Gazeta Esportiva

Dono do meio de campo, Xhaka coordena nova vitória da Suíça diante da Sérvia

São Paulo, SP

02/12/22 | 19:12

A Suíça carimbou sua vaga nas oitavas de final da Copa do Mundo nesta sexta-feira, após vencer a Sérvia por 3 a 2. Em partida cheia de reviravoltas, os suíços contaram com o domínio de Xhaka no meio de campo, eleito o melhor em campo pela Fifa.

O volante do Arsenal ganhou o prêmio de melhor jogador da partida através de votação popular realizada em parceria com a Budweiser. Durante o jogo, ele não participou diretamente do gol, mas controlou o setor e ajudou o time a conquistar a vitória.

De acordo com números da Fifa, a Suíça teve 40% de posse de bola, contra 45% dos sérvios e 15% em disputa. Participativo, Xhaka foi responsável por três dos 14 chutes suíços, mas não conseguiu balançar as redes.

Além disso, segundo o FootStats, o camisa 10 distribuiu 47 passes, dos quais errou somente um, sendo quem mais distribuiu bolas entre os jogadores da Suíça. Os passes de Xhaka não terminaram em gols, mas ele proporcionou duas finalizações desperdiçadas pelos companheiros de equipe, líder da estatística entre seus compatriotras.

Defensivamente, o desempenho também rende elogios, com duas interceptações e duas rebatidas. Ele foi responsável, entretanto, por fazer três faltas, que renderam um cartão amarelo, mas sofreu a mesma quantidade, sendo o segundo mais caçado em campo.

Os gols da seleção vitorioso foram marcados por Shaqiri, Embolo e Freuler, enquanto Mitrovic e Vlahovic diminuíram.

De volta ao protagonismo

Não é a primeira vez que Xhaka brilha em uma vitória da Suíça contra a Sérvia. Em 2018, também na fase de grupos da Copa do Mundo (Brasil, curiosamente, também estava na chave), os times se enfrentaram e os suíços venceram por 2 a 1.

A vitória em questão veio com gols de Shaqiri - que também marcou nesta sexta-feira - e Xhaka. O triunfo ficou marcado, no entanto, pelas manifestações políticas da dupla artilheira.

Shaqiri, nascido em Kosovo, e Xhaka, de origem albanesa, fizeram uma águia com as mãos ao comemorar os gols, em alusão à bandeira da Albânia, país que é origem de parcela considerável da população de Kosovo.

O motivo do protesto se dá em relação ao histórico de repressão da Sérvia diante de Kosovo e Albânia, marcado por conflitos e massacres.

Nos dias atuais, Kosovo ainda luta para ser reconhecido como nação, mas não é reconhecido pelos sérvios como uma nação. No futebol, porém, já há a seleção do país, que inclusive disputa eliminatórias para a Copa e torneios da UEFA.


Deixe seu comentário