Ministério Público-GO avança em caso de manipulação; veja jogos e atletas investigados - Gazeta Esportiva
Gazeta Esportiva

Ministério Público-GO avança em caso de manipulação; veja jogos e atletas investigados

São Paulo, SP

Publicação 08/05/23 | 19:23 - Atualização 08/05/23 | 20:23

A Operação Penalidade Máxima, do Ministério Público de Goiás, ganhou mais um desdobramento. De acordo com informação publicada pela revista Veja, o MP-GO fez uma nova denúncia, dessa vez com valores, sobre a investigação que tem intuito de averiguar uma suspeita de manipulações de resultados — tanto na Série A do Campeonato Brasileiro, quanto na Série B e torneios estaduais.

Segundo a publicação, 20 partidas e 17 pessoas estão na mira do MP-GO — a Justiça ainda não decidiu se irá acatar ou não a denúncia, baseada na primeira 'leva' de mandados e investigações. Atletas supostamente envolvidos em tais esquemas é que são os alvos; clubes e casas de apostas, por enquanto, são tratados como vítimas.

Dentre os jogos suspeitos, estão listados dois do Palmeiras (contra Juventude e Cuiabá, pelo Brasileirão de 2022), dois do Santos (contra Avaí e Botafogo) e dois do RB Bragantino (contra América-MG e Portuguesa). No entanto, vale destacar que nenhum atleta do Verdão é alvo da investigação; do Peixe e do Massa Bruta, sim. 

Mais vídeos em videos.gazetaesportiva.com

Eduardo Bauermann, do Santos, é um dos citados por supostamente ter recebido R$ 50 mil para levar um cartão amarelo contra o Avaí, não cumprir e, na rodada seguinte — contra o Botafogo —, ser expulso. A Gazeta Esportiva entrou em contato com a assessoria do Santos e do jogador e, até a publicação da matéria, não obteve resposta — se isso acontecer, a nota será atualizada.


Ainda de acordo com a Veja, o MP-GO foi capaz de identificar exatamente a atuação dos envolvidos em cada um dos jogos. A quantia dos pagamentos não era fixa. Cartões amarelos, vermelhos e pênaltis a serem cometidos faziam parte do esquema.

Fernando Neto (ex-Operário-PR, atualmente no São Bernardo), Nikolas (Novo Hamburgo-RS) e Jarro Pedroso (Inter de Santa Maria-RS) foram os novos jogadores investigados que surgiram na segunda fase da operação. Victor Ramos (Chapecoense), Kevin Lomónaco (RB Bragantino), Paulo Miranda (ex-Juventude), Igor Cariús (Sport), Moraes (ex-Juventude e atualmente no Atlético-GO) e Gabriel Tota (ex-Juventude, hoje no Ypiranga-RS) já tinham sido alvos de busca e apreensão — agora, o que aconteceu foi consequência da tomada de depoimentos e análise das provas colhidas.

O MP-GO quer, além da condenação dos envolvidos, um ressarcimento estimado em R$ 2 milhões aos cofres públicos por danos morais coletivos.

Confira a lista de jogos e atletas que são alvos do MP-GO:

Palmeiras x Juventude (10/9/2022) — Moraes recebeu R$ 5 mil antes da partida para levar cartão amarelo, com promessa de pagamento integral de R$ 30 mil. O jogador foi, realmente, advertido no confronto.

Juventude x Fortaleza (17/9/2022) — Promessa de pagamento de R$ 60 mil, com R$ 5 mil entregues antes do jogo para que Gabriel Tota repassasse a quantia para Paulo Miranda — para que este último fosse advertido com amarelo no jogo, o que de fato ocorreu.

Goiás x Juventude (5/11/2022) — Promessa de pagamento de R$ 50 mil, com R$ 20 mil pagos de sinal, para que Moraes tomasse cartão amarelo. Ao mesmo tempo, promessa de R$ 50 mil, com R$ 10 mil pagos antecipadamente, para Paulo Miranda tomar cartão. Romário Hugo do Santos depositou na conta de Gabriel Tota, que deveria fazer o repasse ao zagueiro

Ceará x Cuiabá (16/10/2022) — Promessa de pagamento de valor ainda não precisado, mas sinal de R$ 5 mil realizado para Igor Cariús tomasse cartão amarelo, o que aconteceu.

Sport x Operário-PR (28/10/2022) — Promessa de pagamento de R$ 500 mil, com R$ 40 mil pagos antes do jogo, para Fernando Neto tomar um cartão vermelho na partida — o que não aconteceu.

Red Bull Bragantino x América-MG (5/11/2022) — Promessa de pagamento: R$ 70 mil. Sinal pago antes do jogo: R$ 30 mil. Propósito: Kevin Lomónaco tomar cartão amarelo, o que aconteceu.

Santos x Avaí (5/11/2022) — Promessa de pagamento: não precisado. Sinal pago antes do jogo: R$ 50 mil. Propósito: Eduardo Bauermann tomar cartão amarelo, o que não ocorreu.

Botafogo x Santos (10/11/2022) — Bauermann aceitou os valores do jogo contra o Avaí e não cumpriu sua parte no acordo. Assim, aceitou nova promessa de valores indevidos para ser expulso contra o Fogão, o que aconteceu. Segundo relato da súmula, Bauermann tomou o cartão vermelho após o apito final, por reclamações hostis e repetitivas à arbitragem.

Palmeiras x Cuiabá (6/11/2022) — Promessa de pagamento: R$ 60 mil. Propósito: Igor Cariús tomar cartão amarelo.

Guarani x Portuguesa (8/2/2023) — Promessa de pagamento: R$ 100 mil. Propósito: Victor Ramos cometer um pênalti. Como Bruno, Ícaro e Zildo — três dos denunciados pelo MP-GO — não encontraram outros jogadores para manipulação na mesma rodada, não houve pagamento de sinal nem aposta efetivamente realizada.

Red Bull Bragantino x Portuguesa (21/1/2023) — Promessa de pagamento: R$ 200 mil. Propósito: Kevin Lomónaco cometer pênalti no primeiro tempo. O jogador não aceitou o acordo.

Bento Gonçalves x Novo Hamburgo (11/2/2023) — Promessa de pagamento: R$ 80 mil. Sinal pago antes do jogo: R$ 5 mil. Propósito: Nikolas cometer pênalti, o que aconteceu.

Caxias x São Luiz (12/2/2023) — Promessa de pagamento: R$ 70 mil. Sinal pago antes do jogo: R$ 30 mil. Propósito: Jarro Pedroso cometer pênalti no primeiro tempo, o que aconteceu.

Deixe seu comentário