Corinthians resolve em dois lances e derrota a Ponte Preta em Itaquera

Tomás Rosolino - São Paulo, SP
08/07/2017 20:59:40 — 08/07/2017 22:59:27

Em: Brasileiro Série A, Corinthians, Futebol, Ponte Preta
Jô fechou a vitória corintiana em Itaquera (Foto: Léo Pinheiro / Código19/Gazeta Press)

O Corinthians mostrou muita precisão na noite deste sábado, no estádio de Itaquera, e, mesmo diante de uma boa atuação da Ponte Preta, conseguiu a vitória por 2 a 0, em duelo válido pela 12ª rodada do Campeonato Brasileiro. Com gols marcados por Jadson e Jô, no final do primeiro e no início do segundo tempo, o Timão mostrou sua força em casa e chegou ao 26º consecutivo na temporada sem derrota. Quando a rival parecia melhorar em campo, Cássio ainda pegou pênalti batido por Lucca e assegurou a alegria corintiana.

O triunfo, segundo do Timão no ano diante da oponente na final do Campeonato Paulista neste ano, deixa o Alvinegro ainda isolado na liderança do torneio nacional, com 32 pontos conquistados. Atualmente, o time está nove pontos à frente do segundo colocado, posição ocupada pelo Flamengo após a vitória por 1 a 0 sobre o Vasco. Contudo, o Grêmio, que recebe o Avaí neste domingo, pode retomar a vice-liderança. A Ponte, com 15 pontos, fica em 12º.

Na próxima rodada, os comandados de Fábio Carille terão pela frente o Derby contra o Palmeiras, no estádio Palestra Itália, às 21h45 (de Brasília), o último clássico deste primeiro turno. Do outro lado, Gilson Kleina e sua trupe receberão o Bahia às 19h30 (de Brasília) da quarta-feira, no Moisés Lucarelli.

Sheik sobra, mas Corinthians marca

O primeiro tempo teve um ator principal no estádio de Itaquera, provavelmente um dos jogadores em campo que tem mais história com a camisa do Timão. Mostrando boa forma física, mesmo aos 38 anos de idade, Emerson Sheik, ovacionado pela torcida no aquecimento, comandou as ações ofensivas da Ponte Preta e só foi parado com faltas pela defesa corintiana. Até o intervalo, foram quatro infrações cometidas sobre ele.

O melhor lance, porém, saiu em chute a gol de outro ex-corintiano: Lucca. Após bola lançada para o ataque, o camisa 9 da Macaca recebeu na entrada da área, dominou e chutou colocado, no canto direito. Cássio pulou para fazer a defesa e não alcançou, mas a redonda passou rente à trave, para a linha de fundo. Aos 15 minutos, o primeiro goleiro fora colocado para trabalhar em um duelo mais tático do que técnico em Itaquera.

Bastante diferente do Botafogo, a Ponte manteve sempre três atletas preparados para o contra-ataque, conseguindo anular as jogadas do Timão. Com pouco espaço para jogar, coube ao Timão apostar nas roubadas de bola ofensivas para criar lances de perigo. O primeiro veio com Léo Príncipe, chegando à lateral e cruzando na cabeça de Romero. O paraguaio testou forte e exigiu a primeira boa defesa do arqueiro campineiro, apenas aos 37 minutos.

Querendo jogo, o avante roubou bola na sequência, deu “rolinho” em Nino Paraíba e tocou para Jô, que chutou fraco, fácil para Aranha. Já nos acréscimos, quando parecia que o placar zerado seria mantido, veio a saída certeira que o Timão esperava. Romero recebeu na esquerda de Arana e sofreu a falta de Fernando Bob para parar o lance. Esperto, porém, ele cobrou rapidamente e deu sequência ao lance.

O Alvinegro rodou até a bola voltar ao paraguaio, que cruzou para a área. Jô ganhou fácil de Rodrigo e cabeceou quase na pequena área para linda defesa de Aranha. Arana pegou o rebote e chutou para o meio, a bola passou pelo centroavante e ficou para Jadson, pela direita. Com precisão, o 10 chutou cruzado, no ângulo, sem chances de defesa.

