Destro, Rodriguinho fez 50% dos seus gols no Timão com a canhota

Tomás Rosolino - São Paulo, SP
10/08/2017 07:37:36

Em: Brasileiro Série A, Corinthians, Futebol
Última vítima da perna “ruim” do meia foi o Sport, no fim de semana (Foto: Fernando Dantas/Gazeta Press)

Depois de carregar a bola por quase 40m, o meia Rodriguinho, classificado como destro na ficha técnica do Corinthians, não teve dúvida em limpar o zagueiro Durval, jogar a bola para o pé esquerdo e acertar o ângulo de Magrão, fazendo o mais belo gol da vitória do Corinthians por 3 a 1 sobre o Sport, no último sábado. A cena impressionou alguns críticos, de acordo com atleta, incrédulos que ele tinha acertado um chute tão perfeito com a perna “ruim”, mas a cena é a mais comum quando se tratar de tentos do armador pelo Corinthians.

Dos 24 gols marcados pelo armador com a camisa alvinegra, 12 foram usando a canhota, com cinco de cabeça e apenas sete com a direita, considerada predileta. “Nunca tinha reparado (risos)”, disse o meio-campista corintiano à Gazeta Esportiva, transpondo os números pelo Timão para seus outros clubes na carreira.

“Olha, se brincar, fiz mais gols com a esquerda, sim. No América-MG eu já tinha feito muito gol assim. Mas a direita funciona bem também (risos)”, ressaltou o camisa 26, que passou também pelo ABC-RN, clube que o revelou, pelo Bragantino, pelo Grêmio e pelo Al Sharjah-EAU.

O segredo para se tornar um especialista em chutar com ambos os pés, porém, se deu bem antes da profissionalização no futebol. Visto como talentoso quando dava seus primeiros toques na bola em Natal-RN, ele explicou quem teve o maior mérito nisso.

“Foi desde pequeno. Fazia escolinha e os treinadores lá, o Cacau e o Noé, pegaram muito no meu pé para treinar as duas pernas. Pegaram muito no meu pé”, disse o corintiano, autor de seis gols com a esquerda e somente dois com a direita em 2017.

“Isso é bom, né, deixa o marcador confuso, ele não sabe para onde você vai sair, o que você pode fazer. Isso aí já é antigo, pode ser novo para quem não me conhece, mas, para mim, já faz tempo. Faz parte das minhas qualidades”, concluiu.