COPA DO MUNDO 2018 RÚSSIA
Raheem Sterling defende o City desde 2015 (Foto: Ben Stansall/AFP)

A temporada de Raheem Sterling no Manchester City tem sido uma das melhores em sua carreira. O jogador já marcou 20 gols em 31 jogos e está perto de dobrar a marca da temporada anterior, quando anoutou 21 gols. Nesta última semana a serviço da seleção da Inglaterra, o atacante destacou o trabalho feito pelo seu treinador Pep Guardiola e disse que espera poder reproduzir na equipe nacional o nível em que atua no clube.

“No City, Pep Guardiola tem me ajudado muito e o mesmo acontece quando estou jogando pela Inglaterra. Gareth (Souyhgate) sempre tenta ajudar os atacantes, fazendo exercícios para melhorar nossas finalizações e nos fazer melhores jogadores. Me sinto estabelecido com a Inglaterra, mas ainsa sou novo e estou aprendendo e tentando desenvolver meu jogo. Mas como eu disse, no City, Pep tem sido fantástico comigo”, exaltou.

Depois do vexame na última Copa do Mundo, a Inglaterra se prepara para o Mundial deste ano. Depois de vencer a Holanda na última sexta-feira, os Three Lions enfrentam a Itália – que não vai para a Rússia – nesta terça-feira e para Sterling, esse tipo de jogo são os “realmente emociantes”.

Além disso, o atacante se disse confiante para a Copa especialmente após as mudanças pelas quais a seleção inglesa passou. “Acho que temos um bom time. Nós temos uma nova filosofia, graças ao treinador e às ideias que ele vêm trazendo. Nós estamos tentando dar unidade à defesa e somos um trabalho em desenvolvimento. Mas com os jogadores que temos podemos ir à Rússia e jogar nosso jogo”, concluiu.



A última conquista de Copa do Mundo do Brasil foi em Yokohama, no Japão, em 2002. A Seleção Brasileira, comandada por Luiz Felipe Scolari, chegou com desconfiança ao Japão e à Coreia depois de fraca eliminatória, na qual terminou na terceira posição, com 13 pontos a menos do que a Argentina, líder da competição e favorita ao título da Copa.

No entanto, o time de Ronaldo (na época, Ronaldinho), Ronaldinho Gaúcho e Rivaldo fez Copa irretocável, vencendo todas as seis partidas que disputou. Na fase de grupos, o Brasil demonstrou seu poder ofensivo com vitórias sobre Turquia, de virada, por 2 a 1, China por 4 a 0 e Costa Rica por 5 a 2. Nas oitavas de final, Ronaldo e Rivaldo comandaram vitória por 2 a 0 sobre a Bélgica. Já nas quartas, outra virada por 2 a 1, desta vez contra a Inglaterra. Outro jogo difícil contra a Turquia, vitória por 1 a 0 na semifinal, valeu a vaga na final. Na decisão, a vitória por 2 a 0, com dois gol de Ronaldo, deu o pentacampeonato ao Brasil.

Já a derrotada Alemanha, ao contrário do Brasil, não fez uma Copa primorosa. Depois de golear a Arábia Saudita por 8 a 0 na estreia, o time de Rudi Voller empatou com a Irlanda no segundo jogo por 1 a 1 e só garantiu a vaga nas oitavas no último jogo, quando venceu Camarões por 2 a 0. Na fase de mata-mata, a Alemanha chegou à final com vitórias por 1 a 0 sobre Paraguai, Estados Unidos e Coreia do Sul.

Apesar da chuva de gols na estreia, o ponto forte da Alemanha era a defesa. Armada no esquema 3-5-2, o setor defensivo alemão só sofreu três gols na competição, sendo dois na final contra o Brasil. Além da formação fechada, o goleiro Oliver Kahn, em eleição depois das semifinais, foi eleito o melhor jogador da Copa do Mundo de 2002.

Clique nas imagens abaixo para conferir mais informações sobre os jogadores.

Relembre também o 7 a 1 e confira onde estão os jogadores que estiveram no “Mineiraço”



A segunda Copa do Mundo em solo brasileiro, em 2014 poderia apagar o fantasma do Maracanazzo de 1950, mas o resultado foi o oposto. Jogando no Mineirão, Brasil e Alemanha disputavam uma das vagas na final do Mundial, no Maracanã, e chegavam à partida confiantes. No entanto, o que se viu em campo foi uma aula de futebol dos alemães, que não deram chances aos brasileiros e golearam pelo famoso placar de 7 a 1, que trouxe uma marca muito forte e consequências na carreira para os dois lados – veja o gráfico abaixo.

