COPA DO MUNDO 2018 RÚSSIA

A Inglaterra é mais uma seleção com vaga garantida nas oitavas de final da Copa do Mundo da Rússia. Pela segunda rodada do Grupo G, o time da Rainha não teve dificuldades para vencer a seleção do Panamá por 6 a 1 neste domingo, em Nizhny Novgorod. Os gols foram marcados por John Stones (duas vezes), Harry Kane (três vezes) e Jesse Lingard. Baloy fez o gol de honra.

Com o resultado, o English Team foi a seis pontos e assumiu a liderança do grupo. A Bélgica possui a mesma quantidade de pontos, saldo de gols e gols marcados, mas perde no quesito Fair Play, já que tomou um cartão amarelo a mais que os britânicos (três a dois, respectivamente). O Panamá, por sua vez, é o lanterna, zerado em termos de pontuação e já eliminado do Mundial.

As duas equipes voltam a campo na próxima quinta-feira. Em Saransk, os ingleses lutam pela primeira posição da classificação em confronto direto contra os belgas, no confronto mais aguardado do grupo. Em Kaliningrado, os panamenhos se despedem da Rússia contra a também já eliminada Tunísia, em busca dos primeiros pontos na Copa. Ambas os jogos têm início marcado para as 15h (no horário de Brasília).

Massacre inglês no primeiro tempo

A Inglaterra abriu o placar logo aos oito minutos de jogo, em sua primeira finalização na partida . Em cobrança de escanteio pela direita, Trippier levantou na marca do pênalti e o zagueiro Stones, completamente livre de marcação, apareceu para cabecear e colocar a bola no canto esquerdo, sem chances para o goleiro Penedo.

O Panamá assustou o goleiro Pickford aos 15, com Barcenas, arriscando chute de fora da área. Com a canhota, o meio-campista tentou colocar no canto esquerdo, mas acabou tirando demais e a redona saiu em tiro de meta, passando perto da trave britânica.

Aos 19, a Sterling foi lançado dentro da área e, ao proteger a bola dos zagueiros panamenhos, acabou sofrendo a carga de Escobar. O atacante despencou no ato e o árbitro marcou pênalti a favor dos ingleses. Na cobrança, Harry Kane soltou a bomba com o pé direito, colocou a bola no ângulo esquerdo e aumentou a contagem, chegando ao seu terceiro gol neste Mundial.

O Panamá até tentou manter a posse de bola após o segundo gol, mas as limitações da equipe comandada por Hernán Darío Gomez não permitiram que o bloqueio da Inglaterra, muito bem postada em seu campo de defesa, fosse furado.

O English Team, por outro lado, passou a encontrar cada vez mais facilidade para trocar passes no campo de ataque. Aos 35 minutos, Lingard dominou pela esquerda, tabelou com Sterling na entrada da área e emendou um lindo chute com a perna direita. A bola entrou na gaveta de Peneda, que se esticou todo mas não conseguiu espalmar.

O quarto gol veio aos 39. Em jogada ensaiada em falta na intermediária, Trippier cobrou curto para Henderson, que cruzou para a área de primeira. Kane apareceu e cabeceou para o meio, onde Sterling entrava livre para finalizar. O goleiro Penedo até defendeu o chute do atacante, mas nada pôde fazer no rebote, aproveitado por Stones, que só empurrou para dentro.

Antes do intervalo, ainda deu tempo para mais um. Em meio à confusão dentro da área panamenha, em função da cobrança de outro escanteio, Stones foi agarrado de forma irregular pelo lateral Murillo. O juiz viu a infração e assinalou mais uma penalidade para os ingleses. Kane foi para a bola e não perdoou, batendo de forma idêntica à primeira cobrança.

Sorte de artilheiro e primeiro gol do Panamá em Copas do Mundo

A etapa final não começou com o mesmo ritmo do primeiro tempo. Afim de evitar um vexame maior, o Panamá recuou o time no campo de defesa, com duas linhas de cinco à frente da área. Contudo, quando a fase é boa, não há retranca que pare um atacante do nível de Harry Kane.

