Técnico do Lara vê jogo “histórico” em Itaquera e sonha com zebra

Helder Júnior - São Paulo , SP
12/03/2018 20:40:06 — 12/03/2018 21:02:56

Em: Corinthians, Futebol, Futebol Internacional, Libertadores
Deportivo Lara treinou a poucos metros de distância de onde o Corinthians se movimentava (foto: divulgação/Deportivo Lara)

Leonardo González está animado para o primeiro jogo oficial do Deportivo Lara no Brasil. Na tarde desta segunda-feira, o técnico venezuelano levou os seus jogadores para o CT das categorias de base do Corinthians, adversário da noite de quarta-feira, pela segunda rodada da Copa Libertadores da América, sem se importar com o temporal que caía em São Paulo. Ao final da atividade, em que impediu a ação de cinegrafistas, abriu um largo sorriso ao falar sobre a oportunidade de trabalhar no estádio construído para receber a abertura da Copa do Mundo de 2014.

“É algo histórico para nós”, resumiu González, que fará o reconhecimento do gramado na noite de terça-feira. “É um estádio espetacular, onde foi jogado o último Mundial. Tenho dito para os jogadores desfrutarem. Nem todos têm a possibilidade de atuar naquele estádio. Vamos aproveitar, mas também tratar de jogar futebol, que é o mais importante”, ponderou.

Apesar de “encantado”, como definiu, o treinador do Deportivo Lara mostrou confiança nas chances de surpreender o Corinthians em Itaquera. O otimismo aumentou porque, na primeira rodada, o modesto clube venezuelano já derrotou por 1 a 0 o argentino Independiente, atual campeão da Copa Sul-Americana, e assumiu a liderança do grupo 7 da Libertadores.

“Vencemos uma partida que muitos achavam que seria só um trâmite para o Independiente, na nossa casa, mas temos os pés no chão”, ponderou González. “Sabemos que o Corinthians é um rival muito complicado, respeitado, um dos melhores da América do Sul. Só que também viemos com um sonho enorme, tentando fazer uma partida correta. Por que não?”, comentou, sonhando com uma nova zebra.

Para ao menos empatar no Brasil – o que “não é para qualquer um”, de acordo com o técnico do Lara –, os venezuelanos têm trabalhado bastante. A forte chuva desta tarde não impediu que Leonardo González comandasse uma atividade tática e um treino de finalizações a alguns campos e um muro de distância de onde o Corinthians também se exercitava – o CT da base do clube brasileiro, cedido ao adversário, é anexo ao do elenco profissional. Jornalistas e alguns funcionários corintianos assistiram à atividade, mas as filmagens foram proibidas.

“Isso é normal. O Corinthians sabe quem serão os nossos jogadores, assim como sei quem serão os deles. Ambos descansamos titulares nos nossos últimos jogos. No futebol, não há surpresas nem segredos. Só não quisemos as câmeras por intimidade, para trabalhar o mais tranquilamente possível”, justificou González.

De fato, o técnico venezuelano provou ter estudado o Corinthians. “É uma equipe que triangula muito, que tem somado muitos atacantes quando chega à frente. Conta com o lateral direito da Seleção Brasileira, o Fagner, e jogadores rápidos por fora, além dos paraguaios, o Romero e o Balbuena. São atletas importantes, sem dúvida. Vamos tratar de atacar as poucas debilidades que têm e tratar de minimizar as suas muitas fortalezas”, discursou.

Mais vídeos em videos.gazetaesportiva.com

Com essa postura, o Deportivo Lara espera tornar a sua primeira partida de Libertadores em território brasileiro ainda mais histórica. Evitar uma derrota em Itaquera deixaria o time venezuelano mais próximo da improvável vaga nas oitavas de final do torneio continental.

“Imaginem o que seria se classificar em um grupo como esse. Traria uma importante ressonância na América do Sul. Estamos muito esperançosos, sabendo que os protagonistas são os outros. Disse aos rapazes para não perderem o prazer de jogar uma Libertadores, ainda mais diante de rivais tão importantes. Vamos desfrutar jogo a jogo”, concluiu Leonardo González.