Araos perde espaço e saída vira iminente no Corinthians; entenda

Tomás Rosolino - São Paulo , SP
07/05/2019 07:01:10 — 07/05/2019 07:57:58

Em: Brasileiro Série A, Corinthians, Escolha do editor, Futebol
Ángelo Araos perdeu muito espaço no Corinthians (Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press)

O meio-campista Ángelo Araos está cada vez menos presente no dia a dia do Corinthians. Relegado a última opção tanto como segundo quanto como terceiro homem de meio-campo, o chileno nem sequer entrou em campo no jogo-treino contra o time sub-23, na manhã da segunda-feira, e dificilmente não será emprestado durante a parada para a Copa América. Uma venda está fora de cogitação no momento por se acreditar no potencial do atleta de 22 anos.

Com dificuldades de adaptação e estilo introspectivo, Araos é visto como um jogador que não conseguirá desempenhar todo o seu potencial enquanto não se sentir adaptado ao Brasil. Por isso, a ideia da diretoria é cedê-lo a algum time do território nacional. Em 2019, ele atuou em apenas duas oportunidades, ambas pelo Campeonato Paulista, contra a Ponte Preta, na Arena, e o Novorizontino, fora.

Por outro lado, o jogador vê com bons olhos a ideia de retornar ao futebol chileno, onde saiu como um dos destaques da Universidad de Chile, dos maiores clubes do país. Por ter apenas seis meses na La U antes de chegar ao Timão, vindo do pequeno Antofagasta, o atleta ainda teria espaço para desenvolvimento antes de ir para fora do país. Aparentemente, essa etapa foi “queimada”.

Com contrato de empréstimo válido até o meio deste ano, Araos já tem um acerto definido entre os clubes por 100% dos seus direitos econômicos no valor de 4,5 milhões de dólares (aproximadamente R$ 18 mlhões). O investimento é o maior da atual diretoria e é o principal motivo de o tema ser tratado com delicadeza pela cúpula, preocupada em não abalar o valor de um ativo do clube.

Como os outros campeonatos nacionais sul-americanos já estão parados e só serão retomados no próximo semestre, qualquer possível saída para o exterior seria negociada entre junho e julho, durante a Copa América. No mercado nacional, também não há grandes problemas: como só há mais seis jogos do Brasileiro até a interrupção, é impossível ele chegar ao sétimo jogo no torneio pelo Timão, limite máximo para que atletas possam defender mais de uma equipe.

 




×
Quer receber notícias do Corinthians?