COPA DO MUNDO 2018 RÚSSIA

O técnico Tite ficou satisfeito com o triunfo do Brasil por 3 a 0 sobre a Áustria, alcançado na manhã deste domingo. Questionado sobre a possibilidade de manter o time escalado no Estádio Ernst Happel para a estreia na Copa do Mundo, ele foi cauteloso, mas sinalizou que deve fazê-lo.

De forma inédita, o técnico pôde usar desde o início a equipe que considera ideal para a Rússia. Na primeira vez em que foi questionado se planeja manter a escalação para a estreia, Tite desconversou e, na segunda, sinalizou que a formação deve mesmo ser utilizada diante da Suíça.

“Do time para iniciar, confirmo na quinta ou na sexta. É quando vou ter condição de confirmar. Agora, estou na adrenalina do jogo, tentando trazer todas as situações. Mas é claro que, na medida em que se apresenta bem, vai se confirmando”, disse Tite, dando a entender que a decisão já está tomada.

Em um primeiro tempo equilibrado em Viena, Gabriel Jesus, em posição duvidosa, colocou a Seleção Brasileira em vantagem. O time visitante deslanchou durante a etapa complementar e aumentou por meio de Neymar e Philippe Coutinho. Até o final do jogo, desperdiçou algumas oportunidades.

“Fiquei muito feliz e me sinto extremamente orgulhoso com o nível de concentração, com a competitividade leal – a equipe fez só oito faltas. O número representa uma marcação agressiva para tomar a bola e jogar. Tivemos posse, traduzida em número de finalizações e oportunidades”, analisou Tite, exigente.

“Dava ainda para ser um pouco mais efetivo. Ao invés de buscar o passe, finalizar. Tinha ainda mais espaço, contra um time de qualidade técnica individual, com linhas próximas de marcação. Em um jogo a sete dias antes da Copa, tem que estar muito concentrado”, afirmou Tite.

 




A Seleção Brasileira brilhou no ensaio derradeiro para a Copa do Mundo da Rússia. Autor de um gols sobre a Áustria no Estádio Ernst Happel, o meia Phillipe Coutinho sentiu a confiança aumentar após o triunfo alcançado durante a manhã deste domingo.

Em um primeiro tempo equilibrado, Gabriel Jesus, em posição duvidosa, colocou a Seleção Brasileira em vantagem. O time visitante deslanchou durante a etapa complementar e aumentou por meio de Neymar e Philippe Coutinho, que marcou após tabelar com Firmino.

“Foi um jogo importante para a gente, o último da nossa preparação para o Mundial. Creio que o time fez muito bem. Merecemos a vitória e isso é importante para dar confiança”, disse Coutinho, ainda na saída do gramado, em entrevista à TV Globo.

Após atuar na ala diante da Croácia, ele foi deslocado para o meio de forma bem-sucedida. “Eu tento estar preparado para jogar onde o professor precisar e sempre tentando contribuir da melhor maneira possível”, declarou o versátil atleta do Barcelona.

Na visão da comissão técnica chefiada por Tite, a Áustria tem um sistema de jogo parecido com o da Costa Rica, segundo rival do Brasil na Copa do Mundo. No Estádio Ernst Happel, a Seleção teve a oportunidade de enfrentar uma linha de cinco defensores.

“Muitos times na Europa jogam assim, com cinco atrás. O professor Tite nos passou a forma de penetrar na defesa deles e creio que fizemos com eficiência. A vitória hoje dá mais confiança para chegarmos na Copa”, reiterou Phillipe Coutinho.

 




Em seu último compromisso antes da estreia na Copa do Mundo da Rússia, disputado na manhã deste domingo, a Seleção Brasileira ganhou da Áustria por 3 a 0. O atacante Gabriel Jesus, artilheiro da gestão Tite, tratou de valorizar o triunfo alcançado em Viena.

“Todos os jogos que fizemos antes da Copa foram importantes e, hoje, mais uma vez. A equipe da Áustria é muito bem postada, de qualidade. Então, sabíamos que não seria fácil, mas conseguimos jogar, envolver o time deles e fazer mais uma grande partida”, disse Gabriel Jesus à TV Globo.

Em posição duvidosa, o centroavante abriu o placar após apanhar a sobra de chute de Marcelo e tocar com categoria na saída do goleiro Lindner. Com 10 gols, ele lidera a lista de artilheiros sob o comando de Tite, à frente de Neymar (9) e Paulinho (7).

Na visão da comissão técnica, a Áustria tem um sistema de jogo parecido com o da Costa Rica, segundo rival do Brasil na Copa do Mundo. No Estádio Ernst Happel, a Seleção teve a chance de enfrentar uma linha de cinco defensores.