Aos 16 minutos, o “Furacão” do Tottenham mostrou que artilheiro de verdade faz gol de qualquer jeito. Loftus-Cheek fez boa jogada pela direita, trouxe para o meio e soltou a canhota. No entanto, a bola desviou em Kane no meio do caminho e matou Peneda, entrando no contrapé do arqueiro.

Aos 30 minutos, o Panamá criou sua primeira chance clara no segundo período. Após cruzamento da direita, Arroyo desviou em primeira instância e Torres apareceu para colocar a cabeça. A redonda passou lambendo a trave de Pickford.

Aos 32, porém, a torcida do Panamá enfim pôde comemorar o primeiro gol do país em Copas do Mundo. O gol histórico aconteceu através de cobrança de falta pela esquerda. Avila levantou na área, a zaga da Inglaterra parou e o ex-jogador do Grêmio Baloy apareceu, de carrinho, para mandar para a rede e diminuir o placar para 6 a 1.

FICHA TÉCNICA
INGLATERRA X PANAMÁ

Local: Estádio de Níjni Novgorod, em Nizhegorodskaya (Rússia)
Data: 24 de junho de 2018 (Domingo)
Horário: 9h (de Brasília)
Árbitro: Ghead Grisha (Egito)
Assistentes: Redouane Achik (Marrocos) e Waleed Ahmed (Sudão)

Gols: John Stones aos 8 e aos 40 do 1T; Harry Kane, aos 22 e aos 40 do 1T, e aos 17 do 2T; e Jesse Lingard, aos 36 do 1T (Inglaterra).

Cartões Amarelos: Loftus-Cheek (Inglaterra); Murillo, Cooper e Escobar (Panamá)

INGLATERRA: Jordan Pickford, Kyle Walker, John Stones e Harry Maguire; Kieran Trippier (Danny Rose), Jordan Henderson, Jesse Lingard (Fabian Delph), Ruben Loftus-Cheek e Ashley Young; Rasheem Sterling e Harry Kane (Jamie Vardy)
Técnico: Gareth Southgate

PANAMÁ: Jaime Penedo, Michael Murillo, Román Torres, Fidel Escobar e Eric Davis; Gabriel Gómez (Felipe Baloy), Armando Cooper, Aníbal Godoy (Ricardo Avila), Edgar Bárcenas (Abdiel Arroyo) e Jose Luis Rodrigues; Blas Pérez
Técnico: Hernán Darío Gómez

 

 



Banco alemão explode após gol marcado por Toni Kroos aos 50 minutos (Foto: Jonathan NACKSTRAND / AFP)

Após o gol de Toni Kroos marcado aos 50 minutos da segunda etapa contra a Suécia, alguns membros da comissão técnica da Alemanha comemoram bastante efusivamente, chegando a causar um princípio de tumulto na frente dos bancos de reserva do estádio de Sochi. Neste domingo, a federação do país publicou um pedido de desculpas aos suecos em suas redes sociais.

“Era uma partida cheia de emoção. No fim, qualquer reação ou gesto de nossa comissão técnica em direção ao banco sueco foi emocional demais. Não é nossa maneira de fazer as coisas”, publicou a federação alemã, que completou a publicação com Ursäkta!, perdão em sueco.

Um dos mais irritados após o gol do adversário, o treinador da seleção sueca, Janne Andersson, afirmou que alguns alemães provocaram comemorando o gol marcado nos acréscimos “correndo até nossa zona fazendo gestos sob nossos narizes”.

Por outro lado, Joachim Low, treinador da Alemanha, afirma que não viu nenhum desrespeito contra a Suécia. “Não vi tal coisa”, declarou o técnico da Alemanha. “Após o apito final estávamos concentrados em outras coisas. Estávamos festejando. Não vi nenhum gesto para o banco da Suécia”.



