Mais Esportes

Estados Unidos acabam com jejum e vencem Canadá na final do hóquei

São Paulo , SP
22/02/2018 19:07:24

Em: Mais Esportes, Olimpíadas Destaque
Equipe norte-americana levou a melhor em cima do Canadá (Foto: Ed Jones/AFP)

O dia com mais entregas de medalhas nos Jogos Olímpicos de Inverno, em PyeongChang, na Coreia do Sul, terminou bem para os norte-americanos. Além de serem a única equipe a ganhar dois ouros nesta quinta-feira — outros oito países subiram no lugar mais alto do pódio — os Estados Unidos ainda viram seu time de hóquei quebrar o jejum na final e vencer o Canadá por 3 a 2.

Pela quinta vez, em seis edições, os países da América do Norte se enfrentaram na final olímpica. Os EUA vinham de uma série de três derrotas para, dessa vez, depois de empate no tempo normal e na prorrogação, garantir a vitória nos shootouts.

O outro ouro dos Estados Unidos foi de David Wise, que selou bicampeonato olímpico no halfpipe, com a nota de 97,20. Foram precisas duas quedas do atleta para que ele, finalmente, triunfasse. O segundo lugar da disputa ficou para seu conterrâneo Alex Ferreira e o bronze com o neo-zelandês Nico Porteous.

Nico Porteous colocou a Nova Zelândia no pódio (Foto: Loic Venance/AFP)

Com o bom resultado de Porteos, a Nova Zelândia, que também foi bronze no Big Air, foi o 28º país a integrar o quadro de medalhas. Pouco depois, o ouro inédito da Hungria, no revezamento da patinação em pista curta, colocou outro time na lista. Assim, a Olimpíada de PyeongChang é recordista, com o maior número de países no pódio — em 2006, 2010 e 2014, foram 26.

O primeiro pódio do snowboard big air feminino ficou para a austríaca Anna Gasser, que foi seguida por Jamie Anderson, dos EUA, e pela neozelandeza Zoi Sadowski Synnott.

Na semifinal do curling, os suecos venceram a Suíça sem grandes dificuldades. Os norte-americanos, do outro lado da tabela, avançaram para a final em cima do Canadá. No combinado nórdico, por sua vez, Alemanha liderou, depois de 30 anos longe do ouro na modalidade que reúne esqui saltos e cross country. A prata ficou com a Noruega e o bronze foi da Áustria.

O dia também teve recorde mundial: dono da prata nos últimos Jogos, o chinês Dajing Wu levou a melhor nos 500m da patinação de velocidade em pista curta, com tempo de 39s584.