COPA DO MUNDO 2018 RÚSSIA

O Peru divulgou, nesta sexta-feira, a lista de jogadores que representarão o país na repescagem contra a Nova Zelândia, em duelo que vale vaga na Copa do Mundo de 2018, na Rússia. Os duelos serão nos dias 11 e 15 de novembro.

Sem surpresas, o técnico Ricardo Gareca incluiu na convocação os três atletas do futebol brasileiro que normalmente são lembrados. Assim, o meia Christian Cueva, do São Paulo, além do lateral esquerdo Miguel Trauco e o atacante Paolo Guerrero, ambos do Flamengo, estão selecionados.

Cueva será desfalque em momento decisivo para o São Paulo (Foto: Fernando Dantas/Gazeta Press)

Com o chamado, os jogadores perderão algumas rodadas do Campeonato Brasileiro. Ainda não se sabe exatamente por quantos duelos eles ficarão fora, mas devem ser, ao menos, três partidas de desfalque, em momento decisivo da competição. Os tricolores lutam contra o rebaixamento, enquanto o Rubro-Negro busca vaga na Libertadores de 2018.

Após terminar as Eliminatórias Sul-Americanas em quinto, o Peru se qualificou para a repescagem diante do melhor time do qualificatório da Oceania, no caso a Nova Zelândia. No dia 11 de novembro, os times se enfrentam em Wellington. Quatro dias depois, o duelo será em Lima. Os sul-americanos tentam voltam à Copa após 36 anos.

Confira a convocação do Peru para a repescagem diante da Nova Zelândia:

Goleiros: Pedro Gallese (Veracruz-MEX), Carlos Cáceda (Universitario-PER) e José Carvallo (UTC-PER)
Defensores: Aldo Corzo (Universitario-PER), Luis Advíncula (Lobos-MEX), Miguel Araujo (Alianza Lima-PER), Anderson Santamaría (Melgar-PER), Christian Ramos (Emelec-EQU), Alberto Rodríguez (Universitario-PER), Luis Abram (Sporting Cristal-PER), Miguel Trauco (Flamengo) e Nilson Loyola (Melgar-PER)
Meio-campistas: Renato Tapia (Feyenoord-HOL), Pedro Aquino (Lobos-MEX), Sergio Peña (Granada-ESP), Christian Cueva (São Paulo), Paolo Hurtado (Reading-ING), Yoshimar Yotún (Orlando City-EUA), Wilder Cartagena (Universidad San Martín-PER) e Andy Polo (Morelia-MEX)
Atacantes: Jefferson Farfán (Lokomotiv-RUS), André Carrillo (Watford-ING), Paolo Guerrero (Flamengo), Raúl Ruidiaz (Morelia-MEX), Edison Flores (Aalborg-DIN) e Jose Manzaneda (Cantolao-PER)



Após anunciar os 25 nomes que estarão presentes nos amistosos da Seleção Brasileira em novembro, contra Japão e Inglaterra, Tite falou a respeito de suas escolhas e o período diante do qual se encontra, em vias de entrar na reta final para a Copa do Mundo da Rússia, em 2018. O comandante assumiu estar angustiado com os poucos encontros que terá com os jogadores até o Mundial, o que lhe deixa sem muitas oportunidades para novos testes e observações.

“Me angustia, sim. Este é o lado humano, vou falar do lado humano. Me deixa incomodado, com energia para observar tudo. Não subi nenhuma vez essa semana para almoçar, porque fiquei voltado para meu trabalho, queria ser o mais justo possível. ‘Com 23 (convocados), vou cometer injustiças’, até porque sou humano. Um cara de princípios, que sabe que o atleta pensa ‘eu fiz por merecer’. O lado humano talvez seja o que mais me incomoda”, assumiu.

Tite assumiu incômodo com poucas oportunidades para testes até a Copa (Foto: Pedro Martins/MoWA Press)

Questionado a respeito da realização de novos amistosos para preparar a equipe, e fechar a lista final dos convocados para o torneio mais importante do mundo futebolístico, Tite confirma a intenção de disputar partidas a nível de Copa do Mundo, com seleções já qualificadas para a mesma.

“Esse é um segundo estágio, são etapas que vamos construindo e passando. Teve a etapa de classificação, depois crescimento e consolidação da equipe, sem desestruturar. Eu não tenho competência para mudar sete ou oito jogadores e dar uma real avaliação dele. Essa terceira etapa contra equipes europeias e asiáticas, daqui a pouco uma equipe africana. Criar possibilidades de enfrentamento desse nível”, apontou.