Próxima adversária do Brasil na Copa do Mundo, a Sérvia parece não ter digerido a sua derrota para a Suíça na última sexta-feira. Neste domingo, o presidente da federação do país, Slavisa Kokeza, deu declarações fortíssimas acusando a Fifa de realizar um complô contra os sérvios. A forte reclamação ocorre devido a um possível pênalti cometido em Mitrovic, já no segundo tempo.

“Vamos enviar um protesto à Fifa. Eu não acho que o problema está apenas no VAR (árbitro de vídeo), foi tudo direcionado pelas pessoas que escolhem os árbitros. Está claro para a Europa e para o resto do mundo que a Sérvia foi brutalmente roubada. Não espero que a Fifa tome alguma atitude em relação a esse roubo brutal, porque, repito, foi tudo direcionado”, declarou o dirigente a BBC.

Lance em que gerou a polêmica sobre o possível pênalti em Mitrovic (Foto: Attila KISBENEDEK / AFP)

Esta não foi a única declaração que demonstrou a irritação dos sérvios com a arbitragem. Logo após a partida, o treinador da equipe, Mladen Krstajic, declarou que gostaria de ver o juíz Felix Brych sendo julgado num tribunal de guerra. O presidente da federação não foi tão incisivo nas críticas, porém afirmou que o fato do árbitro ser alemão influenciou nas decisões tomadas na partida.

“Todos sabemos que mais da metade da população da Suíça é alemã. Membros da comissão técnica, jogadores, a população da Sérvia, todos estão muito desapontados pela injustiça causada por algumas pessoas da Fifa”, finalizou o mandatário.

Outro fato da partida que gerou bastante polêmica foi a comemoração dos gols suíços, quando Xhaka e Shaquiri reproduziram com a mão uma águia negra de duas cabeças, como uma referência a bandeira da Albânia, já que grande parte do povo kosovar é de origem albanesa. Kosovo é um país recém-separado da Sérvia, que não reconheceu a independência do local. Vale lembrar que os país de Xhaka e o próprio Shaquiri são de Kosovo.

“Merecem ser condenadas (as comemorações) por todo o mundo do futebol. Esperamos que a Fifa tome alguma atitude em relação aos jogadores que agiram contra as regras da Fifa e do fair play, assim como contra a federação nacional por qual eles jogam”, finalizou.



Mesmo com resultados apertados, a França começou a Copa do Mundo com duas vitórias, diante de Austrália e Peru. No entanto, Paul Pogba, uma das principais estrelas da equipe, não teve atuações à altura do maior torneio de futebol do planeta. Contestado pela imprensa, o meio-campista do Manchester United disse que sempre dá o máximo pela seleção e revelou relevar as críticas.

“Estou esquecendo os críticos e deixando para trás, a única resposta é dentro de campo. Dou o meu melhor por essa camisa, por essa equipe e à França. Eu realmente quero ganhar a Copa do Mundo”, disse o atleta em entrevista coletiva.

Pogba está “esquecendo” os críticos (Foto: Franck Fife/AFP)

Na vitória diante do Peru, pela segunda rodada, o atleta teve uma atuação melhor do que na estreia, mas ainda aquém de seu potencial. Com N’Zonzi e Tolisso fazendo sombra no banco de reservas, Pogba não se mostrou preocupado em perder a vaga no time de Didier Deschamps.

“Eu sou realista, você não sabe o que vai acontecer amanhã, talvez eu não seja chamado, ou machuque, talvez os jogadores tenham um desempenho melhor. Eu sou sortudo o suficiente em fazer minha segunda Copa do Mundo, espero que não seja minha última”, afirmou.

Já classificada às oitavas de final do Mundial, a França volta aos gramados na próxima terça-feira para enfrentar a Dinamarca. Um simples empate garante a liderança do Grupo C aos franceses. Caso avanca em primeiro, Pogba e companhia devem enfrentar Nigéria, Islândia ou Argentina. Para o jogador do United, qualquer desses possíveis adversários têm potencial para oferecer perigo.

