Com campanhas iguais, Paraná e Oeste não passam do empate

Do correspondente Luiz Felipe Fagundes - Curitiba,PR

06-10-2015 22:23:47

Iguais na classificação da Série B do Campeonato Brasileiro, Paraná Clube e Oeste não passaram de um empate em 1 a 1 na Vila Capanema, garantindo pelo menos uma distância confortável em relação à zona de rebaixamento, já que o acesso virou sonho para 2016. Com o resultado, a equipe paranista chegou aos 38 pontos, o mesmo dos rubro-negros, uma posição à frente, na 13ª colocação.

Em uma primeira etapa sonolenta, quem mudou um pouco o panorama foi Rafael Carioca, que aos 37 minutos partiu para cima da defesa adversária, invadiu a área e chutou para abrir o placar para o Tricolor. Depois do intervalo, aos 25 minutos, Renan Mota fez o que quis na defesa da casa para deixar tudo igual.

Na próxima rodada, o Paraná Clube encara o Vitória, na sexta-feira, dia 16 de outubro, na Arena Fonte Nova, em Salvador. Já o Oeste encara no dia seguinte o Bahia, no Estádio José Liberatti, em Osasco.

O jogo - O Tricolor, cuja escalação não teve as mudanças esperadas após o empate sem gols diante do Criciúma, começou a partida com maior volume. Aos seis minutos, Ricardinho fez a jogada, levou para o fundo e cruzou fechado, mas a zaga conseguiu afastar para escanteio. Aos nove, Rafael Costa lançou Éder, que tocou por cobertura e só não marcou porque Daniel Gigante apareceu para afastar quase em cima da linha.

As ações ficavam restritas ao meio campo, com o Paraná com maior posse de bola, mas sem conseguir criar boas oportunidades. Aos 29 minutos, Paulo Henrique tentou um cruzamento de longe e facilitou a recuperação da defesa paranista. O jogo era tecnicamente sofrível, sonolento, com dois times pouco interessados em jogar. Aos 35 minutos, depois de troca de passes, Éder arriscou de fora da área, pela linha de fundo.

Se estava difícil entrar na defesa paulista tocando, Rafael Carioca arranjou a solução, aos 37 minutos, partindo para cima, tirando dois defensores e batendo para o fundo das redes para abrir o placar. O belo gol na Vila Capanema foi o único lampejo de bom futebol durante os 45 minutos iniciais.

Para a etapa final, o Tricolor retornou com Danilo no lugar de Rosinei. Pela equipe rubro-negra, saíram Kahê e Patrick Silva para as entradas de Wangler e Rafael Martins. Aos quatro minutos, Fernandes arriscou o chute de fora da área e a bola subiu demais. As duas equipes erravam demais, especialmente passes. Aos 13 minutos, Danilo recebeu em ótima posição, arriscou o chute e Leandro Santos defendeu em dois tempos.

Fernandes também tentou resolver sozinho, aos 16 minutos, tirando a defesa paulista da jogada e arrematando para intervenção de Leandro Santos. Mas, aos 25 minutos, Renan Mota aproveitou falha defensiva e, dentro da área, só teve o trabalho de tocar na saída de Felipe Alves para deixar tudo igual.

O Oeste se empolgou com o gol e, aos 29 minutos, Wangler soltou a bomba e a bola passou com perigo. Aos 37 minutos, Fernandinho pegou rebote e isolou a bola. Já sem alternativas, Fernandes, aos 41 minutos, fez um cruzamento para ninguém e desperdiçou o ataque. Em um duelo de dois times de campanhas iguais, prevaleceu o desinteresse de ambas pela competição.

PARANÁ 1 X 1 OESTE

Local: Estádio Durival Britto e Silva, Curitiba (PR)
Data: 06 de outubro de 2015, terça-feira
Horário: 20h30 (de Brasília)
Árbitro: Paulo Henrique de Melo Salmazio (MS)
Assistentes: Leandro dos Santos Ruberdo (MS) e Sérgio Alexandre da Silva (MS)
Cartões amarelos : Rafael Costa, Jean, Danilo e Zé Roberto (Paraná); Fernandinho e Wangler (Oeste)

Gols
PARANÁ: Rafael Carioca, aos 37 minutos do primeiro tempo
OESTE: Renan Mota, aos 25 minutos do segundo tempo

PARANÁ: Felipe Alves; Ricardinho, Luciano Castán, Zé Roberto e Fernandes; Jean, Rosinei (Danilo), Éder (Gustavo Sauer), Rafael Costa (Carlão) e Rafael Carioca; Paulo Henrique.
Técnico: Fernando Miguel

OESTE: Leandro Santos; Paulo Henrique, Daniel Gigante, Ligger e Fernandinho; Renato Xavier, Renan Mota, Patrick Silva (Wangler) e Mazinho; Kahê (Rafael Martins)(Rodriguinho) e Wagninho
Técnico: Roberto Cavalo

Deixe seu comentário