Mancini mantém confiança em vaga à Libertadores e reclama de pênalti não marcado

Tiago Salazar - São Paulo,SP

28-01-2021 23:12:48

O Corinthians perdeu para o Bahia nesta quinta-feira e, segundo Vagner Mancini, "desperdiçou uma grande chance de encostar no pelotão da frente". Ainda assim, o técnico "não jogou a toalha" na entrevista coletiva concedida na Fonte Nova e segue acreditando que o Timão pode conquistar uma vaga à Libertadores.

"Eu ainda acredito, sim. Sou um otimista de plantão, sei que hoje foi um jogo atípico por causa de uma série de coisas que aconteceram na véspera da partida, a gente perdeu jogadores importantes, mas também não quero que isso soe como desculpa, porque estou aqui para falar a verdade".

Vagner Mancini também reclamou muito de um pênalti não marcado para o Corinthians. Aos sete minutos da etapa final, quando o placar marcava 2 a 0 a favor dos mandantes, Gregore tocou com o braço na bola, dentro da área. Ricardo Marques Ribeiro e o VAR entenderam que o membro do jogador estava junto ao corpo.

"Teve o pênalti escandaloso que o árbitro não queria nem ir olhar, óbvio que a gente repugna, porque ele poderia ir lá olhar o lance. Eu vi o lance depois do jogo. Vamos lembrar que o Corinthians está sendo prejudicado em vários lances. Isso de forma alguma, tira os erros da nossa equipe, porque eles serão cobrados da nossa equipe, mas hoje eu tenho de falar. Foi um pênalti claro não marcado num momento do jogo onde a reação, talvez, viria."

Mancini também falou sobre a possibilidade de usar Gabriel Pereira na vaga de Cazares e de sacar Jô.


Leia, abaixo, toda a entrevista do técnico do Corinthians:

Insistência com Jô
"Eu não posso estar satisfeito com nenhuma atuação no dia de hoje. Temos de ser realistas, o Corinthians fez um jogo abaixo do que pode fazer, não faltou entrega, vi um time que buscou o resultado, esteve mais concentrado no segundo tempo do que no primeiro, então, seria muito injusto que eu analisasse os atletas de maneira individual. Hoje, faltou refino, faltou tomar as melhores decisões, e isso, de certa forma, impactou diretamente no resultado da partida".

Gols no primeiro tempo
"O diagnóstico é que defensivamente a equipe vem sofrendo, e isso não podemos admitir a partir do momento que tínhamos uma equipe equilibrada, inclusive mostrou esse equilíbrio no primeiro tempo até tomar os gols, era quem comandava a partida e, de repente, tomou gol numa falta lateral e toma um contra-ataque quando tínhamos até dois zagueiros e um lateral. Teremos de fazer ajustes. O Corinthians não pode tomar dois gols no primeiro tempo do jeito que tomou hoje. Não pode ser superior ao adversário e permitir que o adversário saia na frente e amplie ainda no primeiro tempo. Por mais que a gente tenha tido volume de jogo na segunda etapa, feito o gol...

"Teve o pênalti escandaloso que o árbitro não queria nem ir olhar, óbvio que a gente repugna, porque ele poderia ir lá olhar o lance. Eu vi o lance depois do jogo. Vamos lembrar que o Corinthians está sendo prejudicado em vários lances. Isso de forma alguma, tira os erros da nossa equipe, porque eles serão cobrados da nossa equipe, mas hoje eu tenho de falar. Foi um pênalti claro não marcado num momento do jogo onde a reação, talvez, viria."

Falta de confiança
"Jogou abaixo do que pode jogar em todos os sentidos, teve volume grande, oportunidades reais, mas isso não tira o fato da gente enxergar o jogo e saber que, talvez, se a confiança está caindo, a gente tem de recuperar o elenco. A palavra recuperação serviu o dia que eu cheguei no Corinthians e está servindo até hoje. Temos de recuperar esses jogadores. Não posso aceitar que a gente tenha uma pobreza técnica e tática em alguns momentos e que esse time crie oportunidades e não consiga colocar para dentro. Eles serão cobrados. O Corinthians, ao meu ver, desperdiçou uma grande oportunidade de encostar no pelotão da frente. O jogo ficou muito aberto para nós, nossas chances foram reais para sair na frente, controlávamos o jogo e, de repente, leva dois gols e acaba perdendo confiança. E como recupera? A partir do momento que você, dentro de campo, tem o controle. Esse equilíbrio hoje nos custaram os três pontos"

