Piton e Carlos 2020: Promessas ganham espaço e confundem técnico do Corinthians

Tiago Salazar - São Paulo,SP

02-04-2020 06:00:17

O Corinthians terminou 2019 com Danilo Avelar e Carlos como opções na lateral esquerda. Ambos muito contestados. Lucas Piton chegou a estrear na última partida do ano, apenas. O setor viveu uma transformação em 2020. Sidcley foi contratado, Avelar foi para a zaga, Piton virou o reserva imediato e Carlos liberado.

Em pouco tempo, Piton ganhou espaço e Carlos passou a treinar como zagueiro, enquanto procurava clube. Antes da paralisação do futebol, porém, Tiago Nunes resolveu escalar Carlos como titular na lateral, preterindo tanto Piton quanto Sidcley.

As decisões pouco lógicas em uma análise inicial geraram críticas ao treinador, que não se mostrou muito certo sobre qual das três opções é a melhor para a equipe nesse momento.

Sidcley sofreu pelo tempo parado na Ucrânia. Piton, então, foi a primeira promessa da base alvinegra a ganhar oportunidades. No Campeonato Paulista, foram oito apresentações.

Segundo o Footstats, o jovem de 19 anos arriscou 49 cruzamentos (16 certos e 33 errados), média de 6.1 por jogo, conseguiu 15 desarmes, deu 19 lançamentos (6 certos e 13 errados) e trocou 326 passes, média de 40.8 por partida, com 92.6% de aproveitamento. Também saíram dos pés de Piton 8 passes para finalização de seus companheiros.

Lucas Piton ainda entrou no segundo tempo dos dois duelos com o Guaraní-PAR, pela Copa Libertadores da América, mas ficou apenas 60 minutos em campo, somando os dois confrontos, e não conseguiu evitar a eliminação do Timão.


Em busca de mais eficiência defensiva, Tiago Nunes mandou Carlos para os dois últimos compromissos do time. Pelo mapa de calor é notório como o jogador de 21 anos e 1,84m entrou com uma função mais cautelosa, muitas vezes para formar uma linha de três zagueiros e dar a possibilidade de Fagner ser espetado na ponta direita.

Carlos foi responsável por 2 passes para finalização, 4 cruzamentos (2 certos) e 7 desarmes, além 2 lançamentos (1 certo) e 106 passes, média de 53, sendo 92.5% deles com destino certo.

A torcida parece preferir Lucas Piton. Há mais paciência e expectativa alimentada pelo histórico recente do atleta na base. Carlos sofre com o desgaste pelo conturbado ano de 2019. Pelo menos, já conseguiu mudar a primeira impressão criada por Tiago Nunes.

Com Sidcley em baixa, o treinador terá de entender qual característica entre as revelações do Terrão pode levar mais benefício ao time. Por ora, ninguém conseguiu emplacar ainda.

LUCAS PITON

Jogos pelo Corinthians: 11

Em 2020

Jogos: 10
3 vitórias; 3 derrotas; 4 empates
Gols: 0
Passes para finalização: 8
Cruzamentos: 49 cruzamentos (16 certos e 33 errados)
Desarmes: 15
Lançamentos: 19 (6 certos e 13 errados)
Passes: 326 passes (302 certos)
Cartões: 0
*Números no Paulistão.

CARLOS

Jogos pelo Corinthians: 35

Em 2020

Jogos: 2
2 empates
Gols: 0
Passes para finalização: 2
Cruzamentos: 4 cruzamentos (2 certos e 2 errados)
Desarmes: 7
Lançamentos: 2 (1 certos e 1 errados)
Passes: 106 passes (98 certos)
Cartões: 0
*Números no Paulistão.

Deixe seu comentário