O Brasil encara o Japão, em Lille (França), no dia 10 de novembro, e em seguida pega a Inglaterra, em londres, no dia 14. Os outros amistosos já marcados estão previstos para o mês de março de 2018, contra Alemanha e Rússia. De fato, com poucas oportunidades para mexer na equipe, Tite não deve mexer mais na relação. Ele reconhece que ainda tem dúvidas em alguns pontos, mas afirma que o leque está cada vez mais fechado.



A Itália enfrentará a Suécia na repescagem europeia para a Copa do Mundo (Foto: FABRICE COFFRINI / AFP)

Nesta terça-feira, a Fifa definiu os confrontos da repescagem europeia para a Copa do Mundo de 2018, que será sediada pela Rússia. As partidas acontecerão entre os dias 9 a 14 de novembro e dos quatro confrontos e após os duelos o continente europeu terá definido as 13 seleções que irão representar o continente e que buscarão o principal título do futebol.

O destaque ficou por conta do duelo entre Itália e Suécia. Os italianos estão pressionados por não terem conseguido a classificação direta para o mundial, mesmo que tinham como rival do grupo a Espanha. Já os suecos têm uma boa seleção, mesmo com a ausência do craque Zlatan Ibrahimovic, que anunciou sua aposentadoria da seleção após a eliminação nas eliminatórias da Eurocopa no ano passado.

Além do confronto entre italianos e suecos, a Irlanda do Norte jogará contra a Suíça, a Croácia enfrentará a Grécia enquanto que a Irlanda tentará vencer a Dinamarca. Quem vencer e tiver melhor saldo de gols na soma dos dois confrontos, estará classificado para a Copa do Mundo do ano que vem. Já o desempate é feito com base no critério de gols marcados fora de casa. Em caso de resultados iguais, ocorrerá prorrogação e, apenas caso  necessário, acontecerá a disputa de pênaltis.

No atual momento, nove seleções europeias já garantiram classificação para o mundial de 2018: França, Portugal, Alemanha, Sérvia, Polônia, Inglaterra, Espanha, Bélgica e Islândia. Com o término da repescagem, o continente europeu terá definido as 13 seleções que irão representar o continente e que buscarão o principal título do futebol.

Confira como serão os confrontos da repescagem:
Itália x Suécia
Irlanda do Norte x Suíça
Croácia x Grécia
Irlanda x Dinamarca



Na manhã desta segunda-feira, a Fifa divulgou o seu ranking de seleções mais esperado para o ciclo da Copa do Mundo de 2018. Isto porque esta lista servirá de base para o mundial que será realizado na Rússia. Entre as principais definições esperadas para este ranking foi a confirmação dos cabeças de chave para o torneio do ano que vem. Sem grandes surpresas, a lista definiu Rússia (país sede), Alemanha, Brasil, Portugal, Argentina, Bélgica, Polônia e França como cabeças de chave.

Para a competição que será realizada na Rússia o ranking terá uma importância ainda maior que apenas a escolha dos cabeças de chave, já que a entidade confirmou que as posições das seleções na lista servirão de base para todo o sorteio para a Copa do Mundo. Até o momento, 23 seleções já garantiram uma vaga na disputa do ano que vem. Sendo assim, restam nove classificadas que ainda precisam ser definidas entre os 20 países que ainda possuem chances.

Desta forma, é possível cravar os potes de algumas das equipe já classificadas. Além do pote 1, o das cabeças de chave, já é sabido que o pote 2 contará com Espanha, Inglaterra, Colômbia, México e Uruguai, o 3 com Egito e Irã e o quarto pote terá Panamá, Coreia do Sul e Arábia Saudita. As outras classificadas ainda esperam as definições finais para saber onde serão colocadas no sorteio.

Sem revelar grandes detalhes sobre a maneira de que será realizado o sorteio, a Fifa marcou o evento para o dia 1º de dezembro, em Moscou, na Rússia. A única certeza, além da utilização do ranking para a divisão dos potes, é que a entidade não permitirá duas equipes da mesma confederação no mesmo grupo – exceção feita a Europa, que poderá contar com no máximo duas seleções. As últimas vagas para o torneio serão definidas na primeira metade de novembro.




