Paraíso fiscal de Teixeira pede ajuda do Brasil em investigação

São Paulo, SP

23/02/16 | 09:16

Por pagamento suspeito à Fifa, Teixeira entra na mira do governo de Andorra (Foto:Divulgação)
Por pagamento suspeito à Fifa, Teixeira entra na mira do governo de Andorra (Foto:Divulgação)

O governo do Principado de Andorra deve enviar à Procuradoria Geral da República nos próximos dias documentos que comprovam a investigação envolvendo a figura de Ricardo Teixeira, ex-presidente da CBF. Em caso de cooperação, o auxílio do Brasil pode resultar num cerco ainda mais fechado em torno dos esquemas do ex-mandatário.

Leia mais:

Justiça dos EUA investiga contas controladas por Ricardo Teixeira

Defesa de Marin paga R$ 800 mil para garantir prisão domiciliar

Segundo reportagem divulgada pelo Estado de São Paulo nesta terça, Teixeira já vinha na pauta de investigação do FBI – que solicitou dados à Justiça suíça -, mas agora passa a estar na mira de Andorra, já que parte dos seus negócios parece ter passado pelo Principado que fica entre Espanha e França.

Segundo a Justiça suíça, Ricardo Teixeira e João Havelange teriam utilizado Andorra como uma espécie de asilo fiscal para realizar movimentações referentes a uma indenização paga à Fifa. Acusados de desviarem mais de R$ 40 milhões entre 1992 e 2000, os cartolas brasileiros pagaram multa de quase R$ 9 milhões para encerrar o caso.

A quantia referente ao pagamento da multa foi gerida pela empresa Bon Us SL. Com esse nome, o dinheiro de Teixeira e Havelange chegou à conta de Peter Nobel, advogado de Blatter. Movimentações bancárias também registraram, dias depois, o depósito de mais R$ 400 mil de um banco em Andorra para a conta de Nobel.

Há a suspeita de que Teixeira tenha transferido o dinheiro ao AndBank para fazer a transação junto à Fifa. Assim, o depósito em um banco de Andorra configuraria o direito de o mandatário pedir residência no País, uma vez que ostenta movimentações bancárias no local.

Deixe seu comentário