Antes do passeio alemão, a Seleção fez uma Copa do Mundo de altos e baixos, com três vitórias e dois empates. O time de Luiz Felipe Scolari venceu a Croácia por 3 a 1 na estreia, empatou sem gols com o México no segundo jogo e goleou Camarões por 4 a 1 no último jogo da fase de grupos. Nas oitavas de final, o Brasil eliminou o Chile nos pênaltis após empate por 1 a 1 no tempo normal e na prorrogação. Já nas quartas, vitória brasileira por 2 a 1 sobre a Colômbia.

Apesar da vitória, o duelo contra os colombianos trouxe problemas para a semifinal. Neymar, principal jogador do Brasil na Copa do Mundo, saiu de campo com lesão séria na coluna e seria desfalque para o resto do torneio. O zagueiro e capitão Thiago Silva também foi desfalque contra a Alemanha por receber seu segundo cartão amarelo do torneio. Em seus lugares jogaram, respectivamente, Bernard e Dante, que atuava no futebol alemão.

Do outro lado do Mineirão estava a Alemanha, que fez boa Copa do Mundo. A equipe de Joachim Low iniciou a campanha com goleada de 4 a 0 sobre Portugal, seguida de empate por 2 a 2 com Gana e vitória de 1 a 0 sobre os Estados Unidos. Nas oitavas de final, em jogo surpreendente, os alemães venceram a Argélia com gol nos últimos instantes da prorrogação. Nas quartas, vitória por 1 a 0 sobre a poderosa França.

Mesmo com o susto diante da Argélia, a vitória sobre a França, uma das melhores seleções da Copa de 2014, deu confiança aos alemães. O time capitaneado por Lahm tinha defesa forte, meio-campo habilidoso e ataque eficiente, com Klose, que viria a ser o maior artilheiro das Copas do Mundo, e Muller, que marcou cinco gols em ambas as Copas que disputou. Muller seria o vice-artilheiro do torneio, enquanto o goleiro Neuer foi eleito o melhor da posição na competição.

Clique nas imagens abaixo para conferir mais informações sobre os jogadores.

Relembre também a final da Copa de 2002, quando o Brasil sagrou-se campeão ao vencer a Alemanha

No decorrer da partida, o treinador Luiz Felipe Scolari ainda promoveu a entrada de três jogadores na equipe.

Paulinho (No lugar de Fernandinho)

Na época: Tottenham

Atualmente: Barcelona

Paulinho vivia má fase no Tottenham, mas ganhou o voto de confiança de Felipão para estar na Copa de 2014. Na contramão da maioria dos que estiveram na partida, após o Mundial, o jogador renasceu na carreira e hoje é peça importante no time do Barcelona. Presença constante nas convocações do Brasil, certamente estará na Copa da Rússia

Ramires (No lugar de Hulk)

Na época: Chelsea

Atualmente: Jiangsu Suning

Ramires era peça importante no time do Chelsea, sendo fundamental na conquista da Liga dos Campeões de 2012. Reserva na Copa de 2014, entrou em algumas oportunidades e, em 2015, transferiu-se para o futebol chinês. A última vez que defendeu a Seleção Brasileira foi em amistoso contra o Equador, em setembro de 2014.

Willian (No lugar de Fred)

Na época: Chelsea

Atualmente: Chelsea

Willian estava há pouco menos de um ano no Chelsea, clube para onde se transferiu depois de ter se destacado no Shakhtar. Participou de cinco jogos na Copa, e na disputa de pênaltis contra o Chile nas oitavas de final, desperdiçou sua cobrança. Atualmente vive boa fase nos Blues, e é presença constante nos jogos da Seleção.

Treinador: Luiz Felipe Scolari

Atualmente: Sem clube

O último trabalho de Felipão havia sido no Palmeiras, entre 2010 e 2012. Em seu último ano por lá, conquistou uma Copa do Brasil, mas deixou o comando da equipe pouco tempo antes do rebaixamento da equipe para a segunda divisão do Campeonato Brasileiro. Depois da Copa, assumiu o Grêmio e permaneceu no clube gaúcho por menos de um ano. Em junho de 2015, foi para o Guanzhou Evergrande, onde permaneceu até 2017. Pelo time chinês, conquistou um campeonato nacional e uma Liga dos Campeões da Ásia.