Khelaifi foi novamente citado em investigação de possíveis irregularidades financeiras (Foto: Miguel Medina/AFP)

A Justiça suiça abriu um processo penal contra o proprietário do Paris Saint-Germain, Nassr Al-Khelaifi, e o ex-secretário geral da Fifa, Jerome Valcke. Ambos estariam ligados a uma prática de “concessão de direitos de imprensa das Copas do Mundo“, como anunciou oficialmente o Ministério Público da Suíça. Teriam recebido vantagens em troca de direitos de transmissão nas Copas de 2018, 2022, 2026 e 2030.

Foi aberta uma investigação no dia 20 de março deste ano por suspeita de “corrupção privada, fraude, gestão desleal, e falsificação de documentos” por parte de autoridades de diversos países. O processo penal conta com a colaboração de responsáveis da França, Grécia, Espanha e Itália, onde as buscas e apreensões tem sido “realizadas de forma simultânea”.

Por outros casos de corrupção, Valcke está suspenso por 10 anos pela Fifa (Foto: Sebastien Bozon/AFP)

Este é só mais um caso de corrupção na conta de Jerome Valcke, que está suspenso por 10 anos do cargo de secretário da entidade máxima do futebol mundial e, inclusive, não deve voltar a se envolver no setor. Como braço direito do ex-presidente da Fifa, Joseph Blatter, ele foi acusado de cometer diversas violações financeiras no período em que esteve no cargo, incluindo subornos, compra de votos e uso indevido de jatos particulares.

 



A seleção dos Estados Unidos conseguiu uma façanha histórica na noite dessa terça-feira. O problema é que dessa vez o feito não tem nada de positivo. Em Couva, no estádio Ato Boldon, a equipe da casa venceu por 2 a 1 na última rodada das Eliminatórias da Concacaf para a Copa do Mundo de 2018 e tiraram dos Estados Unidos qualquer chance de ir ao Mundial da Rússia. Lanterna do hexagonal final, Trindade e Tobago tinha apenas três dos 27 pontos disputados até então. Mesmo com a vitória memorável, a equipe se despediu da competição com seis pontos, na lanterna da tabela. Enquanto isso, os filhos do Tião Sam acabaram apenas uma posição acima, em quinto, com 12 pontos.

Winchester e Jones, ainda no primeiro tempo, marcaram os gols da vitória de Trindade e Tobago ainda no primeiro tempo. No fim da partida, os EUA até acertaram a trave em uma finalização de longe, mas ali se viu qualquer esperança de reação ir por água abaixo.

A torcida do Panamá foi ao delírio com a vaga direta para a Copa do Mundo (Foto: Rodrigo Arangua/AFP)

E o maior culpado pela não classificação dos norte-americanos, além eles próprios, foi o Panamá. No estádio Rommel Fernandez, na capital panamenha, Torres marcou o gol da vitória por 2 a 1 dos anfitriões em cima da Costa Rica já aos 44 minutos do segundo tempo. Antes, Venegas, para os visitantes, e Torres, para os donos da casa, foram às redes.

Os três pontos levaram o Panamá ao terceiro lugar, última posição que garante uma equipe com vaga direta à Copa do Mundo. Assim, com 13 pontos, os panamenhos puderam fazer a festa após o apito final, assim como os costa-riquenhos, que terminaram as Eliminatórias da Concacaf na vice-liderança do Hexagonal, com 16 pontos, também com classificação garantida.

O quarto lugar na tabela, que dá direito a dois jogos em formato de mata-mata contra um representante asiático pela repescagem do Mundial, ficou com a seleção de Honduras. Nessa terça, os hondurenhos conseguiram bater o México por 3 a 2 em San Pedro Sula, no estádio olímpico Metropolitano, chegaram aos 13 pontos, e assim, se mantiveram vivos na briga para ir à Rússia no ano que vem. Já o México, que entrou em campo já classificado, mesmo com o revés, termina as Eliminatórias da Concacaf com 21 pontos, na ponta do Hexagonal final.

Peralta abriu o placar para os mexicanos, Elis empatou e Vela deixou os visitantes em vantagem antes do intervalo. Na etapa final, o empate de Honduras veio com gol contra de Ochoa e a virada de concretizou graças a Quioto.

Portanto, a situação ficou definida com México, Costa Rica e Panamá garantidos na Copa do Mundo, Honduras na repescagem e Estados Unidos e Trindade e Tobago eliminados.