“Muitos dos que atuaram estão acostumados a jogar contra linha de cinco. É difícil de entrar, mas acredito que, com paciência e foco, a gente consegue, como fizemos hoje. O time deles às vezes abusava um pouco das faltas, mas conseguimos colocar a bola no chão”, afirmou Jesus.

Nesta segunda-feira, a Seleção Brasileira já faz seu primeiro treinamento em Sochi, base durante a Copa do Mundo da Rússia. Às 15 horas (de Brasília) do próximo domingo, pela primeira rodada do Grupo E, o time dirigido por Tite encara a Suíça, em Rostov.

 



No último amistoso antes da Copa do Mundo, a Seleção Brasileira enfrentou a Áustria durante a manhã deste domingo, no Estádio Ernst Happel. A tenista Maria Esther Bueno, falecida na última sexta-feira, não foi homenageada com um minuto de silêncio em função de um veto da federação local.

De acordo com informação publicada pela CBF, a federação austríaca manifestou sua discordância em homenagear Maria Esther Bueno em uma reunião prévia ao amistoso. Assim, a tenista foi lembrada por meio de imagens exibidas no telão do estádio em Viena.

Após o jogo, durante sua entreviste coletiva, o técnico Tite citou Maria Esther Bueno. “Que homenagem bonita no telão. É um ícone, uma história e uma idolatria toda. Fica aqui aos familiares todo o nosso respeito e solidariedade”, disse o comandante da Seleção.

Maria Esther Bueno conquistou 19 títulos de Grand Slam – em simples, foi tricampeã de Wimbledon (1959, 1960 e 1964) e tetra no Aberto dos Estados Unidos (1959, 1963, 1964 e 1966). Na última sexta-feira, vitimada por um câncer, faleceu aos 78 anos de idade.

Dentro de campo, com gols Gabriel Jesus, Neymar e Philippe Coutinho, a Seleção Brasileira ganhou por 3 a 0 da Áustria no ensaio derradeiro antes do Mundial. Às 15 horas (de Brasília) do próximo domingo, o time dirigido por Tite enfrenta a Suíça, em Rostov.

 

 



O técnico Tite escalou o time que considera ideal desde o início pela primeira vez na manhã deste domingo. No Estádio Ernst Happel, com um gol marcado por Neymar, a Seleção Brasileira ganhou da Áustria por 3 a 0 no último amistoso antes da Copa do Mundo.

Artilheiro da gestão Tite na Seleção, Gabriel Jesus marcou seu 10º gol em Viena e, no segundo tempo, Neymar e Philippe Coutinho aumentaram. Considerada pela comissão técnica parecida com a Costa Rica, rival na Copa do Mundo da Rússia, a Áustria não aliviou e marcou duro o time visitante.

Nesta segunda-feira, a Seleção Brasileira já faz seu primeiro treinamento em Sochi, base durante a Copa do Mundo da Rússia. Às 15 horas (de Brasília) do próximo domingo, pela primeira rodada do Grupo E, o time dirigido por Tite encara a Suíça, em Rostov.

O Jogo – O Brasil manteve maior posse de bola desde o começo do amistoso e, com paciência, procurou a melhor alternativa para tentar furar a defesa austríaca. O time local jogou sério no último ensaio da Seleção antes da Copa do Mundo e chegou firme, principalmente em cima do atacante Neymar.

A Áustria assustou no momento em que Lainer recebeu de Schopf pela direita e cruzou para Arnautovic chutar por cima do gol. O Brasil respondeu com Philippe Coutinho, que limpou a marcação pelo meio e bateu para defesa na ponta dos dedos do goleiro Lindner.

A Seleção Brasileira inaugurou o marcador aos 34 minutos do primeiro tempo. Após chute frontal disparado por Marcelo, a bola desviou na defesa e sobrou na esquerda para Gabriel Jesus, em posição duvidosa, finalizar com categoria diante de Lindner.

O time visitante marcou o segundo gol aos 17 minutos da etapa complementar. Willian recebeu pela direita e, com visão de jogo, acionou Neymar do lado oposto. O camisa 10 dominou sem ser incomodado, deixou Dragovic no chão e fuzilou o goleiro adversário.

Em desvantagem, a Áustria esmoreceu e sofreu o terceiro gol aos 23 minutos da etapa complementar. Em jogada pela esquerda, Roberto Firmino, que substituiu Gabriel Jesus, tabelou com Philippe Coutinho. O meia sobrou livre na cara de Linder e definiu com competência.

Tite aproveitou a etapa complementar para realizar alterações e dar ritmo a alguns reservas, entre eles Douglas Costa, que substituiu Neymar. A Seleção Brasileira teve chances para marcar o quarto gol, uma delas com Firmino, mas o placar seguiu inalterado.

