Corinthians leva gol irregular pela terceira vez e reclama de Daronco

São Paulo, SP

17-11-2016 07:52:25

Oswaldo apontou erros em partidas anteriores, também apitadas pelo árbitro gaúcho

O Corinthians não consegue emplacar uma sequência de bons resultados nem empolgar a sua torcida com o futebol jogado, mas preferiu voltar suas reclamações para a arbitragem após o empate por 1 a 1 com o Figueirense, no estádio Orlando Scarpelli, mais especificamente para Anderson Daronco. O juiz, que apitou o duelo em Florianópolis, também foi o mediador quando o Timão perdeu para o Fluminense e empatou com o Flamengo, todos jogos em que o clube levou um gol irregular do adversário.

"Falta ganhar os jogos, falta o árbitro marcar o impedimento que não marcou contra o Flamengo, o pênalti no Lucca, o impedimento não marcado hoje (quarta). Está faltando isso", avaliou o técnico Oswaldo de Oliveira, que ainda não havia assumido o comando da equipe no primeiro dos jogos polêmicos sob a batuta de Daronco, contra o Flu.

Naquela ocasião, apenas quatro dias após eliminar os cariocas da Copa do Brasil em jogo com muita reclamação dos tricolores, o Timão saiu de campo contestando a falta marcada na origem do gol carioca. Além disso, Gum, que participou do tento marcado por Cícero, estava impedido na hora em que Gustavo Scarpa cobra a infração. À época, o interino Fábio Carille criticou a pressão exercida no árbitro antes do duelo.

Depois, os corintianos não pouparam críticas ao mesmo juiz na partida contra o Flamengo, no Maracanã, que terminou em 2 a 2. Na ocasião, Daronco expulsou Guilherme no segundo tempo e foi contestado por alguns critérios, mas o que mais irritou os visitantes foi o gol de Guerrero, completamente impedido, o primeiro dos rubro-negros.

"Se a gente faz um gol desses, iam ficar 15 dias ou um mês falando, em um jogo tão importante e numa fase tão decisiva como essa, não pode ter um erro tão grosseiro", observou o atacante Lucca. Na ocasião, por sinal, também era o mesmo auxiliar que cuidava do lance do gol de Cícero em Itaquera: Rafael da Silva Alves.

Já na noite desta quarta, o bandeirinha responsável pelo lance era outro: Jorge Eduardo Bernardi, também gaúcho, que havia acertado momentos antes ao anular lance do mesmo Rafael Moura. A Daronco, sobraram críticas pelo número de faltas marcadas e pelo pênalti ignorado em Lucca, no primeiro tempo. "Foi claro o pênalti", ressaltou Oswaldo.

Com 51 pontos conquistados até o momento, o Timão está um atrás do Atlético-PR, último time do G6. Na próxima rodada, o Alvinegro terá pela frente o Internacional, na segunda-feira, às 20h (de Brasília), no estádio de Itaquera, precisando de uma vitória para se manter na briga pelo torneio continental.

Deixe seu comentário


×
Quer receber notícias do Corinthians?