Marlone brinca com apoio da torcida: "Parece até que eu pago"

Tomás Rosolino - São Paulo,SP

24-08-2016 17:36:36

Marlone foi o autor de um dos gols no triunfo sobre o Vitória, na segunda-feira

O meia Marlone é talvez o jogador que mais rapidamente se tornou "xodó" da torcida do Corinthians. Pedido incessantemente na equipe titular, principalmente após os gols marcados contra o Cobresal-CHI, na Libertadores, ele parece bem perto do feito após a atuação decisiva no 2 a 1 contra o Vitória, no estádio de Itaquera. Ainda assim, porém, não consegue entender por que, durante tanto tempo, foi pedido pelos torcedores durante os jogos da equipe.

"Eu sei lá, cara (risos). Capaz de nego (sic) pensar que eu estou até pagando torcida para gritar meu nome", brincou o jogador, escolhido para falar com a imprensa após o treino da tarde desta quarta-feira, no CT Joaquim Grava, mostrando muita desenvoltura para analisar os motivos que levam os corintianos a gostar de seu futebol. "Não sei de onde surgiu isso aí, campanha, é algo impactante mesmo. Tenho nem palavra para falar, sabe?", continuou.

O jogador já havia deixado claro que não faz ideia do motivo pelo qual seu nome ecoou no estádio do Pacaembu, há duas semanas, quando o clube empatou por 1 a 1 com o Cruzeiro. Para ele, os 18 jogos disputados com a camisa alvinegra e os três gols marcados estão bem longe de motivarem tantas manifestações.

"É uma coisa diferente, como eu falei em outra entrevista, geralmente a torcida grita o nome de pessoas que realmente fizeram história no clube, ídolos. Eu, assim, não sou nada, cheguei agora. Só posso dizer que pretendo fazer história como todos aqui. É uma coisa que surpreende todo esse apoio, espero corresponder", avaliou.

Cotado como reforço do Sport e do Atlético-PR na época em que às vezes nem integrava o banco de reservas, Marlone reafirmou que nunca pensou deixar o Timão sem provar a sua capacidade. Para justificar a posição, assegurou que confiava na oportunidade de entrar e demonstrar seu futebol, mesmo com isso parecendo cada vez mais distante.

"Meu foco sempre foi o Corinthians, né, sempre deixei bem claro que eu não bati o pé para sair, nunca critiquei. Respeito o professor, a visão dele de saber quem está melhor no momento, e eu sempre coloquei na cabeça que, quando me acionassem, eu tinha que ir bem. Isso eu fazia nos treinos, desde os treinamentos, para quando chegar no jogo as coisas fluírem naturalmente", apontou.

Com 37 pontos conquistados, o Timão é o terceiro colocado do Campeonato Brasileiro, três atrás do líder e arquirrival Palmeiras, por isso uma vitória contra a Ponte Preta é vista como essencial para seguir na briga pelo título. Por isso e por outras experiências, Marlone assegura que não vai se deslumbrar com o bom momento. "É normal no futebol, torcedor é emoção, quer resultado. Eu sei que podem me avaliar quando eu estiver mal, não me iludo, não", concluiu.

Deixe seu comentário


×
Quer receber notícias do Corinthians?