Ingrid Oliveira fica em último no Mundial; polo aquático perde de goleada

São Paulo, SP

18-07-2017 18:50:16

O Mundial de esportes aquáticos teve seu quinto dia de competições realizado nesta terça-feira, em Budapeste (Hungria). O Brasil foi representado nas provas de saltos ornamentais, maratona aquática, nado sincronizado e polo aquático, mas não teve um bom desempenho em geral.

As brasileiras Ingrid Oliveira e Giovana Pedrosa participaram das eliminatórias dos saltos ornamentais, na plataforma de 10 metros. Giovana chegou a brigar por uma vaga nas semifinais até seu último salto, mas não fez uma boa entrada na água e marcou 258,40 pontos, ficando na 29ª colocação. Já Ingrid não teve uma boa performance, errou muitos saltos e ficou com apenas 228 pontos, em último lugar das 37 participantes. Essa foi a pior marca de sua carreira.

"Nunca tinha tirado uma pontuação tão baixa. Realmente não foi o meu dia. Eu estava muito bem, treinando e competindo bem. O primeiro salto não foi maravilhoso, mas foi bem. Depois errei todos. A plataforma aqui me atrapalhou um pouco, o piso, e também tive um estiramento no abdômen estes dias, com dor. Fiquei concentrada em curar essa dor e não treinei muito aqui, mas poderia ter sido melhor", explicou.

Na maratona aquática, o país ficou representado por Allan do Carmo e Fernando Ponte, que conquistou um ótimo resultado na prova dos 5 km. Já nos 10 km, disputados nesta terça-feira, o brasileiro não conseguiu repetir o desempenho e ficou apenas na 19ª colocação, enquanto Allan chegou na 29ª posição. A prova foi vencida pelo holandês Ferry Weertman, atual campeão olímpico, que marcou um tempo de 1h51min58.

"Até a terceira volta estava bem, mas faltando mil metros eu senti um pouco o ritmo e fui ficando para trás. Tentei arriscar e ficar sempre entre os 12 e isso me custou um pouco. As duas primeiras voltas foram tranquilas, mas as duas últimas foram muito forte, tanto que o pelotão chegou todo muito junto. Eu cheguei alguns segundos depois do primeiro e fiquei em 29º. Saio feliz por estar no meu sexto mundial, mas sei que poderia ter sido melhor", justificou Allan.

Na prova eliminatória para a final do dueto livre, Maria Clara e Luisa Borges fizeram uma boa apresentação com o tema "Amazônia" e tiraram uma nota de 82,8333, mas não foi suficiente para alcançar uma vaga na última prova, já que apenas as 12 primeiras avançavam. A dupla brasileira ficou na 15ª colocação, quase chegando à final.

"A gente esperava uma pontuação um pouco mais alta, mas nosso trabalho a gente fez. Aumentamos nosso grau de dificuldade e o importante é subir a cada dia um degrau. A gente queria mostrar a nossa cultura, a força da Amazônia e acho que conseguimos", declarou Luisa.

Maria Clara e Luisa Borges quase chegaram à final do dueto livre, no nado sincronizado (Foto: Divulgação/CBDA)

Por fim, a Seleção Brasileira feminina de polo aquático perdeu de goleada para a Itália, por um placar de 18 a 4. Com parciais de 5/1, 6/1, 4/1 e 3/1, a equipe brasileira agora ocupa o último lugar no grupo A, com nenhum ponto conquistado, já que também perdeu na estreia para a China. Os gols brasileiros foram marcados por Diana Abla, Marina Zablith (que fez dois) e Mariana Duarte. A última partida da Seleção será disputada na próxima quinta-feira, contra o Canadá, e as chances de classificação são remotas.

O Mundial permanecerá em disputa até o dia 30. Até agora, o Brasil tem apenas uma medalha na competição, com o bronze conquistado por Ana Marcela Cunha, na prova dos 10 km da maratona aquática feminina.

Deixe seu comentário