Bruno comemora classificação e relembra caso de covid-19: “Pior momento da minha vida”

São Paulo, SP

30-07-2021 11:38:40

Nesta sexta-feira, a dupla formada por Bruno Schmidt e Evandro Gonçalves venceu a Polônia no vôlei de praia e garantiu classificação para as oitavas de final das Olimpíadas de Tóquio.

Bruno ressaltou o nível de seus adversários e relatou dificuldades de se jogar de noite.

"Esse foi nosso primeiro jogo à noite e foi completamente diferente. A gente teve que ajustar tudo, saque, levantamento. Fico satisfeito em termos tido essa chance, será importante para o torneio. E jogar contra esse time a gente sabia que seria difícil. Nós perdemos o primeiro set mas voltamos fortes. Isso é importante nos Jogos Olímpicos. Fico feliz que tivemos esse desafio e conseguimos. Nós nos ajudamos. Evandro estava me incentivando, especialmente nos momentos difíceis. Que bom que foi um jogo difícil. Essa partida vai nos preparar bem para a próxima fase. Esse time é tão bom, tem tantas qualidades e estavam bem durante a pandemia. Estou muito satisfeito com o que fizemos", disse.

O atleta aproveitou para relembrar o momento em que teve que ser hospitalizado por ter se contagiado com a covid-19.


"Passei o pior momento da minha vida em fevereiro e março. Covid não escolhe ninguém e sou prova disso. Quando saí do hospital tinha quatro meses para voltar a ser um atleta. Fui encarar essa no México e não podia ser diferente. Ninguém sai de uma situação de acamado para jogar um torneio de vôlei de praia. Eu falei para a equipe que precisava dar passos atrás para ser competitivo. Não foi fácil, Evandro teve que tomar uma garrafa de paciência ali do meu lado. A escolha foi acertada. Feliz de ter feito a escolha certa e ter ao meu lado pessoas que me deram a mão na caminhada mais difícil da minha vida", relatou Bruno.

Evandro exaltou seu companheiro e citou erros no retorno do atleta às quadras de areia.

"Nós conversamos depois de tudo que aconteceu com o Bruno e achamos que poderíamos ir para Cancun (Circuito Mundial) e acabou não sendo legal (eliminados na repescagem). A gente queria uma coisa que não era possível. Foi quando recolhemos o nosso time e começamos a trabalhar firme, e o Bruno voltou a ser quem ele é. Conversamos sobre coisas que precisávamos falar e foi isso. Tivemos a sabedoria de recolher nosso time", afirmou.

Assim como Bruno e Evandro, os brasileiros Alison Cerutti e Álvaro Filho também estão classificados para os confrontos eliminatórios. Os brasileiros ainda aguardam a definição de seus próximos adversários nas Olimpíadas.

Deixe seu comentário