Identidade Scolari

Leitura: 4 minutos

Identidade Scolari

Em terceira passagem pelo Palmeiras, mentor do time campeão da Libertadores 1999 ainda curte reconhecimento por título inédito

Bruno Ceccon e Fernando Gavini - São Paulo, SP 13 de junho de 2019 09:00:07
 

Com um futebol vistoso, o Palmeiras colecionou títulos no começo da década de 1990, mas não conseguiu realizar o sonho de ganhar a Libertadores. O feito foi alcançado apenas pelo copeiro Luiz Felipe Scolari, mentor de um time aguerrido, talentoso e altamente competitivo em 1999. Vinte anos depois, na terceira passagem pelo clube alviverde, o técnico ainda desfruta da conquista.

Gazeta Esportiva publica matérias e documentário sobre título

“Sou bastante reconhecido pela torcida do Palmeiras por estar trabalhando naquele ano, junto com aqueles atletas, e termos conquistado a Libertadores. Ela é muito lembrada, a única que o Palmeiras ganhou até agora. Vamos ver se conseguimos mais alguma”, disse Felipão.

Com a experiência de ter conduzido o Grêmio rumo ao título da Copa Libertadores 1995, o treinador teve papel fundamental no Palestra Itália. Escolhido como capitão por Felipão, o ex-volante César Sampaio lembra que o ambiente criado pelo comandante extrapolava as quatro linhas.

“A gestão do Felipão para o mata-mata era muito importante. Nos intervalos dos jogos, sempre fazíamos uma ação social, como visitar uma creche, asilo ou hospital. Havia também os churrascos internos, com o pessoal da faxina e serviços gerais. Assim, os que estavam ao redor sabiam que, se o time ganhasse, receberiam um dinheirinho”, contou.

Os documentaristas Luiz Fernando Santoro e Flávio Tirico, responsáveis pelo filme oficial sobre o título de 1999, viram de perto toda a campanha do Palmeiras na Copa Libertadores. No material produzido pela dupla, a ascendência de Felipão sobre o elenco fica clara.

“O Felipão conseguiu motivar o time de um jeito especial. Aquela equipe estava, de fato, integrada e tinha um técnico em fase espetacular. Ele sabe exatamente quem é cada jogador: o potencial, a personalidade e do que é capaz. Sabe identificar essas coisas, muito mais do que o esquema de jogo”, disse Santoro.

“O negócio do Felipão é vestiário”, simplificou Tirico, testemunha das palestras do treinador aos atletas antes e depois das partidas pela Copa Libertadores. “Ele fala com um por um. Todos os dias, nos hotéis, quer saber se está legal, se não está. É outra relação. O que as pessoas veem no campo não tem nada a ver”, acrescentou.

Após avançar com a melhor campanha da primeira fase da Copa Libertadores 2019, o Palmeiras inicia as oitavas de final contra o Godoy Cruz às 21h30 (de Brasília) do dia 23 de julho, em Mendoza. Na busca pelo bicampeonato, inspiração para Felipão, não faltará.

“Muitas vezes, as recordações (de 1999) são colocadas por pessoas em diferentes locais e, aí, vamos lembrando como foi, como conseguimos, as dificuldades, a alegria. Acredito que tenha mudado em alguns aspectos a minha carreira, sim, porque marcou a conquista de uma grande equipe e a primeira. Foi maravilhoso”, definiu Felipão.

Publicado em 13 de junho de 2019 09:00:07
  • Antonio Carlos Sanches Valenti

    Este clube fede a série B!!! Vai PalBBeiras!!!

    • Vicente Mateus da Silva

      e vc cheira a c0rn0…

Mais especiais
Veja mais artigos interessantes que fizemos