, afaste-se. Aos 49 minutos você só marca uma penalidade quando você tem 100% de certeza”, concluiu.