Kroos nega casos de racismo relatados por Ozil na seleção alemã

São Paulo, SP

16-08-2018 15:22:45

Após a queda precoce da Alemanha na Copa do Mundo da Rússia, Mesut Ozil anunciou sua aposentadoria da seleção e, na ocasião, falou sobre racismo e desrespeito que teria enfrentado por conta da sua descendência turca. Um mês depois, seu ex-companheiro alemão, Tony Kroos comentou a acusação do camisa 10 do Arsenal como uma bobagem.

Ozil esteve presente na campanha campeã do Mundial de 2014, no Brasil e foi um dos jogadores mais importantes do título. No entanto, um mês antes da Copa da Rússia, o meia tirou uma foto com o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, junto com a atuação apagada no torneio fez o jogador ser alvo de mensagens ofensivas, sem ter uma defesa por parte da Associação de Futebol Alemã - ponto de crítica do jogador em sua carta de aposentadoria.

"Basicamente Mesut é um merecedor e, como jogador, ele mereceu um adeus melhor. Mas a maneira como ele renunciou não foi boa", disse Kroos a um jornal alemão.

"As partes em sua declaração que são corretamente abordadas são, infelizmente, ofuscadas pela quantidade significativamente maior de disparates", disse Kroos. "Eu acho que ele sabe muito bem que o racismo dentro da equipe nacional e da DFB não existe", completou o meia do Real Madrid.

Deixe seu comentário