“Eu acho que todas as grandes equipes não vêm para dançar ou apenas estar lá. Nós viemos para vencer. Temos jogadores de qualidade, um bom grupo. Nós jogamos esta Copa do Mundo e tudo é possível. Sabemos que isso não será fácil. Não há equipes pequenas ou jogadores médios. Eu sei que podemos fazer isso. Ainda há muito caminho. Teremos que lutar e ser fortes”, finalizou



O zagueiro Dejan lovren garantiu seriedade croata diante da Islândia (Foto: Paul Ellis/AFP)

No que depender do zagueiro Dejan Lovren, argentinos e nigerianos podem ficar tranquilos porque a Croácia jogará a sério contra a Islândia, pela última e decisiva rodada do Grupo D da Copa do Mundo. Com seis pontos ganhos, os croatas lideram a chave e já estão classificados às oitavas de final. O técnico Zlatko Dalic, portanto, já confirmou que poupará cinco titulares pendurados com cartão amarelo para o embate com os nórdicos.

Argentina, com um ponto, e Nigéria, com três, se enfrentam na próxima terça-feira, às 15 horas (de Brasília), em São Petersburgo. Para seguirem adiante no Mundial, além da vitória, sul-americanos e africanos precisam que a Croácia não seja derrotada pelos islandeses no mesmo dia e horário.

“Entendo perfeitamente sua posição e tenho certeza de que haverá mudanças. É normal. Não temos que correr riscos com alguns jogadores que têm cartões amarelos. Mas queremos ganhar e não vamos especular”, assegurou Lovren, elogioso ao trabalho de seu treinador.

“Zlatko criou um ambiente fantástico com a gente. Fez uma relação incrível com os jogadores desde o começo. Sabe como dialogar com os atletas. Não é nosso melhor amigo, mas também o entendo. Há um grande nível que deve ser mantido”, avaliou.

Lovren também opinou sobre a Seleção Brasileira e Philippe Coutinho, com quem dividiu vestiário no Liverpool e que agora defende o Barcelona. “Acompanho todas as suas partidas e as do Brasil. Estão jogando bem, mas ainda não alcançaram o melhor nível e espero que não o faça. Coutinho é um jogador fantástico. Não há muito o que dizer”, analisou.

Na visão do zagueiro, no entanto, Luka Modric ocupa um patamar acima. Lovren ressaltou que, se tivesse a nacionalidade de um país mais popular no futebol, seu companheiro de seleção croata poderia ganhar o prêmio de melhor jogador do mundo pela Fifa.

“Já disse muitas vezes que Modric é fantástico. Atualmente é um dos melhores jogadores do mundo. Se Luka fosse alemão ou espanhol estaria sempre entre os três melhores e poderia ganhar a Bola de Ouro. Mas a Croácia é um país menor e recebe menos atenção”, concluiu.




Em seu curto discurso, Tapia acusou imprensa argentina de proferir mentiras à torcida (Foto: Juan Mabromata/AFP)

Após ganhar sobrevida na Copa do Mundo com a vitória da Nigéria sobre a Islândia, a Argentina tenta amenizar a crise que lhe ronda com a possível eliminação precoce na Rússia. Em entrevista coletiva concedida neste domingo, em Bronnitsy, o presidente da Associação de Futebol Argentino (AFA), Claudio Tapia, e dois dos líderes da equipe, Javier Mascherano e Lucas Biglia, trataram de passar uma imagem de união entre jogadores e comissão técnica após os rumores que davam conta de um suposto motim contra Jorge Sampaoli.

Antes de os atletas falarem, o dirigente máximo da AFA pegou o microfone para criticar os jornalistas. “Muito do que disseram é mentira. Isso não acontece. Eles são o quarto poder. Existem diferentes formas de exercer o poder. Não se esqueçam que são comunicadores. Nem todos são iguais, há alguns diferentes, mas deturpam com esta função de comunicar”, esbravejou Tapia.