Joachim Low, técnico alemão, também utilizou as três alterações de que tinha direito.

Mertesacker (No lugar de Hummels)

Na época: Arsenal

Atualmente: Arsenal

Mertesacker era o capitão do Arsenal na época, e ia à Copa do Mundo logo depois de conquistar a Copa da Inglaterra pelos Gunners. Após o mundial, em agosto de 2014, o zagueiro anunciou a sua aposentadoria da seleção. Atualmente, pelo clube inglês, o jogador pouco atua, e deve se retirar do futebol ao final da temporada europeia.

Schurrle (No lugar de Klose)

Na época: Chelsea

Atualmente: Borussia Dortmund

Na Copa de 2014, o atacante era reserva, mas foi muito utilizado pelo técnico Joachim Low, e chegou a marcar três gols na competição. No início de 2015, Schurrle foi do Chelsea para o Wolfsburg, e, em 2016, transferiu-se para o Borussia Dortmund. Não atua pela seleção alemã desde março de 2017, e deve ficar de fora da lista para a Copa do Mundo da Rússia.

Draxler (No lugar de Khedira)

Na época: Schalke 04

Atualmente: Paris Saint-Germain

Em 2014, Draxler era uma aposta de 20 anos de idade, que defendia o Schalke, e entrou em campo apenas na partida contra o Brasil. Em 2015, foi para o Wolfsburg, e pouco mais de um ano depois, transferiu-se para o PSG. Presença constante nas convocações da Alemanha, o jovem deve estar na Copa deste ano.

Ténico: Joachim Low

No comando técnico da seleção alemã desde 2006, Joachim Low disputava a sua terceira Copa do Mundo. No currículo, tinha duas eliminações em semifinais: uma em casa para a Itália, e uma na África do Sul para a Espanha. Contudo, teve o respaldo da federação alemã, conquistou o título no Brasil e agora vai para a sua quarta Copa do Mundo como treinador de uma das seleções novamente candidatas à conquista da taça.



Joachim Low, técnico da Alemanha, em coletiva antes da partida contra o Brasil (Foto: Christian Charisius/AFP)

O jornal alemão Sport Bild resolveu apimentar ainda mais o pré-jogo entre Alemanha e Brasil, em amistoso pré-Copa que acontece nesta terça-feira, às 15h45 (de Brasília), em Berlim. Na sua capa, a foto do técnico Joachim Low rindo e os dizeres “Brasil, bem-vindo ao país do 7 a 1”, em alusão ao fatídico placar na Copa do Mundo de 2014.

O duelo entre as duas seleções marca o primeiro encontro após o episódio do último Mundial, e os holofotes se voltam para a atuação dos brasileiros, que ficaram marcados pelo resultado vexatório daquela semifinal. Além disso, a partida marca também uma possível decisão do técnico Tite em relação aos convocados para a competição, que inicia em junho.

Depois do amistoso, a Seleção Brasileira só se reunirá no final de maio na Granja Comary, em Teresópolis, para as preparações antes da Copa. A amarelinha estreia na competição no dia 17 de junho, contra a Suíça.

Confira o especial da Gazeta Esportiva com sete histórias publicadas na época do 7 a 1.



Depois de empate contra a Alemanha em jogo equilibrado, a Espanha enfrenta a Argentina (Foto: Divulgação/RFEF)

Duas das principais aspirantes a levantar a taça da Copa do Mundo se enfrentam nesta terça-feira, às 16h30 (de Brasília). O Estádio Metropolitano de Madri será palco do duelo entre Espanha e Argentina, que levará a campo grandes nomes do futebol mundial. A partida será a última oportunidade para os técnicos testarem possíveis representantes de seus países na Rússia.

Jogando em casa, a Espanha vem de empate por 1 a 1 contra a Alemanha no qual jogou de igual para igual e poderia ter saído com a vitória. Desta vez, em território espanhol, a Fúria quer a vitória mesmo não sendo jogo de competição. Para o técnico Julen Lopetegui, a motivação de enfrentar a Argentina de Messi já é suficiente.

“É uma partida importante em um cenário fantástico, com um dos melhores jogadores da história”, disse o treinador espanhol em coletiva nesta segunda-feira. “Não há pontos em jogo, mas o entusiasmo por uma partida assim (…) está à margem da competição”.

