Corrida e Caminhada/São Silvestrinha

São Silvestrinha reúne jovens atletas do Brasil inteiro na 21ª edição

Beatriz Cesarini e André Sender - São Paulo
20/12/2014 18:19:00 — 17/11/2015 17:34:37

Em: Mais Esportes, São Silvestrinha

Além de incentivar a prática esportiva entre os jovens, a São Silvestrinha promoveu um encontro de atletas mirins de diversos estados do Brasil. Realizada no Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa, na zona sul de São Paulo, a versão infanto-juvenil da maior corrida de rua da América Latina contou com equipes do interior paulista, Minas Gerais, Goiás, Paraná, Maranhão, entre outros.

Até os 13 anos de idade, as crianças participam, mas todas são premiadas com medalhas. A partir dos 14, os jovens já competem em alto rendimento por um lugar no pódio e, até por esse motivo, vem de tão longe para correr a São Silvestrinha.

“É a primeira vez que corro a São Silvestrinha e estou a três anos já treinando para essa prova especificamente aqui em São Paulo. Vieram comigo cerca de 20 pessoas. E eu espero conseguir participar da São Silvestre no futuro”, contou Leonardo Nascimento, de Poços de Caldas-MG.

A competição infanto-juvenil também serve como um grande trampolim para um futuro profissional. Dono no título da São Silvestre de 2006 e medalha de ouro nos Jogos Pan-americanos do Rio de Janeiro, em 2007, Franck Caldeira tomou gosto pela corrida justamente ao participar da São Silvestrinha quando criança.

Jovens de diversos estados do Brasil se reuníram para participar da São Silvestrinha
Jovens de diversos estados do Brasil se reuníram para participar da São Silvestrinha – Credito: Fernando Dantas/Gazeta Press

“É bem legal vir pra cá fazer essa prova, tem bastante gente de muitas cidades. E para a São Silvestrinha eu me preparei um ano. Quero correr São Silvestre quando tiver idade, então essa competição já é uma preparação”, contou Jani Rodrigues, que veio de Tremembé-SP, com mais quatro atletas e o restante da equipe.

De Minuaçu-GO, Josi Soares exaltou a importância da prova por ser realizada na capital paulista. “Tem três atletas e alguns professores no meu grupo. A gente treina uma hora por dia. E todas as provas quem tem em São Paulo a gente procura vir. Sempre fazemos o melhor que podemos para conquistar vitórias”, contou.

* Especial para a Gazeta Esportiva.Net