FICHA TÉCNICA
ÁUSTRIA 0 x 3 BRASIL

Local: estádio Ernst Happel, em Viena, na Áustria
Data: 10 de junho de 2018, sábado
Horário: 11h (de Brasília)
Árbitro: Viktor Kassai (HUN)
Assistentes: Oszkar Lemon (HUN) e Zsolt Varga (HUN)
Cartões amarelos: Schopf, Prodl (AUT)
Gols:
BRASIL: Gabriel Jesus, aos 34 minutos do 1º Tempo, Neymar, aos 17 minutos do 2º Tempo, e Phillipe Coutinho, aos 23 minutos do 2º Tempo

ÁUSTRIA: Lindner; Prodl, Dragovic, Hinteregger e Lainer; Baumgartlinger, Schlager (Burgastaller), Schopf (Hierlander), Grillitsch (Zulj) e Alaba; Arnautovic
Técnico: Franco Foda

BRASIL: Alisson; Danilo, Thiago Silva (Marquinhos), Miranda e Marcelo (Filipe Luis); Casemiro (Fernandinho); Paulinho, Philippe Coutinho (Taison), Willian e Neymar (Douglas Costa); Gabriel Jesus (Firmino)
Técnico: Tite



Debaixo de chuva e em meio a um frio de 6ºC, a seleção portuguesa de futebol realizou seu primeiro treino em território russo, em Kratovo, cidade a 50 km da capital Moscou, onde a equipe estará concentrada durante toda a Copa do Mundo. Os jogadores foram a campo diante de cerca de 250 torcedores, que aproveitaram para prestigiar as atividades e a presença da estrela Cristiano Ronaldo.

O início do treinamento foi marcado por um trabalho de aquecimento, seguido por uma atividade que contou com “golzinhos” no meio do campo. A parte final foi constituída por um exercício em campo reduzido, que só contou com a ausência do goleiro Rui Patrício, que trabalhou em separado.

Os gandulas que trabalharam no treino deste domingo e continuarão trabalhando no CT de Saturn ao longo do Mundial são crianças locais, escolhidas para desempenharem a função.

Cristiano Ronaldo esteve em contato com os fãs ao longo das atividades, ora acenando, ora pedindo para que que o barulho e a agitação diminuíssem. Ao fim da sessão, o camisa sete chutou uma bola para o lado de fora do campo.

A estreia de Portugal na Copa acontecerá na próxima sexta-feira, 15 de junho, quando enfrenta a Espanha em um dos duelos mais aguardados da primeira fase, no Estádio Olímpico de Fisht, em Sochi. Pelo Grupo B, os lusitanos também terão como adversários Marrocos e Irã.





Nascido em Londrina, no Paraná, foi lá que Fernandinho começou sua caminhada no futebol, aos 13 anos. Não demorou muito para ir à capital e chegar ao Atlético-PR, em 2001, com 15 anos. Mesmo muito novo, foi integrado ao grupo e viu de perto o time que conquistou o Campeonato Brasileiro do mesmo ano pelo Furacão. Assim que virou titular da equipe, aos 19 anos, chegou à Seleção sub-20. Convocado quase em cima da hora, participou do Mundial e foi o autor do gol do título do Brasil, em cima da Espanha.

Se tornou destaque no time paranaense e logo chamou atenção da Europa. Com apenas 20 anos, se mudou para o Velho Continente com destino à Turquia. O Shakhtar Donetsk foi sua casa por oito anos, onde conquistou inúmeros títulos e se tornou ídolo da torcida. Foram 14 taças, entre elas uma Liga Europa e seis Campeonatos Turcos.

Tantos títulos e a importância no time ucraniano fizeram o Manchester City criar interesse no volante. O time inglês abria os cofres para montar um time competitivo e não economizou na contratação de Fernandinho. Foram desembolsadas 34 milhões de libras (cerca de R$169 milhões na cotação atual) para levar o camisa 7 do Shakhtar para o Etihad Stadium na janela de transferência de verão de 2013.

Em sua primeira temporada no City foram dois títulos conquistados. O bom momento no time rendeu ao paranaense uma vaga na Seleção Brasileira para a Copa. O volante foi chamado apenas na última convocação antes da oficial e garantiu a vaga nos 23 jogadores de Felipão. Titular durante o Mundial, Fernandinho guarda grande trauma do trágico 7 a 1, por ter falhado no quarto gol da Alemanha.

Nos últimos quatro anos, ergueu mais três taças pelo City e viu Pep Guardiola chegar ao time. Homem de confiança do espanhol, fez parte da campanha histórica no Campeonato Inglês da última temporada. Na era Tite, só não tem mais convocações na posição de volante que Paulinho. E, aos 33 anos, chega à Copa da Rússia como um dos mais velhos e experientes do elenco.