Sampaoli garantiu que Lionel Messi enfrenta a Espanha (Foto: Pierre-Philippe Marcou/AF

Já a Argentina, que vem de vitória por 2 a 0 sobre a Itália, quer vencer novamente para chegar ao Mundial embalada. A equipe será reforçada por Lionel Messi, que foi poupado contra a Azzurra na última sexta-feira. Nesta segunda-feira, o técnico Jorge Sampaoli confirmou em coletiva que o camisa 10 estará em campo.

““Hoje (segunda-feira) treinou com o grupo, está tudo bem para jogar”, disse o treinador sobre o craque do Barcelona. “Se houvesse algum risco, Messi teria manifestado, como fez contra a Itália e não jogou. Se provou ontem (domingo), se provou hoje e está bem, não creio que há algum inconveniente para que jogue”.

Candidata a surpresa na Copa, Dinamarca enfrenta o Chile

Também nesta terça-feira, a Dinamarca continua sua preparação para a Copa do Mundo contra o Chile. Apesar de não ir à Rússia, a seleção chilena é a décima melhor seleção do mundo segundo o ranking da Fifa de março e representa um adversário à altura para Eriksen e companhia. A partida começa às 15 horas (de Brasília) e é o único amistoso da seleção dinamarquesa antes da convocação final.

Outros jogos desta terça-feira

14h10 Montenegro x Turquia
15h00 Costa do Marfim x Moldávia



Depois de sofrer uma derrota amarga no amistoso da última sexta-feira, contra a Colômbia, que virou o jogo após sair perdendo por 2 a 0, a França agora volta suas atenções para o duelo desta terça, contra a anfitriã da Copa do Mundo 2018 Rússia, em São Petersburgo. Para o técnico Didier Deschamps, no entanto, o revés diante dos colombianos não altera em nada a maneira como sua seleção se portará diante dos russos, afirmando que as circunstâncias não fazem este jogo o mais importante.

“Todos os jogos da seleção francesa são importantes. Este é o último antes do período de competição. E sim, em comparação com sexta-feira, é melhor fazer coisas diferentes amanhã. A importância está aí. É o nível mais alto, todos estão se preparando da melhor maneira possível”, afirmou o comandante, que pretende dar tempo de jogo para o máximo de jogadores que conseguir.

Mbappé e Pogba devem iniciar a partida entre os titulares da França (Foto: Franck Fife/AFP)

A escalação inicial da França deve contar com algumas novidades, principalmente do meio para frente. O meio de campo deve ser composto pelo trio Kanté, Pogba e Rabiot, diferentemente do jogo de sexta passada, quando, ao lado do volante do Chelsea, Matuidi e Lemar iniciaram entre os 11 titulares. Dembelé e Martial também ganharão oportunidades no trio de ataque, ao lado de Mbappé, que será centralizado. Com isso, Giroud e Griezmann começarão a partida no banco de reservas.

O fato de estarem no país sede do Mundial que tem início no mês de junho anima o zagueiro Laurent Koscielny, do Arsenal, que também deve ganhar a titularidade, substituindo Varane, e que falou sobre suas primeiras impressões em território russo. “Estar no país anfitrião é importante para nós, para sentir a atmosfera daqui”, disse ele. “As pessoas são acolhedoras, já pudemos sentir a cidade. O país já está preparado e quer fazer uma bela Copa do Mundo aos olhos do mundo”, apontou.

A Rússia, por sua vez, terá de melhorar suas atuações caso não queira passar por um vexame no Mundial, diante de todo o país. A seleção perdeu do Brasil por 3 a 0 na sexta-feira e agora se vê de frente a um desafio tão grande quanto. Além de não vencerem há quatro jogos, sendo dois empates (Irã e Espanha) e duas derrotas (Argentina e Brasil), os russos não vencem uma partida contra a seleção francesa desde 1999.

O pontapé inicial para Rússia e França está programado para ocorrer às 12h50 minutos (no horário de Brasília) desta terça-feira.

 

 



Costa Rica está no grupo do Brasil na Copa do Mundo (Foto: Valery Hache/AFP)

As principais seleções do mundo estão fazendo seus últimos amistosos antes da convocação para a Copa do Mundo e a terça-feira será marcada pelo confronto entre Costa Rica e Tunísia. A partida será realizada no estádio Allianz Rivera, em Nice, França, às 15 horas (de Brasília).