O mandatário da entidade que regula o futebol argentino também pediu um voto de confiança do torcedor com a seleção atual vice-campeã mundial. “Para todos que choram por um resultado, peço que apoiem esta equipe e o sonho que temos de conquistar a classificação”, discursou.

Na sequência, Mascherano assumiu a conferência de imprensa e confirmou que houve uma reunião entre jogadores e técnico para cada parte dar a sua versão dos fatos. O volante, que atualmente joga na China, disse que se falou “sobretudo” de futebol e as impressões dos atletas dentro de campo, mas “sempre com o objetivo de ajudar e resolver a situação”.

Mascherano pediu “unidade” para a Argentina seguir viva no Mundial (Foto: Juan Mabromata/AFP)

“Estamos conscientes de todo o barulho que existe e, infelizmente, isso não nos ajuda em nada. Nunca ajuda, principalmente quando esse barulho tem a ver com diferenças ou quando não resulta em união”, explicou o meio-campista.

Mascherano também disse que Messi, aniversariante neste domingo”, “está bem”, mas voltou a comentar os rumores de problemas internos na Argentina: “Vivemos com isso no passado e vivemos com isso no presente”.

Para sobreviver na Copa do Mundo, a Argentina deve encarar a Nigéria com mudanças no esquema e na escalação. No treino deste domingo, Sampaoli trocou o 3-4-3 pelo 4-4-2 e promoveu as entradas do goleiro Armani, do meio-campista Banega e do centroavante Higuain, além do retorno de Di María.

A Argentina ocupa a lanterna do Grupo D com apenas um ponto. Para avançar às oitavas de final, os pupilos de Jorge Sampaoli precisam derrotar a Nigéria e de um tropeço da Islândia contra a Croácia. Os dois jogos acontecem simultaneamente nesta terça-feira, às 15 horas (de Brasília). “Apareceu uma nova oportunidade. E ela é muito boa para revertermos a situação e seguirmos em frente”, projetou Biglia.



Sampaoli é alvo de muitas críticas na Argentina (Foto: JUAN MABROMATA/AFP)

A hora da verdade para a Argentina está chegando. A seleção albiceleste é obrigada a vencer a partida contra a Nigéria, na próxima terça-feira, se quiser sobreviver na Copa do Mundo da Rússia. Para tal, o técnico Jorge Sampaoli deve efetuar mudanças na escalação que levou 3 a 0 da Croácia, a qual, por sua vez, já havia apresentado alterações em relação à que estreou com empate diante da Islândia.

Na manhã deste domingo, em Bronnitsy, os argentinos foram a campo em treino marcado pelo esboço do time titular para a partida decisiva em São Petersburgo. Dentre as principais mudanças, estão as entradas do goleiro Franco Armani, do meia Éver Banega e do atacante Gonzalo Higuaín, que, respectivamente, ganham as vagas de Caballero, Acuña e Sergio Aguero. Di María, que foi para o banco de reservas contra os croatas, volta à equipe no lugar de Meza.

Portanto, os 11 titulares da Albiceleste contra as Superáguias devem ser: Armani; Salvio, Mercado, Otamendi e Tagliafico; Enzo Pérez, Mascherano, Banega e Di María; Messi e Higuaín. Logo, o esquema tático também muda, já que a equipe enfrentou a Croácia em um 3-4-3 e agora volta a atuar no 4-4-2.

Armani (à esq.) ganhará a vaga de Caballero (à dir.) no time titular (Foto: JUAN MABROMATA/AFP)

O clima na Albiceleste é de pressão. Para além dos dois resultados ruins alcançados até agora, alguns jornais argentinos noticiaram que a equipe estaria sofrendo com conflitos internos. Jogadores estariam se voltando contra Sampaoli, que, por outro lado, recebeu o apoio de Carlos Tapia, presidente da AFA (Associação de Futebol da Argentina), neste domingo.

