Diniz culpa falta de atenção nas bolas paradas por derrota do Paraná

Do correspondente Luiz Felipe Fagundes - Curitiba,PR

23-08-2015 20:18:51

Foi uma derrota mais doída do que o normal. O Paraná Clube havia virado para cima do Ceará, em pleno Castelão, mas com gols tomados aos 45 e aos 47 minutos do segundo tempo, os planos de voltar para casa com três pontos e uma colocação melhor na Série B do Campeonato Brasileiro viraram um pesado com placar de 4 a 3. O técnico Fernando Diniz descartou que as alterações que promoveu tenham dado errado e lamentou a falta de atenção nas bolas paradas, especialmente quando o time estava com sua formação mais alta.

“O Carlão pediu para sair, o Uchôa pediu para sair, senão não teria tirado nenhum dos dois. E no momento estávamos com o time mais alto em campo. E sabíamos que a chance maior era tomar o gol de bola parada”, ponderou o treinador que queria mesmo era um time mais ousado no começo da partida.  “Tivemos uma falha grande no primeiro tempo de agressividade. O pessoal de trás estava jogando bem, mas faltava intensidade e desejo no último passe”, avaliou.

Diniz não quer que o resultado, da forma que aconteceu abale o time psicologicamente e acredita que o caminho é entender as causas da derrota. “Tem que saber tirar a lição do que aconteceu Tem que doer mesmo. Está doendo para todo mundo. A equipe jogou melhor do que o Ceará nos dois tempos. O Ceará viveu de bola parada do começo ao fim do jogo. Mas cedemos escanteios e escanteio era uma oportunidade para eles fazerem o gol e esta foi nossa maior falha”, disse.

Para o comandante paranista, o fato de estar colado na zona de rebaixamento também não pode ter qualquer tipo de influência sobre o trabalho, que deve ser realizado sempre pensado no próximo adversário. “Eu não treino o time olhando para a tabela. Mas tem que pensar é no Santa Cruz. Se tiver o desempenho que teve hoje, tem muito mais chance de ganhar”, finalizou.

 

Deixe seu comentário