Os tunisianos, que ocupam a 23ª colocação do ranking da Fifa, estão se preparando para disputar o Mundial pela terceira vez na história. A equipe de Nabil Maâloul está no grupo de Bélgica, Inglaterra e Panamá. Por sua vez, los Ticos querem voltar a surpreender depois de chegarem as quartas de final no Brasil em 2014. Os costa-riquenhos – que são os 26º no ranking da Fifa – estão no grupo de Brasil, Sérvia e Suíça.

Em seu primeiro amistoso dessa janela Fifa, a seleção da Tunísia venceu o Irã, que também irá para a Copa do Mundo, com gol contra de Milad Mohammadi. Por sua vez, a Costa Rica superou a Escócia pelo mesmo placar com gol de Marco Ureña.

O treinador Oscar Ramírez está fazendo testes para ter opções na Copa do Mundo. Apesar disso, ele ainda conta com o goleiro Keylor Navas, o zagueiro Oscar Duarte, o lateral Bryan Oviedo e o meio-campista Bryan Ruiz dentro os convocados que são mais conhecidos do grande público. A expectativa é que a equipe seja equilibrada.

“Temos como objetivo conseguir a dinâmica do que é o Mundial e buscar o equilíbrio. Entre outros objetivos estão a coordenação da linha assim como ter mais profundidade e um jogo um pouco mais direto”, declarou Ramírez.

Confira outros partidas da terça-feira:
15h15 Eslovênia x Bielorrúsia
15h30 Luxemburgo x Áustria
15h30 Romênia x Suécia



Paulinho e Willian são dois dos remanescentes da Copa do Mundo de 2014 (Foto: Lucas Figueiredo/Divulgação)

Às 15h45 (de Brasília) desta terça-feira, no Estádio Olímpico de Berlim, a Seleção Brasileira encontra a Alemanha pela primeira vez desde a humilhante goleada por 7 a 1 pela semifinal da Copa 2014. Com seis remanescentes do massacre, o amistoso é o último antes da definição da lista de Tite para o Mundial da Rússia.

O lateral direito Daniel Alves, o zagueiro Thiago Silva, o lateral esquerdo Marcelo, os volantes Paulinho e Fernandinho e o atacante Willian, todos remanescentes da Copa do Mundo 2014, serão titulares no reencontro com a Alemanha. Daniel Alves (reserva) e Thiago Silva (suspenso) não entraram em campo no Mineirão.

O confronto com a Alemanha é a última chance de Tite para fazer observações antes da convocação definitiva para a Copa do Mundo 2018. No começo de junho, com o grupo de 23 atletas já escolhido, a Seleção Brasileira enfrenta Croácia e Áustria.

“Imagina se eu estivesse respondendo tudo isso antes de um jogo de Mundial”, disse Tite, valorizando a chance de encarar a Alemanha antes da Copa. “Carregamos um fantasminha pelo resultado de 7 a 1. Ele está aqui todos os dias, lembrando. Agora, temos a condição de passar mais uma etapa”, completou o técnico.

Técnico Joachim Low não mandará a campo os seus principais jogadores em Berlim (Foto: Schwarz/AFP)

Para fortalecer o meio de campo, o volante Fernandinho entra no lugar do atacante Douglas Costa, com Philippe Coutinho aberto pelo lado esquerdo do ataque. Thiago Silva segue no lugar de Marquinhos, enquanto Neymar, em recuperação de lesão, está fora.

Do lado alemão, embora considere o amistoso contra o Brasil um teste valioso para sua equipe, o técnico Joachim Low não mandará a campo os principais jogadores. Além de liberar Muller, Ozil e Can por questões físicas, ele pretende experimentar os goleiros Trapp e Leno no lugar de Ter Stegen. Khedira também pode ser poupado.

“(O 7 a 1) é mais importante para o povo do que para nós. É claro que foi um grande jogo, mas apenas um passo para ganhar a Copa. No dia seguinte, já tiramos isso da cabeça e ficamos 100% concentrados na final do campeonato”, recordou Joachim Low.