Gol rápido e Cássio intransponível

Aliviado pela inesperada vantagem conquistada para o intervalo, o Timão viu os visitantes se desorganizarem nos momentos iniciais do segundo tempo e, para não perder o costume, fez a Ponte pagar. Em roubada de bola no campo de ataque, Jadson acionou Rodriguinho na ponta direita. O meia viu Jô livre no meio da área e cruzou rasteiro para o camisa 7, de primeira, pegar de chapa na bola e mandar no canto do goleiro Aranha.

A vantagem por 2 a 0 fez com que o Timão soltasse mais seu jogo, trocando passes com mais efeito e confiando bastante na sua troca de bola. A Ponte, por sua vez, tentou dar mais a bola a Renato Cajá na armação, mas só conseguiu chegar aproveitando as costas dos laterais. O primeiro bom lance veio com Nino Paraíba, aos 18 minutos, que aproveitou recuou mal feito por Romero e chutou da lateral da área. Cássio, seguro, encaixou.

O jogo parecia controlado quando Renato Cajá recebeu no lado esquerdo da área e segurou Léo Príncipe nas suas costas até deixá-lo no chão e fazer o giro. O avante chutou cruzado e a bola ia saindo sem perigo quando Guilherme Arana fez carga nas costas de Emerson Sheik, que caiu prontamente. Em cima do lance, o árbitro Ricardo Marques Ribeiro apontou a marca penal e pareceu marcar o pênalti com convicção.

Entre a anotação da infração e a cobrança, porém, passaram-se quatro minutos, com consultas aos auxiliares, cartão dado e anulado a Balbuena e, ao fim, amarelo apontado para Arana. Com o grande intervalo antes da batida, Lucca pareceu esfriar na hora da cobrança. Após uma caminhada lenta, ele tentou deslocar o ex-companheiro Cássio com duas paradinhas, mas o seu destino foi o mesmo do gremista Luan: batida no canto esquerdo e defesa do arqueiro corintiano, para delírio de Itaquera.

Depois disso, o que parecia uma reação dos visitantes arrefeceu e viu Carille fazer as devidas modificações para preservar seus titulares. Jô, pendurado, saiu para entrar Kazim. Maycon, cansado, deu a vaga a Camacho. E Pedrinho, para mais delírio da Fiel, substituiu Jadson. Em meio aos gritos de “é quarta-feira”, em lembrança ao Derby, coube a Cássio, saindo nos pés de Emerson Sheik, evitar a última chance de gol da partida.

FICHA TÉCNICA
CORINTHIANS 2 X 0 PONTE PRETA

Local: Estádio de Itaquera, em São Paulo (SP)
Data: 8 de julho de 2017, sábado
Horário: 19 horas (de Brasília)
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (Fifa-MG)
Assistentes: Guilherme Dias Camilo (Fifa-MG) e Pablo Almeida da Costa (MG)
Público: 32.877 pagantes
Renda: R$ 1.974.902,30
Cartões amarelos: Pablo, Guilherme Arana (Corinthians); Jadson, Emerson Sheik (Ponte Preta)
Gols:
CORINTHIANS: Jadson, aos 46 minutos do primeiro tempo, Jô, aos dois minutos do segundo tempo

CORINTHIANS: Cássio; Léo Príncipe, Balbuena, Pablo e Guilherme Arana; Gabriel, Maycon (Camacho), Jadson (Pedrinho), Rodriguinho e Romero; Jô (Kazim)
Técnico: Fábio Carille

PONTE PRETA: Aranha; Nino Paraíba, Marllon, Rodrigo e Fernandinho; Fernando Bob, Jadson (Lins), Elton (Wendel) e Renato Cajá (Claudinho); Lucca e Emerson Sheik
Técnico: Gilson Kleina