Mais Esportes/Corrida Internacional de São Silvestre

Atual campeão da São Silvestre supera lesão e brigará pelo tricampeonato

Marcelo Baseggio e Felipe Leite* - São Paulo , SP
29/12/2018 14:59:40 — 29/12/2018 18:40:32

Em: Escolha do editor, Mais Esportes, São Silvestre

Ninguém foi páreo para Dawitt Admasu na última edição da São Silvestre. O resultado conquistado em 2017 garantiu ao atleta o bicampeonato da prova de rua mais tradicional do Brasil, já que também chegou em primeiro lugar em 2014. Neste ano, porém, o etíope naturalizado barenita sofreu uma lesão que o fez ficar afastado das pistas, nada que o impeça de colecionar mais um bom resultado na capital paulista.

“Eu já estive aqui no Brasil cinco vezes, gosto dessa corrida. Há seis meses estava lesionado, tive uma lesão na perna, depois disso voltei a treinar e decidi vir para a corrida”, disse Dawitt Admasu. “Eu estou pronto, a competição é muito importante para conseguir bons resultados. Vamos ver”.

Em 2017, o corredor, que começou a dar seus primeiros passos no esporte quando ainda estava na escola, também faturou a Langueux 10k, na França, e terminou em terceiro na Addis Abeba Great Ethiopian Run 10k.

“Essa corrida é muito complicada. As condições climáticas, o clima… me preparei, porque isso é minha vida, corrida é minha vida”, comentou sobre a São Silvestre.

As características do circuito que será percorrido no último dia do ano, inclusive, fazem com que Dawitt Admasu realize treinos específicos para não fazer feio pelas ruas de São Paulo.

“Esse circuito é muito difícil, há uma série de subidas e descidas. Por causa da São Silvestre, quando estou na Etiópia treino bastante subidas e descidas para estar preparado para a prova”, explicou.

Ciente da sua condição de rival dos brasileiros na São Silvestre, Dawitt Admasu explicou por que os africanos costumam se dar tão bem em provas de longa distância. Para se ter uma ideia, um atleta do Brasil não vence a tradicional corrida há sete anos. O último foi Marilson Gomes dos Santos, em 2010.

“Na Etiópia treinamos na altitude, a 3000m, 2000m do nível do mar. Altitude é muito importante em provas de longas distâncias”, concluiu.

Mais vídeos em videos.gazetaesportiva.com

Acessos

A 94ª Corrida de São Silvestre terá um esquema especial de acesso à largada e chegada, visando assegurar maior facilidade aos atletas oficialmente inscritos e informar ao público que pretende acompanhar a Corrida. No período das 5h às 10h serão permitidos apenas atletas com número de peito, com os seguintes acessos: Alameda Santos, Rua São Carlos do Pinhal, Rua Frei Caneca, Alameda Ministro Rocha Azevedo, Rua Peixoto Gomide, Rua Plínio Figueiredo e Alameda Casa Branca.

A dispersão será a partir da Rua Joaquim Eugênio de Lima até a Alameda Itapeva. Todas as áreas serão restritas a corredores oficialmente inscritos e usuários locais. Não será permitida a presença de acompanhantes ou carrinhos e outros itens que não fazem parte do evento.

O Comitê Organizador pede gentilmente que atletas sem inscrição não compareçam, pois não há como dimensionar os serviços e o consumo excessivo pode gerar a falta de serviços e hidratação para os inscritos. E destaca que essas dinâmicas estão sendo implantadas para melhor atender aos atletas inscritos oficialmente.

A infraestrutura do evento é dimensionada para o número oficial de inscritos, cerca de 30 mil, não contemplando serviços a atletas sem inscrição (“pipocas”). Serão sete postos de água, um a mais que no ano passado, com volume para atender somente aos inscritos. Como consta em regulamento, não haverá serviços extras e hidratação excedente para atletas sem inscrição.

Fraude

A Comissão Organizadora destaca que a inscrição é pessoal e intransferível, não havendo possibilidade de transferência para outro atleta. As ocorrências de fraudes apuradas em 2017 já estão sendo tratadas nas esferas civil e criminal.

A 94ª Corrida Internacional de São Silvestre é uma propriedade da Fundação Cásper Líbero/FCL, realização do site Gazeta Esportiva, com transmissão exclusiva TV Gazeta e da TV Globo. Apoio especial do Governo do Estado de São Paulo e da Prefeitura da Cidade de São Paulo. A supervisão técnica é da CBAt, FPA e AIMS e a organização técnica da Yescom.

Mais informações no site www.saosilvestre.com.br.

*Especial para a Gazeta Esportiva