FICHA TÉCNICA
ALEMANHA X BRASIL
Data: 27 de março de 2018, terça-feira
Local: Estádio Olímpico de Berlim
Horário: 15h45 (de Brasília)
Árbitro: Jonas Eriksson (SUE)
Assistentes: Mathias Klasenius (SUE) e Daniel Warnmark (SUE)

ALEMANHA: Leno (Trapp); Rudiger, Boateng e Ginter; Kimmich, Gundogan, Khedira (Goretzka) e Plattenhardt; Stindl, Werner e Sané
Técnico: Joachim Low

BRASIL: Alisson, Daniel Alves, Thiago Silva, Miranda e Marcelo; Casemiro; Fernandinho, Paulinho, Willian e Coutinho; Gabriel Jesus
Técnico: Tite



Panamá disputou amistoso contra a Dinamarca e perdeu por 1 a 0 anteriormente (Foto: Mads Claus Rasmussen / Ritzau Scanpix / AFP)

Adversária do Brasil na Copa, a Suíça, assim como o restante das seleções que irão disputar o Mundial, segue realizando amistosos com a competição em vista. Nesta terça-feira, às 14h00 (horário de Brasília), o oponente será o Panamá, que garantiu classificação para o mais importante torneio de futebol pela primeira vez em sua história e também utilizará a partida como preparação.

Para o confronto, os suíços terão o desfalque certo de Valon Behrami, de fora do jogo com um desconforto muscular na coxa. Com isso, o técnico Vladimir Petkovic ainda terá 20 jogadores à disposição para o duelo diante dos panamenhos.

Pelo lado do Panamá, os comandados de Hernán Darío Gómez já treinam em solo suíço para a disputa. O técnico da equipe, aliás, confirmou o onze titular da seleção: Jaime Penedo fica no gol, seguido por Michael Amir Murillo, Harold Cummings, Román Torres e Adolfo Machado; Luis Ovalle, Miguel Camargo, Aníbal Godoy, Gabriel Gómez e Ricardo Ávila jogam no meio, com Gabriel Torres à frente.

O desfalque fica por conta de Fidel Escobar, com uma lesão nos músculos adutores da perna direita. Hernán Darío Gómez comentou a escalação de seus comandados. “Este novo esquema tático que estamos praticando pode ser possivelmente utilizado na Copa do Mundo, mas durante a partida, vamos variando”, explicou.

Além de Suíça contra Panamá, outros amistosos internacionais desta terça-feira envolvem seleções que estão na Copa do Mundo. Às 13h00 (horário de Brasília), o Irã recebe a Argélia em seus domínios, enquanto que, também às 14h00 (horário de Brasília), Bósnia e Herzegovina e Senegal travam um bom duelo.

Confira outros amistosos desta terça-feira:

13h00: Iraque x Síria
13h00: Irã x Argélia
13h00: Laos x Bangladesh
13h00: Macedônia x Azerbaijão
14h00: Bósnia e Herzegovina x Senegal
14h00: Kosovo x Burkina Faso
14h00: Suíça x Panamá



O volante Matic é um dos principais nomes da Sérvia (foto: Oli Scarff/AFP)

Adversária do Brasil na fase de grupos da Copa do Mundo da Rússia, a Sérvia enfrenta a Nigéria nesta terça-feira, às 16h (de Brasília), no The Hive Stadium, no Reino Unido. Na semana passada, os sérvios perderam para o Marrocos por 2 a 1, em amistoso realizado em Turim, na Itália.

A seleção sérvia é o terceiro duelo do Brasil na Copa e não mostrou uma boa atuação no amistoso da última semana, como a do grande nome da equipe, Matic, do Manchester United, bastante apagado em campo. Além disso, a Sérvia vem passando por momentos de incertezas internas, com troca de comando técnico (o amistoso de sexta-feira foi a primeira partida do treinador Mladen Krstajic na seleção) e também da mudança da faixa de capitão por ordem de Krstajic, que teria gerado boatos de brigas entre jogadores e o novo comandante.

No entanto, a equipe se classificou em primeiro de sua chave nas Eliminatórias e ficou conhecida por sua solidez defensiva, o que poderá gerar problemas para os seus adversários na competição.

A Nigéria, por outro lado, venceu por 1 a 0 a partida contra a Polônia, na última sexta-feira, com gol de Victor Moses, que atua pelo Chelsea. Na equipe, ainda jogam Ndidi e Iheanacho, do Leicester City, e Ahmed Musa, do CSKA Moscou, que podem surpreender os sérvios, assim como o Marrocos.

Outros amistosos acontecem nesta terça-feira e somente Estados Unidos, Paraguai e Uzbequistão não disputam o Mundial. Confira todos abaixo, respeitando os horários de Brasília:

15h45 – Bélgica x Arábia
15h45 – Polônia x Coreia do Sul
16h – Nigéria x Sérvia
16h – Austrália x Colômbia
16h – Marrocos x Uzbequistão
20h30 – Estados Unidos x Paraguai
21h – Peru x Islândia
23h – México x Croácia