Só a vitória salva a Argentina nesta terça-feira. Lionel Messi e companhia ocupam a lanterna do Grupo D, com apenas um ponto ganho. É a mesma pontuação da Islândia, que os supera em saldo de gols. A Nigéria, com três, é a vice-líder e depende apenas de si para confirmar presença nas oitavas de final da Copa do Mundo da Rússia. Já a Croácia, que venceu as duas primeiras partidas, é a única garantida na próxima fase.

Argentinos e nigerianos se enfrentam a partir das 15h (no horário de Brasília), no Estádio São Petersburgo.

 

 

 




Gareth Southgate quer segunda vitória para avançar de fase (Foto: Nicolas Asfouri/AFP)

No complemento da segunda rodada do Grupo G da Copa do Mundo, a Inglaterra pega o Panamá neste domingo, às 9h (de Brasília), no Estádio de Níjni Novgorod, em Nizhegorodskaya, na Rússia, buscando a segunda vitória na competição. Os ingleses estrearam derrotando a Tunísia com muita dificuldade, por 2 a 1, enquanto que os panamenhos foram superados pela Bélgica por 3 a 0, em um placar já esperando se for levado em consideração que o representante da América Central chega pela primeira vez a um Mundial.

Ainda buscando a melhor formação e estilo de jogo para a Inglaterra, o técnico Gareth Southgate pediu a seus comandados para tentarem manter a intensidade.

“Vamos trabalhar esta questão, pois neste jogo contra o Panamá é importante a gente manter uma certa constante no ataque, pois o adversário vai jogar recuado, explorando os nossos equívocos”, analisou o treinador da Inglaterra, que sofreu uma luxação no ombro enquanto corria ao redor da concentração esta semana.

Em termos de escalação, a Inglaterra vai preservar o meia Dele Alli, que vem reclamando de dores na coxa direita. Sem ele, Ruben Loftus-Cheek, que entrou na lista para a Copa do Mundo apenas nas últimas convocações, ganha uma oportunidade de começar jogando. Disposto a provar variações no estilo de jogo, o treinador vai barrar o atacante Raheem Sterling, escalando Marcus Rashford no setor.

Pelo lado do Panamá, o técnico Hernán Darío Gómez lembrou do favoritismo dos ingleses e acredita que a partida será ainda mais complicada para os panamenhos.

“Disse que diante da Bélgica a derrota por três a zero não foi feia, pois a distância entre os dois países na história do futebol é enorme. Contra a Inglaterra vamos sonhando com um resultado melhor, porém, sabendo que o jogo será tão complicado quanto. O importante é seguirmos em um processo de evolução. Espero que a gente conseiga se comportar ainda melhor”, disse Gómez.

O treinador do Panamá não quis antecipar a escalação, mas deverá manter a base da estreia.

Pelo regulamento da Copa do Mundo, as seleções se enfrentam dentro de seus respectivos grupos em turno único. Ao fim, as duas melhores colocadas avançam para as oitavas de final, enquanto que as demais voltam para casa.

FICHA TÉCNICA
INGLATERRA X PANAMÁ

Local: Estádio de Níjni Novgorod, em Nizhegorodskaya (Rússia)
Data: 24 de junho de 2018 (Domingo)
Horário: 9h (de Brasília)
Árbitro: Ghead Grisha (Egito)
Assistentes: Redouane Achik (Marrocos) e Waleed Ahmed (Sudão)

INGLATERRA: Jordan Pickford, Kyle Walker, John Stones e Harry Maguire; Kieran Trippier, Jordan Henderson, Jesse Lingard, Ruben Loftus-Cheek e Ashley Young; Marcus Rashford e Harry Kane
Técnico: Gareth Southgate

PANAMÁ: Jaime Penedo, Michael Murillo, Román Torres, Fidel Escobar e Eric Davis; Gabriel Gómez, Armando Cooper, Aníbal Godoy, Edgar Bárcenas e Jose Luis Rodrigues; Blas Pérez
Técnico: Hernán Darío Gómez