Após denúncia, Justin Gatlin nega uso de substâncias ilícitas

São Paulo, SP

19-12-2017 10:31:34

Após o jornal The Telegraph ter noticiado que pessoas próximas ao americano Justin Gatlin estariam oferecendo um esquema de uso para substâncias proibidos, o atual campeão mundial dos 100 metros rasos se defendeu nas suas redes sociais. A denúncia fez as autoridades que cuidam de controle de dopagem iniciarem uma investigação.

“Eu não estou usando e não usei PED (substâncias para melhoria de desempenho). Estou chocado e surpreso em saber que meu treinador (Dennis Mitchell) pode ter alguma coisa a ver com essas acusações. Eu demiti ele assim que eu soube disso. Todas as opções legais estão sob a mesa, uma vez que não vou permitir que outros mintam sobre mim dessa maneira. Não tenho nenhum comentário adicional agora que isso é um assunto jurídico. Eles terão contato dos meus advogados no futuro.

Obrigado a todos os meus apoiadores e os que desejam o meu bem.

Justin Glatin”, escreveu ele no Instagram.

Os repórteres do jornal britânico descobriram que pessoas ligadas ao velocista de 35 anos faziam contrabando de substâncias ilegais para os Estados Unidos e ofereciam receitas usando nomes falsos. O procedimento seria feito na Áustria.

Mitchell e o agente Robert Wagner foram gravados secretamente alegando que o uso de doping no atletismo continua sem controle e descrevendo como era possível burlar os testes. O empresário inclusive teria admitido que Gatlin, que chegou a ser suspenso por se dopar, continuava usando substâncias proibidas.

Como forma de defesa, os representantes do americano revelaram cinco anos de exames revelados pelo atleta e demitiram Dennis Mitchell. Eles também alegaram que Wagner trabalhou poucas vezes para Justin Gatlin.

Deixe seu comentário