Futebol/Copa do Brasil

Pegadores de pênaltis, Cássio e Fábio podem decidir Copa do Brasil

São Paulo , SP
17/10/2018 10:00:38

Em: Bastidores, Copa do Brasil, Corinthians, Cruzeiro, Notícias

Se o Corinthians der o troco no Cruzeiro e vencer pela vantagem mínima a partida de volta da final da Copa do Brasil, nesta quarta-feira, às 21h45 (de Brasília), a decisão do título nacional será na marca da cal da Arena, onde os batedores não terão facilidade. Isso porque Cássio e Fábio são exímios pegadores de pênaltis.

No Campeonato Paulista desta temporada, o arqueiro corintiano foi responsável direto pela conquista do time ao pegar quatro cobranças no mata-mata. Diante do São Paulo, na semifinal, parou Diego Souza e Liziero, enquanto na final defendeu batidas dos palmeirenses Dudu e Lucas Lima, silenciando o Allianz Parque, palco da festa alvinegra.

Desde quando chegou ao Timão, em 2012, Cássio atuou em 373 partidas e pegou 14 cobranças, números que o colocaram como segundo goleiro que mais pegou pênaltis na história do clube, perdendo apenas Ronaldo Giovanelli, dono de 24 defesas. Apesar da estatística expressiva, o atual arqueiro alvinegro revelou que não estuda os batedores adversários.

“Eu não gosto de ver pênaltis antes do jogo, a gente perde um pouco da concentração, na minha opinião. Mas, quando acabou o jogo, o Mauri (Lima, preparador de goleiros do Corinthians) me passou alguns dados, a grande maioria dos cantos foi ele quem me passou. Mas muitas vezes é no ‘feeling’. Você vai e na hora sente que é aquele canto, aí vai para tentar defender”, disse Cássio depois de eliminar o Tricolor Paulista na semifinal do Estadual de 2018.

Cássio defendendo pênalti de Diego Souza na semi do Paulista de 2018 (Foto: Fernando Dantas/Gazeta Press)

Se os números de Cássio já são expressivos, os de Fábio são ainda mais. Impulsionado pelo desempenho avassalador nas quartas de final da Copa do Brasil deste ano, quando defendeu todas as três cobranças do Santos e classificou o Cruzeiro, o goleiro da Raposa chegou a 25 penais defendidos com a camisa celeste.

O Corinthians, inclusive, já foi vítima do arqueiro em duas oportunidades. Em 2009, pelo Campeonato Brasileiro, Fábio parou Ronaldo, enquanto no ano seguinte, pela mesma competição, defendeu cobrança de Bruno César.

O Brasileiro, contudo, fica em segundo plano com a performance recente do arqueiro na Copa do Brasil, torneio em que foi fundamental para a conquista da Raposa na última temporada. Na semifinal, contra o Grêmio, barrou Luan na marca da cal, já na decisão, a vítima foi o flamenguista Diego.

“A gente sempre treina penalidades, mas sabe que cada jogo tem uma história diferente. Os batedores têm qualidade para bater em todos os cantos, tanto no direito quanto no esquerdo, então, gera dificuldade. O que eu tento é esperar o máximo para tentar dificultar o tempo de reação deles”, disse o goleiro cruzeirense após defender sua última cobrança de pênalti, contra o Grêmio, pelo Brasileiro deste ano.

Duas das três últimas Copas do Brasil foram decididas na marca da cal. Nesta temporada, se a disputa for novamente nos pênaltis, os cobradores não terão vida fácil diante de Cássio e Fábio, especialistas na arte de defender cobranças.