Chance de Libertadores
"Eu ainda acredito, sim. Sou um otimista de plantão, sei que hoje foi um jogo atípico por causa de uma série de coisas que aconteceram na véspera da partida, a gente perdeu jogadores importantes, mas também não quero que isso soe como desculpa porque estou aqui para falar a verdade"

Gols levados
"Eu acho que, hoje, aquele equilíbrio que exaltavam a equipe acabou escapando das nossas mãos. Temos de tentar recuperar isso rapidamente, não só a confiança, mas o astral dos jogadores. O Corinthians tem de tomar as melhores decisões, sempre, para chegar ao seu objetivo na partida. Eu continuo crendo na vaga à Libertadores. A partir do instante que a gente acordar, vamos brigar com todas essas equipes que vão à frente"

Raul na vaga de Fábio Santos
"A saída do Fábio se dá pelo desgaste dos últimos jogos, a gente tinha o Piton que fazia esse papel e, a partir do momento que a equipe precisava de uma energia a mais, não só a entrada do Raul, mas todas as substituições foram para dar mais energia ao time e a entrada do Raul foi muito pela ausência do Piton, que teve de fazer uma cirurgia"

Gabriel Pereira na vaga de Cazares
"O atleta está acostumado a jogar pelos lados, se sente bem ali, mas óbvio que eu vou buscar essa informação, saber o que na base ele fazia, se já jogou por dentro ou não. Hoje, eu também acho que ele entrou muito bem no jogo, acabou sendo decisivo em alguns lances. É mais um atleta que estamos valorizando".

Perda da evolução
"O Corinthians vinha bem, teve uma queda, hoje, no primeiro tempo, parecia que a história seria diferente. O que tínhamos há quatro, cinco jogos, nós perdemos. A equipe não estava tomando dois gols em 45 minutos, isso aconteceu pela terceira vez, então, houve uma queda de rendimento. É óbvio que as peças acabaram sendo modificadas, mas isso não é desculpa. O Corinthians tem de melhorar. Hoje, jogou mais que o Bahia e sai daqui derrotado. Não podemos achar isso normal. Os ajustes acontecerão"

Atletas que estão ganhando chance
"Eu sempre digo na dificuldade de alguns surge a oportunidade de outros. Hoje, tivemos um time desfigurado, alguns aproveitaram, outros não, e isso é normal no futebol. Lesões, suspensões e esse tipo de coisa que faz parte hoje, numa pandemia, faz com que você tenha de mexer no elenco. Hoje, o GP entrou bem, o Araos, até cansar, fez um bom jogo, e assim por diante"

Time sem centroavante
"Eu também gosto dessa possibilidade. Para a partida de hoje, não tínhamos como fazer isso pela ausência de vários atletas que poderiam exercer essa função. Óbvio que a gente não pode ter uma equipe que só jogue de uma forma e, talvez, a gente até utilizasse uma equipe diferente hoje, mas a ente teve uma série de problemas. Daqui apara frente, vamos enxergar o cenário, montar uma equipe confiante em campo e que a gente não desperdice tantas oportunidades, porque isso também está ligado ao equilíbrio da equipe. Temos de ajustar tudo isso".

Pensar na próxima temporada
Eu acho que nós já deveríamos estar olhando para o horizonte de uma forma significativa, porém, ainda temos chances reais a gente depende somente da gente para buscar essa vaga. Não vamos jogar a toalha. Acredito na retomada, assim como na minha chegada. Tem de ser feito ajuste, de novo. Chegamos num momento, talvez, com o time desgastado, que não soe como desculpa, mas temos de apresentar um futebol melhor. É difícil, quando você está disputando alguma coisa, pensar lá na frente, porque todo mundo que está envolvido na partida faz parte de um elenco que está sendo analisado. Tem de ter calma, entender o que estamos disputando, mas óbvioq ue temos de melhorar, sempre, não só em termos de elenco, mas de qualidade tática.

Deixe seu comentário


×
Quer receber notícias do Corinthians?