Gazeta Esportiva |

Cerimônia terá “criatividade brasileira” para compensar orçamento curto

Em Mais Esportes, Olimpíadas 2016
Atualizado em 23/09/2015 - 09:58:54 Compartilhe
São Paulo , SP
O diretor de cinema Fernando Meirelles é um dos responsáveis pelas cerimônias do Rio 2016 (Foto: Daniel Ramalho/Rio 2016)
O diretor de cinema Fernando Meirelles é um dos responsáveis pelas cerimônias do Rio 2016 (Foto: Daniel Ramalho/Rio 2016)

A organização dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016, quer utilizar a famosa criatividade brasileira para emocionar o mundo na cerimônia de abertura do maior evento esportivo do planeta, que começará no dia 5 de agosto. O objetivo é compensar um orçamento dez vezes inferior ao de Londres, que promoveu uma grande festa de apresentação em 2012.

Segundo o diretor de cinema Fernando Meirelles, um dos responsáveis pela cerimônia, declarou que o Brasil não cometerá abusos econômicos na produção da festa inaugural dos Jogos em meio à atual crise econômica do País. “Sentiria vergonha se gastássemos o que gastou Londres em um País onde necessitamos tanto de saúde. Estou muito satisfeito de não gastar o dinheiro como loucos”, disse em entrevista coletiva, na última segunda-feira.

O premiado diretor, com o filme Cidade de Deus, ainda acrescentou que um País como o Brasil, onde há muitas áreas sem saneamento básico não pode “desperdiçar” recursos em uma festa de um evento esportivo.

Diretor-executivo da cerimônia de abertura do Rio 2016, Abel Gomes já tem uma solução para driblar a falta de recursos. “A criatividade dos brasileiros nos permitirá contornar as dificuldades orçamentais e apresentar algo que o Brasil merece”, cravou.

Fernando Meirelles ecoou os pensamentos de Gomes e disse que a criatividade e a experiência do País na organização de festas como o Carnaval permitirão superar a escassez de recursos e promover uma cerimônia comparável a de Londres. A capital britânica investiu cerca de 92 milhões de euros entre as quatro cerimônias de 2012, sendo abertura e encerramento dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos. Meirelles explicou que a intenção é mostrar o Brasil.

“Nas cerimônias de Atenas (2004), Pequim (2008) e Londres (2012), eles mostraram o legado desses três países. O Rio vai exibir a si mesmo, vai mostrar o espírito do brasileiro, sua alegria”, disse o diretor.

O Comitê Organizador do Rio 2016 anunciou que recrutará cerca de 12 mil voluntários para as quatro cerimônias, as de inauguração e encerramentos dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos. Os voluntários, que deverão ter gosto por música, dança e atuação, serão escolhidos em audiências ainda neste ano e começarão a participar dos ensaios a partir de abril.

Comente