Gazeta Esportiva

Briga de torcidas no Recife terá no máximo três identificados pela polícia

São Paulo, SP

09/09/15 | 18:35

No dia seguinte à briga envolvendo torcidas de Náutico, Santa Cruz e Paysandu, a Secretaria de Defesa Social de Pernambuco divulga as fotos de três envolvidos. Apenas um vídeo permite a identificação dos homens, de modo que a grande maioria dos elementos deve ficar impune.

briga
Secretaria divulgou fotos de três integrantes da torcida Inferno Coral, ligada ao Santa Cruz (Foto: Divulgação/SDS)

No dia seguinte à briga envolvendo torcidas de Náutico, Santa Cruz e Paysandu, a Secretaria de Defesa Social de Pernambuco divulga as fotos de três envolvidos. Apenas um vídeo permite a identificação dos homens, de modo que a grande maioria dos elementos deve ficar impune.

De qualquer forma, a Delegacia de Repressão à Intolerância Esportiva de Recife abre inquérito para investigar o que aconteceu na Avenida Rosa e Silva na noite da última terça-feira. Facções de torcidas de Náutico e Paysandu enfrentaram rivais de uma organizada do Santa Cruz em frente à sede social do Timbu.

Dez integrantes da Terror Bicolor, torcida organizada do Papão, foram ouvidos pela polícia civil nesta quarta-feira. Somados aos vídeos, os depoimentos serviram para reconhecer os três identificados como integrantes da Inferno Coral, organizada ligada ao Santa.

A investigação ainda é prematura, mas acredita que o encontro tenha sido marcado pelas redes sociais. A aliança entre as organizadas Fanáutico e Terror Bicolor culminou com os torcedores do Paysandu fazendo dos Aflitos seu ‘quartel general’ na capital pernambucana.

Os perigos envolvendo a partida válida pela Série B eram conhecidos previamente, tanto que o Santa Cruz chegou a avisar a polícia sobre possível violência. Após a vitória do Papão sobre o clube coral, não deu outra: elementos de ambos os lados saíram do Arruda e percorreram cerca de 1 km para se enfrentarem em frente aos Aflitos.

Deixe seu comentário