Rodado, Diego explica nomadismo e fala em findar jejum do São Paulo

José Victor Ligero - São Paulo , SP
12/01/2018 08:00:17 — 12/01/2018 12:06:46

Em: Campeonato Paulista, Escolha do editor, Futebol, São Paulo
Com o São Paulo, Diego Souza acumula passagens por 12 clubes em seu currículo (Foto: Sergio Barzaghi/Gazeta Press)

Com passagens por 12 clubes, o meia-atacante Diego Souza planeja ajudar o São Paulo também com a sua experiência. Aos 32 anos, o jogador projeta dividir o aprendizado acumulado durante esse período com os atletas mais jovens do elenco tricolor.

“Passei por alguns clubes, a maioria dentro do país. Fui para a Arábia Saudita, o clube lá não me pagou e tive de voltar. Na Ucrânia, o Metalist, pela guerra, acabou não existindo mais. Na época, meu passe era de uma empresa, o que fazia com que eles tivessem porcentagem nas vendas”, disse, explicando seu nomadismo entre equipes.

Além do Fluminense, clube pelo qual foi revelado, Flamengo, Grêmio, Palmeiras, Atlético-MG, Vasco, Cruzeiro e Sport já contaram com o futebol de Diego Souza. O São Paulo, portanto, é o nono clube brasileiro no currículo do jogador, que defendeu Benfica-POR, Al-Ittihad-SAU e o extinto Metalist-UCR no exterior.

“Foram aprendizados. Eu era bem novo. Nos últimos tempos dei uma assentada numa cidade (Recife). É uma loucura arrumar casa, escola, se adaptar. É bem melhor estar tranquilo num lugar”, apontou, sem fazer questão de se tornar um líder dentro do grupo.

“Venho com minha experiência para ajudar meus companheiros, os meninos. Mas o mais importante é pode ajudar da melhor maneira possível. Sendo líder ou não, vou procurar dar o meu melhor”, assegurou.

Questionado sobre sua escolha pelo São Paulo, Diego Souza se mostrou motivado com a possibilidade de ser convocado para defender a Seleção Brasileira na Copa do Mundo, mas também ajudar a encerrar o jejum de títulos pelo qual passa o clube, que não ergue um troféu desde 2012, quando conquistou a Copa Sul-Americana.

“A escolha é, sem dúvida, pela história. O objetivo deste ano é organizar a equipe rapidamente e brigar, porque não é comum o São Paulo estar há tanto tempo sem levar um título. Para alcançar seus objetivos pessoais, tem que estar num grande time”, concluiu.




×
Quer receber notícias do São Paulo?